sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

EVANGELHO DO DIA/ Fonte Paulinas

Ano B - Dia: 05/12/2008



Jesus cura dois cegos

Mt 9,27-31

Jesus saiu daquele lugar, e no caminho dois cegos começaram a segui-lo, gritando:
- Filho de Davi, tenha pena de nós!
Assim que Jesus entrou em casa, os cegos chegaram perto dele. Então ele perguntou:
- Vocês crêem que eu posso curar vocês?
- Sim, senhor! Nós cremos! - responderam eles.
Jesus tocou nos olhos deles e disse:
- Então que seja feito como vocês crêem!
E os olhos deles ficaram curados. Aí Jesus ordenou com severidade:
- Não contem isso a ninguém!
Porém eles foram embora e espalharam as notícias a respeito de Jesus por toda aquela região.

Comentário do Evangelho

Filho de Davi

Mateus cria aqui, com algumas adaptações, uma duplicata de sua narrativa em 20,29-34, na qual dois cegos são curados em Jericó. Em Marcos e Lucas, nesta mesma narrativa, trata-se de apenas um cego (cf. 29 maio). Com a duplicata, Mateus completa um bloco de dez milagres, narrados em vista de fortalecer a fé, preparando o discurso apostólico, apresentado em seguida. Os cegos seguem Jesus e pedem-lhe compaixão. Dirigem-se a Jesus como "filho de Davi". A tradição da volta de um descendente de Davi, messias, para restaurar a glória de Israel tem um caráter ideológico e foi elaborada pelas elites do judaísmo que surgiu a partir do Exílio. Vemos agora, dois pobres cegos impregnados por esta ideologia do poder. Aí está a sua verdadeira cegueira. Jesus provoca nos cegos sua confissão de fé, tendo resposta afirmativa. Tocando-lhes nos olhos, atende-lhes o pedido feito com fé, e seus olhos se abrem. Abrir os olhos aos cegos é um dos sinais da chegada da salvação e da libertação, anunciados pelos profetas (cf. 10 jan). A advertência para manter segredo ("segredo messiânico"), parece ser uma criação do evangelista, tendo suscitado várias interpretações.

Oração
Pai, cura-me da cegueira que me impede de reconhecer a presença de tua salvação na minha vida, realizada pela ação misericordiosa de teu Filho Jesus.

Leitura
Is 29,17-24

Salmo
Salmo 27(26)
Sobre o rochedo o Senhor me eleva.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

EVANGELHO DO DIA/ Fonte Paulinas

Ano B - Dia: 04/12/2008



Quem entra no Reino do Céu

Mt 7,21.24-27

- Não é toda pessoa que me chama de "Senhor, Senhor" que entrará no Reino do Céu, mas somente quem faz a vontade do meu Pai, que está no céu.
- Quem ouve esses meus ensinamentos e vive de acordo com eles é como um homem sábio que construiu a sua casa na rocha. Caiu a chuva, vieram as enchentes, e o vento soprou com força contra aquela casa. Porém ela não caiu porque havia sido construída na rocha.
- Quem ouve esses meus ensinamentos e não vive de acordo com eles é como um homem sem juízo que construiu a sua casa na areia. Caiu a chuva, vieram as enchentes, e o vento soprou com força contra aquela casa. Ela caiu e ficou totalmente destruída.

Comentário do Evangelho

Os alicerces

Ouvir as palavras de Jesus e pô-las em prática, é o núcleo desta parábola dos dois homens. Os evangelhos também nos narram a própria prática de Jesus, que diz muito, é modelo para os discípulos, em todos os tempos. Em tudo que Jesus disse e fez, ele estava cumprindo a vontade do Pai. E a vontade do Pai é que todos tenham vida em abundância, usufruindo dos bens da criação, eliminando-se as cercas e os muros que protegem as minorias privilegiadas e relegam as maiorias ao empobrecimento e à exclusão.
O homem insensato constrói sua vida sobre a areia, seguindo as propostas sedutoras e falsas da sociedade de mercado e consumo, obedecendo aos interesses de lucro dos poderosos desde mundo. O homem sensato constrói sua vida sobre a rocha, praticando a palavra de Deus. Em comunhão com a vontade do Pai, coloca-se a serviço da vida. Forma comunidade com seus irmãos, solidariza-se com os pobres, fracos e excluídos, e revela ao mundo o amor misericordioso de Jesus e do Pai.

Oração
Pai, livra-me de reduzir minha adesão a Jesus a mero palavreado. Ajuda-me a transformar os ensinamentos dele em norma de vida. Assim estarei fazendo a tua vontade.

Leitura
Is 26,1-6

Salmo
Salmo 118(117)
O Senhor está comigo, é meu auxílio.




terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Ano B - Dia: 02/12/2008



A alegria de Jesus

Lc 10,21-24

Naquele momento, pelo poder do Espírito Santo, Jesus ficou muito alegre e disse:
- Ó Pai, Senhor do céu e da terra, eu te agradeço porque tens mostrado às pessoas sem instrução aquilo que escondeste dos sábios e dos instruídos. Sim, ó Pai, tu tiveste prazer em fazer isso.
- O meu Pai me deu todas as coisas. Ninguém sabe quem é o Filho, a não ser o Pai; e ninguém sabe quem é o Pai, a não ser o Filho e também aqueles a quem o Filho quiser mostrar quem o Pai é.
Então Jesus virou-se para os discípulos e disse só para eles:
- Felizes são as pessoas que podem ver o que vocês estão vendo! Eu afirmo a vocês que muitos profetas e reis gostariam de ter visto o que vocês estão vendo, mas não puderam; e gostariam de ter ouvido o que vocês estão ouvindo, mas não ouviram.

Comentário do Evangelho
O Pai revela-se aos pequeninos

Lucas reúne aqui dois textos da tradição sobre Jesus, que circulavam nas primeiras comunidades. O primeiro é a exultação de Jesus pela revelação acolhida pelos pequeninos, e o segundo é a bem-aventurança dos que recebem esta revelação. Esta exultação de Jesus, em Lucas, se dá quando os setenta e dois discípulos retornam alegres pelo sucesso obtido na missão na Samaria (cf. 4 out). Os sábios e entendidos, na sua auto-suficiência, não se deixam tocar por Jesus. O Pai revela-se aos pequeninos, aos pobres e excluídos, que são vitimados por uma sociedade elitista e excludente. Neles a palavra de Jesus encontra terreno fértil e dá frutos. Não se encontra Deus por meio de compêndios teológicos, por meio de doutrinas ou de observâncias religiosas. Chega-se à comunhão de vida com Deus no seguimento de Jesus em sua prática libertadora, amorosa e vivificante, pois ele é o Filho único que a todos dá a vida eterna. Alcança-se, assim, a bem-aventurança da filiação divina.

Oração
Pai, dá-me um coração de pobre disposto a acolher a revelação de teu Filho Jesus que tu me fazes. Que eu tenha a felicidade de reconhecê-lo, com a ajuda de tua graça.

Leitura
Is 11,1-10

Salmo
Salmo 72(71)
Aos pobres do seu povo fará justiça.


segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

EVANGELHO DO DIA/ Fonte Paulinas

Ano B - Dia: 01/12/2008



Jesus cura o empregado de um oficial romano

Mt 8,5-11

Quando Jesus entrou na cidade de Cafarnaum, um oficial romano foi encontrar-se com ele e pediu que curasse o seu empregado. Ele disse:
- Senhor, o meu empregado está na minha casa, tão doente, que não pode nem se mexer na cama. Ele está sofrendo demais.
- Eu vou lá curá-lo! - disse Jesus.
O oficial romano respondeu:
- Não, senhor! Eu não mereço que o senhor entre na minha casa. Dê somente uma ordem, e o meu empregado ficará bom. Eu também estou debaixo da autoridade de oficiais superiores e tenho soldados que obedecem às minhas ordens. Digo para um: "Vá lá", e ele vai. Digo para outro: "Venha cá", e ele vem. E digo também para o meu empregado: "Faça isto", e ele faz.
Quando Jesus ouviu isso, ficou muito admirado e disse aos que o seguiam:
- Eu afirmo a vocês que isto é verdade: nunca vi tanta fé, nem mesmo entre o povo de Israel! E digo a vocês que muita gente vai chegar do Leste e do Oeste e se sentar à mesa no Reino do Céu com Abraão, Isaque e Jacó.

Comentário do Evangelho

A fé do centurião

Esta narrativa de milagre realça a fé de um gentio que supera a fé do povo de Israel, conforme a expressiva fala de Jesus: "Em ninguém em Israel encontrei tanta fé". O centurião era um gentio, e como tal qualquer contato com ele ou com sua casa era evitado pelos judeus. Jesus, porém, dispõe-se de imediato a ir à casa dele. O centurião, contudo, com humildade e grande fé, pede apenas uma palavra de Jesus. Jesus, então, declara ao centurião: "Como creste, assim te seja feito!" (v. 13). O resultado do ato de fé é a restauração da vida, a partir da confiança em Jesus.
Na narrativa destaca-se também como o ministério de Jesus é dirigido aos gentios, pelos quais é acolhido. A fé do gentio opõe-se à incredulidade dos israelitas e o gentio passa a tomar lugar na mesa do Reino. A narrativa indica a universalidade da missão. Todos os povos são chamados a crer em Jesus, aderindo à sua ação vivificante.

Oração
Pai, que a purificação da fé predisponha-me para ir ao encontro do Senhor. Como o homem pagão, quero manifestar uma fé imensa no poder

Leitura
Is 2,1-5

Salmo
Salmo 122(121)
Vivam em paz os que te amam!!