domingo, 8 de novembro de 2009

Identidade das CEBs

TODA A IGREJA CONSTRUINDO PONTES, PARA VIVER A COMUNHÃO!





Ao término de mais um Ano Litúrgico com a festa de Cristo Rei, somos chamados a nos comprometermos com o seu projeto de justiça, de paz e de amor ao próximo. Por isso, a igreja também comemora o dia dos Cristãos Leigos e Leigas, por sua inserção no mundo. Muitas vezes nos perguntamos, até que ponto sabemos realmente da nossa importância na vida da Igreja?
Os obstáculos tem sido muitos, tais como: conflitos de relacionamento, impedimento de uso da criatividade, uns mandam, outros servem, e muitas vezes, entre os próprios leigos no exercício de coordenações, aparece a falta de reconhecimento e tantas outras formas que se impede de levar à frente ações pastorais na igreja e na sociedade. Também percebemos que, leigos e leigas muitas vezes estão sós e abandonados por falta de apoio e incentivo em sua atividade eclesial, passando a sofrer de profunda tristeza.
Por outro lado, temos a certeza que a perseverança e a ternura impulsiona aqueles que não se deixam abater para avançar remando, ainda que, com poucos braços para não se deixar de pescar “ Ir mar a dentro e lançar as redes é o desafio!” O Mestre estará lá com sua Palavra motivadora para a Missão.
Com certeza, tem havido grandes avanços pós Concílio Vaticano II, com a abertura da Igreja, para que todo o povo de Deus, dela pudesse participar, e assim ordenados e não ordenados em muitos lugares de mãos dadas, vem espalhando sementes, arando terrenos para a semeadura, e muitos frutos tem sido colhidos.
É por este espírito de compreensão e comunhão, apoiados na vivência da Palavra e da Eucaristia que somos motivados a caminhar na direção do Reino. Os documentos da Igreja afirmam que os leigos e leigas são incorporados a Cristo pelo batismo, formando o povo de Deus. Participam das funções de Cristo: sacerdote, profeta e rei, e realizam, segundo sua condição, a missão de todo o povo cristão na Igreja e no mundo (LG 31). São “homens da Igreja no coração do mundo, e homens do mundo no coração da Igreja” (DP 786).



O Doc. de Aparecida também reafirma que os leigos são chamados a exercerem a sua missão no mundo de tal modo que, com seu testemunho e sua atividade, contribuam para a transformação das realidades e para a criação de estruturas justas segundo os critérios do Evangelho. “O espaço próprio de sua atividade evangelizadora é o mundo vasto e complexo da política, da realidade social, da economia, como também da cultura, das ciências das artes etc.. São chamados a participar na ação pastoral da Igreja, primeiro com o testemunho de vida e segundo lugar, com ações no campo da evangelização, da vida litúrgica e outras formas de apostolado, segundo as necessidades locais sob a guia de seus pastores. Estes estarão dispostos a abrir para eles espaços de participação e confiar-lhes ministérios e responsabilidades em uma Igreja onde todos vivam de maneira responsável seu compromisso cristão” (DA 211).
Concluindo, queremos reafirmar o quanto é importante construir pontes e não trincheiras, visando o diálogo fraterno, solidariedade e respeito mútuo, lembrando que todos somos co-responsáveis na construção do Reino para transformar a sociedade e suas estruturas, e nisto animadores, animadoras e outros seguimentos da Igreja tem papel fundamental.
Fraternalmente um abraço a todos e todas que participam desta Igreja que tanto amamos.
Luiz Marinho
Equipe de Comunicação .

Nenhum comentário: