terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Bispo de Roraima emite nota de pesar pelo falecimento das freiras mortas em acidente




O que seria um dia de confraternização tornou-se um dia trágico para a comunidade católica de Roraima. Duas freiras, que iam de Mucajaí para Boa Vista morreram em um grave acidente de trânsito ocorrido na manhã de ontem, 14, no quilômetro 43 da BR-174.

As colombianas Amélia Gil Dias e Ana Elinda Gonzáles seguiam para uma confraternização, realizada pela Casa Regional das Irmãs Missionárias da Consolata, quando bateram de frente em outro veículo que vinha em sentido oposto.

Os corpos das freiras estão sendo velados na paróquia de Mucajaí e logo trazidos à capital do estado, para o sepultamento. A Casa Regional das Irmãs Missionárias da Consolata ainda vai decidir se o corpo de Ana Elinda será trasladado para a Colômbia, onde mora a família. 

O bispo de Roraima, dom Roque Paloschi, emitiu uma nota de pesar sobre o falecimento das freiras. Leia a nota abaixo:  

 

DIOCESE DE RORAIMA - NOTA DE FALECIMENTO

 Com o coração cheio de emoção e saudade, mas sustentado pela fé no Deus da Vida e pelo amor misericordioso do Ressuscitado, a diocese de Roraima se une ao Instituto das Irmãs Missionárias da Consolata no anúncio doloroso do falecimento das Irmãs: Ana Elinda Gonçalves Lara e Amélia Gil Diaz, acontecido tragicamente, dia 14 de dezembro de 2009, por volta das 7 horas da manhã, na BR 174, perto da cidade de Mucajaí – RR.

As duas irmãs trabalhavam nesta diocese, em profunda comunhão com todos os outros agentes de pastoral: alegria e doação no serviço a Deus e aos irmãos marcavam seu testemunho missionário.

A Ir. AMÉLIA GIL DIAZ, colombiana, nascida a 04 de outubro de 1943, religiosa no Instituto das Irmãs Missionárias da Consolata, chegou à missão na Amazônia em 1982. Trabalhou em Boa Vista e Manaus e, desde 2004 vivia sua missão na Paróquia Nossa Senhora de Fátima em Mucajaí – RR.

A Ir. ANA ELINDA GONÇALVES LARA, colombiana, nascida a 27 de dezembro de 1964, religiosa no Instituto das Irmãs Missionárias da Consolata, chegou em Roraima em 2003 e vivia sua missão na Paróquia Nossa Senhora de Fátima em Mucajaí – RR.

A Igreja de Roraima é chamada a viver, mais uma vez, a experiência da paixão e completar “em sua própria carne o que falta à paixão de Cristo para o bem do seu povo”.

E ao mesmo tempo experimenta a confiante certeza de que “nem a morte, nem a vida...nada poderá nos separar do amor de Deus, manifestado em Jesus Cristo, nosso Senhor”.

Na espera e esperança do tempo do Advento, entrega mais uma vez o grão de trigo a terra, na certeza de que “caído no chão e morto” produzirá muitos frutos para nossa Igreja e para o Reino de Deus nestas terras do Rio Branco.

Que Nossa Senhora da Consolata, a Mãe da consolação conforte os familiares, parentes, as nossas comunidades do Mucajaí e de modo particular o Instituto das Irmãs Missionárias da Consolata.



Dom Roque Paloschi

Bispo de Roraima



Boa Vista – RR, 15 de dezembro de 2009

Fonte: CNBB

Nenhum comentário: