sexta-feira, 29 de maio de 2009

CELEBRAÇÃO DO DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE 05/06/09 – a ser celebrado durante o mês de junho


CELEBRAÇÃO DO DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE

05/06/09 – a ser celebrado durante o mês de junho

Tema: “Ecologia, uma questão de fé”

Acolhida:

Irmãs e irmãos, Paz e Bem!

Aqui nos reunimos para celebrar uma data que muitas vezes passa despercebida. E quando é lembrado nas escolas ou pelos movimentos ambientalistas, este dia prati­camente não é celebrado a partir da fé. Mas neste ano o Serviço de Justiça, Paz e Ecolo­gia, o SEJUPE, da Província dos Capuchi­nhos do Rio Grande do Sul quer convidar as fraternidades dos freis e as comunidades para celebrar o Dia Mundial do Meio Am­biente, com o objetivo de recordar que a ecologia está profundamente ligada com a fé cristã. Quem acredita no Deus criador e defensor da vida, não pode fugir do com­promisso com a questão ecológica.

Em 1972 a ONU organizou um encontro mundial em Estocolmo, na Suécia, que pela primeira vez tratou oficialmente sobre o meio ambiente. Nesta ocasião foi instituído o dia 5 de junho como o Dia Mundial do Meio Ambiente, o Dia da Ecologia.

Vamos celebrar esta data e assumir, em nome da nossa fé, o compromisso de defender sem­pre a vida, a criação de Deus.

Perdão:

O mesmo sistema econômico, político e social que degrada o meio ambiente, em nome de um falso desenvolvi­mento, também vem oprimindo e marginalizando as pessoas e provocando guerras e conflitos em várias partes do mundo.

Agora, num momento de silêncio vamos pedir perdão pela nossa omissão, por nossa cumplicidade com tan­tos crimes contra a vida. Num silêncio pro­fundo ouçamos o grito da vida e, em comu­nhão, peçamos perdão ao Deus da criação, da paz e da justiça.

Louvor:

É bom louvar o criador da vida, é bom sen­tir sua misericórdia, é agradável ao nosso coração poder acolher o seu chamado que nos convoca ao serviço de promover a inte­gridade da criação. A exemplo de São Fran­cisco de Assis, cantemos juntos com o ir­mão Sol, a irmã Lua e todas as criaturas, louvando e bendizendo o divino cria­dor.

(cantar: Cântico das Criaturas / do Irmão Sol)

Liturgia da Palavra:

Tendo presente nossa realidade socioambi­ental, busquemos na Palavra de Deus a luz que orienta nossa ação. Junto com a leitura e reflexão do Evangelho, somos convidados a ler a mensagem da CNBB sobre o tema da crise ecológica.

As mudanças climáticas em curso no Pla­neta, provocadas pelo aquecimento global, afetam todas as forma de vida, dentre as quais a vida das populações mais pobres, obrigando-nos a repensar sobre o modelo de sociedade, as matrizes energéticas, os modos de produção e de consumo. Sendo assim, podemos afirmar que humanidade está co­lhendo os frutos do desenvolvimento cen­trado na economia de mercado capitalista, e da ideologia que o acompanha. A primazia do capital, absurda­mente concentrado e monopolista, promove um consumismo que leva as pessoas a pensar que só valem pelo que têm. Por esse cami­nho, os recursos na­turais estão quase esgota­dos, e a poluição da atmosfera faz com que a Terra já não consiga manter em equilíbrio o ambiente da vida. Como resultado, parte sig­nificativa da humanidade não tem acesso aos bens neces­sários à vida, enquanto poucos concentram quase toda a riqueza.

A crise financeira capitalista atual não se reduz aos desajustes financeiros mundiais que, sob o pretexto de evitar a quebra da economia mundial, exige dos governos so­corro aos banqueiros, enquanto que aos po­bres recaem os sacrifícios. Esta crise tem tudo a ver com a crise ecológica e ética que se aprofunda em todos os âmbitos da vida. A humanidade está experimentando uma “mudança de época”. A civilização do ter, do negociar, do concorrer, do lucro a qual­quer custo, do progresso ilimitado, não res­ponde aos anseios da humanidade e não é sustentável.

Por outro lado, vários setores da sociedade se articulam para construir outro mundo, outra civilização, fundada em valores e formas de convivência, que defendem e promovem todas as formas de vida, e que cuidam amorosamente da Terra, mãe da vida, casa comum dos seres humanos. Essa nova atitude, proclamando a esperança dos pobres e ecoando o grito da terra, neste ano, se concretiza, entre outros, no Fórum Social Mundial, em Belém do Pará, na Manifesta­ção Mundial em defesa da Soberania Ali­mentar e no 12º Intereclesial das Comuni­dades de Base, em Porto velho, Rondônia – CEB’s Ecologia e Missão. A Campanha da Fraternidade – a paz é fruto da justiça (Is 32,17) – anuncia a mística de um mundo mais humano, fraterno, solidário e ecoló­gico.

Texto extraído do livro “Mudanças Climá­ticas Provocadas pelo Aquecimento Global: Profecia da Terra”. CNBB, 2009.

Evangelho:

Jo 1, 1-14

Preces:

Confiantes na presença amorosa de Deus, criador e defensor da Vida, elevemos nossas preces em consonância com o que refleti­mos a partir do Evangelho e da mensagem da CNBB sobre mudanças climáticas.

Ofertório:

Ofertamos os frutos da Terra e do trabalho humano, resgatando a dignidade da pessoa e a integridade da criação.

Comunhão:

Partilhamos os frutos da vida, comungamos na esperança e no compromisso de lutar pela justiça, pela dignidade humana e a paz e pela preservação do meio ambiente.

Compromisso:

A Igreja não pode mais se omitir diante das questões ambientais. Enquanto a Igreja não integrar a ecologia em sua ação evangeliza­dora, todo o seu discurso em favor da vida perde o sentido de ser e também fragiliza a sua op­ção pelos pobres. Na mensagem do Dia Mundial da Paz em 2007, Bento XVI afirmou que “a expe­riência demonstra que toda a atitude de des­prezo pelo ambiente provoca danos à con­vivência humana, e vice-versa”.

Propomos um desafio, um compromisso que temos condições de colocar em prática: Criar a Pastoral da Ecologia em nossas comuni­dades e paróquias. Procure a CNBB Sul 3 e veja como iniciar um grupo da Pastoral da Ecologia.

Bênção final:

Neste momento de celebração da vida, o Senhor te envia e te acompanha na missão em defesa da justiça, da paz e da ecologia. O Senhor ilumina o teu caminho para que possas dar firme testemunho de tua fé. Não tenhas medo, leve a paz e o bem por onde for, transmita esperança e exerça com liber­dade e otimismo o serviço do cuidado, da solidariedade e do amor.

Que o Deus criador e defensor da vida te abençoe: Em Nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém!

Serviço de Justiça, Paz e Ecologia – Capuchinhos RS (www.capuchinhosrs.org.br/sejupe)

E-mail do SEJUPE: sejupe@ofmcaprs.org.br

E-mail da Pastoral da Ecologia da CNBB Sul III: pastoraldaecologia.rs@gmail.com