sábado, 6 de fevereiro de 2010

Emocionante noite de gala marca a entrega dos Prêmios de Comunicação da CNBB



  
dana
A noite de gala do Mutirão de Comunicação América Latina e Caribe (Muticom) em Porto Alegre, aconteceu nesta sexta-feira, 5, na PUCRS. Diante de uma multidão de pouco mais de 1500 pessoas, com transmissão ao vivo pelas TVs católicas, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) entregou os prêmios de comunicação – edição 2009.
Durante os intervalos de entrega das premiações, houve momentos de apresentações de danças típicas, com o grupo internacional Os Gaúchos, que fez bonito mostrando a cultura gaúcha e também danças caribenhas. Os prêmios foram entregues por várias autoridades eclesiásticas, entre elas, o presidente do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais, da Santa Sé, o cardeal dom Cláudio Maria Celli, o secretário-geral da CNBB, dom Dimas Lara Barbosa; o presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Cultura, Educação e Comunicação Social, da CNBB, o arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani João Tempesta; a assessora da Comissão, irmã Elide Fogolari; o arcebispo de Porto Alegre, dom Dadeus Grings, dentre outros.
dom_dimasEm sua fala, dom Dimas afirmou que é uma satisfação para a CNBB premiar os destaques da comunicação todos os anos. “A CNBB é muito feliz em entregar esses prêmios para os comunicadores, que fazem um papel muito bonito em nossa sociedade. Nós parabenizamos os premiados de 2009 e continuaremos a premiar aqueles que continuarem com esse trabalho importante que é levar a boa comunicação a todas as pessoas”.
dom_oraniDom Orani também se disse emocionado com a entrega e afirmou que os premiados foram merecedores da noite. “Parabéns aos premiados, parabéns pelo belo trabalho. Vocês merecem essa noite de festa”, sublinhou.



Emoção
nanniMuita emoção marcou a noite quando Rodolfo Nanni, diretor do filme “O Retorno”, subiu ao palco para receber sua Margarida de Prata. O filme conta a difícil vida que leva os nordestinos nos períodos de seca, com pouco dinheiro e falta de oportunidades para levar adiante a própria vida. O diretor se emocionou e afirmou estar recebendo o mais comovente prêmio de sua carreira. “Já recebi outros prêmios com esse filme, mas confesso que a Margarida de Prata é a mais importante de todas elas”, frisou. Nanni também afirmou que seu filme foi um projeto social e cobrou das autoridades governantes do país, mais esforço para cuidar do povo nordestino. “Me dediquei a este filme como quem se dedica a um projeto social. É preciso olhar pelo povo do Nordeste que foi esquecido pelos governantes, pois eles necessitam muito”, completou.
mrio_magalhesTambém emocionou a fala do vencedor do Prêmio Dom Helder Câmara de Imprensa, o jornalista da Folha de São Paulo, Mário Magalhães, que levou a estatueta Dom Helder com a reportagem Os anti-heróis. A grande reportagem narra a vida dos cortadores de cana no interior de São Paulo. “Agradeço a CNBB pelo reconhecimento deste trabalho. Agradeço à Folha de São Paulo por ter publicado em oito páginas essa reportagem. Quero dizer aqui que a escravidão ainda existe no Brasil, da forma mais escancarada que nós imaginamos e é preciso acabar com isso. Não é mais admissível que as pessoas tenham que ser escravas para poderem viver”, desabafou o jornalista. Magalhães dedicou o prêmio a dom Helder Câmara e ao frade dominicano que lutou contra a ditadura militar da década de 1960, no Brasil, frei Tito Alencar de Lima.

Fonte CNBB

Nenhum comentário: