domingo, 6 de junho de 2010

Bíblia: Fonte da Catequese


É impossível compreender exatamente o que seja a catequese, sem compreender profundamente a Palavra de Deus. O Diretório Nacional de Catequese nos diz: "É preciso que a catequese seja alimentada e dirigida pela Sagrada Escritura. É tão grande a força e virtude da Palavra de Deus que fornece à Igreja a solidez da fé, o alimento da alma, fonte pura e perene da vida espiritual. A própria Escritura testemunha: A "Palavra de Deus é viva e eficaz" ( Hb 4,11). A Bíblia é, pois o primeiro livro de catequese...

1° - POR SUA ORIGEM E NATUREZA


Antes da Bíblia ser escrita, Israel encontrou-se com seu Deus e alimentou sua vida de fé numa longa (experiência comunitária de luta pela sua sobrevivência e dignidade. Nesta experiência vai despontando o jeito catequético de Deus através do qual Israel foi aprendendo:
* a ver Deus no centro de sua história e da vida de cada um;
* a não tomar absoluto o que é relativo, seja pessoa, instituição, normas. Foi aprendendo a adorar só a Deus:
* Israel foi aprendendo a desinstalar-se, a fazer caminho:
* Colocar-se numa atitude de constante conversão, apesar das inúmeras  caídas.
Através desta longa experiência podemos comparar a Bíblia com uma máquina de costura que vai costurando a aliança de Deus com o povo e do povo com Deus. O carretel de linha é o mistério do amor de Deus que vai penetrando os orifícios de nossa vida. A canelinha somos nós que devemos corresponder à penetração da agulha de Deus em nossa vida. O importante é firmar o ponto e não afrouxar a costura senão vamos franzir a nossa vida cristã. Através de nossa liberdade podemos cortar a linha e quebrar a aliança com Deus... A catequese é a constante costura que fazemos com Deus. Não se faz roupa apenas em alguns momentos da vida. Daí a importância da catequese e de sua formação permanentes.
Depois de muito tempo, por inspiração de Deus, Israel vai pondo por escrito aspectos marcantes desta experiência vivida à luz da fé. A vivência suscita os escritos. Na catequese de Deus os fatos precedem as escritas. E a grande pedagogia da Bíblia. Os escritos que vão surgindo mantêm viva e aprofundam a fé através de releituras posteriores provocadas pelos fatos novos.
Diz o Diretório Nacional de Catequese: "O texto sagrado nasceu em experiência comunitária: foi o processo que o próprio Deus escolheu para se comunicar. É função do texto bíblico alicerçar e vivificar a comunidade dos que crêem, fazendo crescer a unidade da Igreja, que não é uniformidade, mas deriva de um espírito básico de comunhão... A Bíblia nasceu na e para a comunidade de fé. Ela será vista em suas perspectivas mais importantes só quando relacionada com a comunidade" (DNC 177: 185).
Uma das características da Catequese renovada e ratificada no Diretório Nacional de Catequese é a "Interação fé-vida”: O conteúdo da catequese compreende dois elementos que se interagem: a experiência da vida e a formulação da fé. A afirmação do princípio da interação é a recusa do nocionismo intelectualista e do dualismo na catequese. A interação entre fé e vida é a tarefa principal, a arte do catequista e seu constante desafio diante das situações concretas" (DNC 26). Esta interação não pode ser de palavra, igual óleo e no copo. Só se mistura quando é remexido. Deve ser a interação do óleo e da água na panela quente para cozinhar o arroz. Uma vez misturados, não se separam mais. Toda a Palavra de Deus é esta grande interação entre fé e vida.

2° - POR SEU CONTEÚDO


A Bíblia nos traz valiosos testemunhos de mulheres e homens que testemunham o quanto tiveram consciência de que Deus é parceiro e está no centro da caminhada De tudo isto a Bíblia é fruto e história.
A Sagrada Escritura é, ao mesmo tempo, testemunho oficial e orientação autorizada do período fundador da nossa comunidade de fé. Por isso mesmo a Bíblia é livro catequético por excelência.
Na Bíblia, não existem textos sem valor, banais, mesmo que às vezes a gente tenha esta impressão. Eles têm seus valores, ainda que ocultos. Daí a necessidade de boa formação bíblica para percebermos qual catequese está por trás de tais textos. Para isto é importante dar bastante atenção ao texto. Evitar a ânsia de nos servirmos do mesmo texto para expor nossas idéias, não prestando atenção ao que ele tem anos dizer. E bom lembrar também que possíveis dificuldades que tivermos com alguns textos elas não podem nos desviar do verdadeiro referencial da Bíblia: o mistério da vida, da História, do Deus sempre imprevisível que não se deixa manipular.

3º - POR SUA PEDAGOGIA


A Revelação de Deus se realiza neste processo interativo entre Ele e seu povo... Pedagogicamente, Ele usa expressões profundamente humanas, parte da experiência do Povo, do que sabe a respeito de Deus, como aconteceu com Moisés, que já Conhecia o Deus de Abraão, Isac e Jacó e a quem é revelado. um dado fundamental a mais "Eu sou aquele que sou que é presença permanente no meio do povo"(DNC 239).
A pedagogia de Deus é a revelação progressiva através de palavras acontecimentos na caminhada do povo. Nada pronto de cima para baixo. Na medida em que o povo caminhava ia reavaliando suas reflexões e ações, numa linha progressiva.
A pedagogia bíblica é a reflexão na caminhada. Nada de receitas prontas. Na medida que a
comunidade caminha, reavalia reflexões e soluções do passado, às vezes corrigindo-as. É o caso, por exemplo, da responsabilidade pessoal.
A pedagogia bíblica nos ajuda a ver problemas e nos mostra que suas soluções estão na comunidade de fé, onde aprendemos a traduzir em oração e em catequese tudo o que acontece: alegria, dores, esperanças. Neste sentido é importante o uso de uma linguagem simbólico-cultural, que situam catequista e catequizando em sua cultura.

 II - CATEQUESE DOS LIVROS SAGRADOS


O desafio para nós é como usar os livros sagrados na catequese. Isto não se dá de uma vez. É através de nossa intimidade, da leitura obediente e orante da Palavra. Cada um dos livros da Bíblia é portador de valiosas contribuições. Vejamos, a título de exemplo alguns livros da Bíblia:
O livro do Êxodo mostra a espiritualidade da caminhada, deserto, abanca, experiência de Deus na fraqueza e na falta de tudo. Mostra a libertação e a esperança do povo.
O livro dos Salmos nos educa para a oração imersa na vida, oração feita de louvor, súplica,memória, agradecimento, queixas.
O livro do Eclesiastes. Neste ano vamos trabalhar no mês da Bíblia o livro do Eclesiastes. Este livro significa comunidade. Seu autor (a) tem um jeito de argumentar que provoca o leitor. Ele nos convida a pensar no sentido da vida, participar no processo da descoberta da verdade. O livro não impõe verdades, mas aponta caminhos, mostrando que um outro mundo só é possível com a participação de todos. O livro do Eclesiastes é uma grande catequese diante da vida.
Os livros do Profetas. Eles são os grandes catequistas de Israel, animadores da esperança. Eles são os catequistas incansáveis diante da infidelidade e fidelidade humanas. Não se casam de denunciar e anunciar, mostrar o sentido da história.
O uso dos livros da Bíblia na catequese deve levar em conta alguns critérios:
* Linguagem dos textos;
* Experiência de vida do catequizando;
* Maturidade de fé do catequizando;
* Prioridades: tudo na Bíblia pode ser valioso, mas nem tudo é igualmente    importante aqui e agora.
O próprio processo de formação da Bíblia mostra que cada comunidade se fixava mais no que era prioritário. Existem sugestões de seleção de textos bíblicos a partir dos períodos sensíveis na idade evolutiva.
O que não pode faltar na formação bíblica do (a) catequista é o seu contato diário com a Bíblia. Diz o Frei Carlos Mesters que há um segredo para nós ficarmos por dentro da Bíblia: "Ler a Bíblia, ler a Bíblia, ler a Bíblia..."
Nesta leitura paciente da Bíblia, juntamente com os encontros de formação bíblica devemos ficar atentos:
1. O contexto do texto;
2. A ligação do texto com a comunidade-realidade;
3. Seus personagens;
4. Como o texto ilumina e questiona a nossa catequese;
5. O que o texto nos leva a falar com Deus.
 
Fonte: Movimento Boa Nova

Nenhum comentário: