sexta-feira, 16 de julho de 2010

Ampliada Nacional das CEBs deve definir tema para 13° Intereclesial

  Tatiana Félix *
A Diocese da cidade do Crato, na região do Cariri, no Ceará, recebe a partir de amanhã (16) cerca de 60 representantes das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) e das regionais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para a I Ampliada Nacional das CEBs. O encontro, que segue até o próximo dia 20, deve definir o tema e o lema do 13° Intereclesial das CEBs que acontecerá na cidade cearense, de 23 a 27 de julho de 2013.
De acordo com Vilecir Vidal, coordenador geral da equipe ampliada nacional das CEBs, o tema deve abordar a questão das romarias do povo de Deus. "Discutir o tema da romaria tem a ver com a região, já que em Juazeiro [cidade cearense onde padre Cícero viveu e próxima de Crato] tem muita romaria popular, e ainda, confirma a missão do Povo de Deus, que se organiza na caminhada. A igreja de base é peregrina, tem vida em romaria", explicou.
Além de definirem o tema para o 13° Intereclesial, os participantes devem realizar, no sábado (17), uma análise de conjuntura, com base nos documentos resultantes da 48ª Assembleia Geral dos Bispos da CNBB, que aconteceu em maio deste ano, em Brasília, Distrito Federal. Outro assunto prioritário que deve ser abordado é a Missão Intercontinental, que propõe nova forma de evangelização na América Latina.
Já na manhã de domingo (18), será feita uma visita romeira à Juazeiro, na qual os participantes visitarão os locais onde, provavelmente, serão realizadas as plenárias do 13° Intereclesial, segundo informou Vilecir. No período da tarde, haverá uma reunião que definirá o tema e o lema para o evento de 2013.
No dia seguinte, segunda-feira (19) serão elaborados os encaminhamentos para o Intereclesial. A programação inclui ainda a preparação dos projetos e campanhas que devem ser realizadas em torno do encontro de 2013.
Segundo Vilecir, a partir desta Ampliada, começarão a ser definidas também, as equipes que organizarão o 13° Intereclesial. Essas equipes são compostas por agentes pastorais das paróquias e dioceses do Ceará, regional Nordeste 1 da CNBB. A I Ampliada Nacional das CEBs encerra na terça-feira, dia 20, com a realização da chamada Missa do Padre Cícero, que acontece sempre no dia 20 de cada mês.
O coordenador finalizou explicando que as Comunidades de Base discutem a espiritualidade na dimensão da romaria e que a sintonização com a Missão Intercontinental confirma o papel das CEBs, como comunidade missionária, mantendo sua missão em caráter permanente.
Como será sede do 13° Intereclesial das CEBs, a Diocese do Crato está à frente da coordenação e organização do evento. O anfitrião dos encontros é o bispo da Diocese do Crato, Dom Fernando Panico.
Fonte: www.adital.com.br
Fonte: revista Missões

Um comentário:

SOS DIREITOS HUMANOS disse...

DENÚNCIA: SÍTIO CALDEIRÃO, O ARAGUAIA DO CEARÁ – UMA HISTÓRIA QUE NINGUÉM CONHECE PORQUE JAMAIS FOI CONTADA

“As Vítimas do Massacre do Sítio Caldeirão
têm direito inalienável à Verdade, Memória,
História e Justiça!” Otoniel Ajala Dourado

O MASSACRE DELETADO DOS LIVROS DE HISTÓRIA

No município de CRATO, interior do CEARÁ, BRASIL, houve um crime idêntico ao do “Araguaia”, foi a CHACINA praticada pelo Exército e Polícia Militar em 10.05.1937, contra a comunidade de camponeses católicos do SÍTIO DA SANTA CRUZ DO DESERTO ou SÍTIO CALDEIRÃO, cujo líder religioso era o beato “JOSÉ LOURENÇO GOMES DA SILVA”, paraibano negro de Pilões de Dentro, seguidor do padre CÍCERO ROMÃO BATISTA, encarados como “socialistas periculosos”.

O CRIME DE LESA HUMANIDADE

O crime iniciou-se com um bombardeio aéreo, e depois, no solo, os militares usando armas diversas, como metralhadoras, fuzis, revólveres, pistolas, facas e facões, assassinaram na “MATA CAVALOS”, SERRA DO CRUZEIRO, mulheres, crianças, adolescentes, idosos, doentes e todo o ser vivo que estivesse ao alcance de suas armas, agindo como juízes e algozes. Meses após, JOSÉ GERALDO DA CRUZ, ex-prefeito de Juazeiro do Norte/CE, encontrou num local da Chapada do Araripe, 16 crânios de crianças.

A AÇÃO CIVIL PÚBLICA PROPOSTA PELA SOS DIREITOS HUMANOS

Como o crime praticado pelo Exército e Polícia Militar do Ceará é de LESA HUMANIDADE / GENOCÍDIO é IMPRESCRITÍVEL conforme legislação brasileira e Acordos e Convenções internacionais, a SOS DIREITOS HUMANOS, ONG com sede em Fortaleza – CE, ajuizou em 2008 uma Ação Civil Pública na Justiça Federal contra a União Federal e o Estado do Ceará, requerendo: a) que seja informada a localização da COVA COLETIVA, b) a exumação dos restos mortais, sua identificação através de DNA e enterro digno para as vítimas, c) liberação dos documentos sobre a chacina e sua inclusão na história oficial brasileira, d) indenização aos descendentes das vítimas e sobreviventes no valor de R$500 mil reais, e) outros pedidos

A EXTINÇÃO SEM JULGAMENTO DE MÉRITO DA AÇÃO

A Ação Civil Pública foi distribuída para o Juiz substituto da 1ª Vara Federal em Fortaleza/CE e depois, para a 16ª Vara Federal em Juazeiro do Norte/CE, e lá em 16.09.2009, extinta sem julgamento do mérito, a pedido do MPF.

RAZÕES DO RECURSO DA SOS DIREITOS HUMANOS PERANTE O TRF5

A SOS DIREITOS HUMANOS apelou para o Tribunal Regional da 5ª Região em Recife/PE, argumentando que: a) não há prescrição porque o massacre do SÍTIO CALDEIRÃO é um crime de LESA HUMANIDADE, b) os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO não desapareceram da Chapada do Araripe a exemplo da família do CZAR ROMANOV, que foi morta no ano de 1918 e a ossada encontrada nos anos de 1991 e 2007;

A SOS DIREITOS HUMANOS DENUNCIA O BRASIL PERANTE A OEA

A SOS DIREITOS HUMANOS, como os familiares das vítimas da GUERRILHA DO ARAGUAIA, denunciou no ano de 2009, o governo brasileiro na Organização dos Estados Americanos – OEA, pelo DESAPARECIMENTO FORÇADO de 1000 pessoas do SÍTIO CALDEIRÃO.

QUEM PODE ENCONTRAR A COVA COLETIVA

A “URCA” e a “UFC” com seu RADAR DE PENETRAÇÃO NO SOLO (GPR) podem localizar a cova coletiva, mas não o fazem porque para elas, os fósseis de peixes do “GEOPARK ARARIPE” são mais importantes que as vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO.

A COMISSÃO DA VERDADE

A SOS DIREITOS HUMANOS em julho de 2010 passou a receber apoio da OAB/CE através do presidente da entidade Dr. Valdetário Monteiro, nas buscas da COVA COLETIVA das vítimas do Sítio Caldeirão, e continua pedindo aos internautas divulguem a notícia, bem como a envie para seus representantes no Legislativo, solicitando um pronunciamento exigindo do Governo Federal a localização da COVA COLETIVA das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO.

Paz e Solidariedade,

Dr. Otoniel Ajala Dourado
OAB/CE 9288 – 55 85 8613.1197
Presidente da SOS – DIREITOS HUMANOS
Editor-Chefe da Revista SOS DIREITOS HUMANOS
Membro da CDAA da OAB/CE
http://www.sosdireitoshumanos.org.br
sosdireitoshumanos@ig.com.br
http://twitter.com/REVISTASOSDH