quarta-feira, 7 de julho de 2010

Reunião do CIMI debate projeto que cria rede de Rádios na Amazônia

Cimi1Está reunida em Luziânia (GO), de 7 a 10, a direção do Conselho Indigenista Missionário (CIMI) para refletir a questão indígena no Brasil e preparar o lançamento do relatório anual sobre as violências sofridas pelos povos indígenas no país, que será divulgado na próxima sexta-feira, 9, na sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em Brasília.
Aproveitando a reunião do Conselho, os padres franciscanos, Fernando Lopez e Guilhermo Cardona, e o técnico em comunicação, Hugo Ramírez, representando a entidade equatoriana criada para integrar e educar, via rádio, as comunidades amazônicas, Asociación Latinoamericana de Educación Radiofónica (ALER), apresentaram o projeto “Rádio Barco Amazônico”.
O projeto consiste na formação de uma rede de rádios, via satélite, com 40 rádios cadastradas nas fronteiras amazônicas (Equador, Colômbia, Venezuela, Brasil, Bolívia e Peru), para que os povos dessas regiões conheçam o que acontece em cada lado das fronteiras e  troquem informações, como questões climáticas e florestais, migração dos peixes, queimadas, entre outros.
Cimi3
“O que queremos é favorecer o processo de comunicação dos povos pan-amazônicos, aproveitando as plataformas multimídias (rádios, internet, TV’s), e viabilizando os discursos dos indígenas, ribeirinhos e periferias das cidades amazônicas, fazendo com que esses assuntos sejam debatidos, que entrem na reflexão pública e incidam na agenda do planeta”, afirmou Hugo Ramírez.
cimi22
O padre Fernando Lopez destaca a criação do projeto “Rádio Barco Amazônico”, fala da fragmentação social na Amazônia e da rede de rádios itinerantes.
“A fragmentação social na Amazônia é algo gigantesco, que deve ser sanado para que os povos amazônicos tenham voz. Seus questionamentos são muito importantes para o crescimento homogêneo do Brasil e dos outros países envolvidos. Assim, as equipes itinerantes ou móveis, que a princípio serão quatro, atuarão entre as fronteiras e as comunidades. Cada equipe será composta por um técnico em comunicação, via satélite, e um produtor. Chegando à comunidade, a equipe monta uma base, transmite o programa, ouve as comunidades, desmonta a base e segue para outra localidade”, explicou.
Para saber mais sobre o projeto “Rádio Barco Amazônico”, acesse www.aler.org ou clique aqui!

Lançamento

O lançamento do relatório que trata da violência contra os povos indígenas 2009 será na sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), às 15h, com a presença do presidente e vice-presidente do Cimi, respectivamente, dom Erwin Krautler e Roberto Antônio Liebgott; da doutora em Antropologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Lúcia Helena Rangel , coordenadora da pesquisa, e representantes do conselho da entidade.
Fonte:CNBB

Nenhum comentário: