terça-feira, 16 de novembro de 2010

Natal e Missão


 
Caros(as) Animadores(as) de Pequenas Comunidades, olá!
Pe. Ronildo assessor diocesano das CEBs

Chega em suas mãos o material que deverá ajudar toda a comunidade a se preparar para o Natal do Senhor. É apenas um instrumento para reunir as pessoas e as famílias. Sabemos que CEBs é muito mais que este livretinho. CEBs é uma maneira de ser Igreja nos grupos pequenos e diariamente. Há alguns que expressam que dia tal é dia de CEBs. Na verdade esta pessoa não entendeu ainda que CEBs é 24 horas por dia, 30 dias por mês e 365 dias por ano. Ou seja, a todo momento e em toda circunstância terá alguém em nome do Evangelho, na força do Ressuscitado, no dinamismo do Espírito e na realidade criativa do Reino para fazer acontecer a experiência de Deus em comunidade.
O Documento de Aparecida propõe a refl exão sobre Reino de Deus, justiça e caridade cristã, afirmando que são sinais evidentes da presença de Deus a vivência pessoal e comunitária das bem-aventuranças, a evangelização dos pobres, o conhecimento e cumprimento da vontade do Pai, o martírio pela fé, o acesso de todos aos bens da criação, o perdão mútuo, sincero e fraterno, aceitando e respeitando a riqueza da pluralidade e a luta para não sucumbir à tentação e não ser escravo do mal (383). Também afi rma ser urgente criar estruturas que consolidem uma ordem social, econômica e política nas quais não haja iniquidade e onde haja possibilidades para todos (384). Podemos, ainda, ler que a Igreja tem como missão própria e específica comunicar a vida de Jesus Cristo a todas as pessoas, anunciando a Palavra, administrando os sacramentos e praticando a caridade, que se mostra mais nas obras que nas palavras (386). Santo Alberto Hurtado diz “Em nossas obras, nosso povo sabe que compreendemos sua dor” (386).
Se crermos que a Paróquia é Comunidade de Comunidades, devemos promover uma ação pastoral que torne isso uma realidade efetiva. Vemos, por experiência, que as Pequenas Comunidades são caminho direto para relações pessoais e interpessoais, especialmente junto aos jovens, famílias e afastados. A renovação
da Paróquia (172) poderá passar por uma nova mentalidade de uma Igreja com experiência de vida na base, mais próxima ao povo, formando novas lideranças e provocando vivências concretas diante da fé e da ação social. CEBs – uma proposta de Igreja nas casas. Pense nisso.
Reunindo-se ao redor da Palavra de Deus e da Eucaristia e outros sacramentos (175), quando possível, a Paróquia poderá realizar melhor sua missão, e as CEBs favorecem alcançar este grande e único objetivo da Igreja – evangelizar. Por isso, que tal trabalharmos melhor a CENTRALIDADE DA PALAVRA em nossos encontros, criarmos escolas que ajudem a formar cristãos comprometidos com sua fé (178) e permitirmos o povo a chegar a um conhecimento maior da Palavra de Deus, ao compromisso social em nome do Evangelho, ao seguimento de novos serviços leigos e a educação da fé dos adultos? (178)
A Igreja existe “para fora” e não para si mesma!

Pe. Ronildo, assessor diocesano das CEBs
(Comunidades Eclesiais de Base)

Nenhum comentário: