terça-feira, 16 de novembro de 2010

Roteiro desta novena - 2010 - diocese de São josé dos Campos - SP



O esquema que segue é uma sugestão adaptada do Ofício Divino das Comunidades com os seguintes elementos:
Chegada
O lugar da celebração - penumbra, clima de silêncio ... – favorece a entrada na própria casa, o encontro consigo mesmo(a), o centrar o coração e a mente no Senhor, com os irmãos e irmãs. Um pequeno refrão contemplativo às vezes ajuda. Em cada roteiro há uma sugestão, mas pode-se escolher outro. Não se trata ainda da abertura, mas de possibilitar um tempo de quietude, de oração pessoal que prepara o louvor comunitário.

Acendimento da vela
Uma das imagens do Advento é a lâmpada acesa. Tal imagem evoca vigilância, que é a atitude fundamental do Advento. Estando para iniciar a celebração - diziam os rabinos -, disponha-se a “acender o candelabro de Deus em seu coração, a retomar o caminho da misericórdia e a reavivar a alegria da gratidão”. Em nosso roteiro está previsto que a cada dia da novena se acenda uma vela. Cada dia, o ofício começa com o gesto de acendimento da vela, acompanhado de uma bênção (uma vela no 1º dia, duas no 2º e assim por diante).

Abertura
Alguém entoa os versos e todos repetem. São versos bíblicos de invocação a Deus e de convite para o louvor inspirados no salmo 70(69), os quais já nos põem em sintonia com a memória que vamos fazer da espera do Senhor.

Recordação da vida
O nosso roteiro traz uma pequena introdução, convidando para a recordação da vida, que não é nem refl exão de um tema, nem momento das preces, e sim memória de fatos, pessoas - reconhecidas como manifestações da vinda do Senhor - ou situações que precisam ser mudadas.

Hino
Não é um salmo, nem um cântico bíblico, ainda que seja inspirado na Bíblia. Destinado ao louvor de Deus, o hino expressa o sentido da hora, da festa ou do tempo litúrgico (cf. Instrução Geral sobre a Liturgia das Horas, n. 173). Sugerimos um mesmo hino para marcar a novena - “Ó vem a nós, Emanuel” -, mas há outras opções no fi nal do livro.

Salmodia
Os salmos são a referência primeira do nosso clamor e louvor.
Cantou os salmos o povo de Deus da primeira aliança, e fi zeram dele expressão da sua oração Jesus, Maria, os apóstolos, as primeiras comunidades cristãs. Cantando os salmos, unimos nossa voz ao clamor dos oprimidos e ao louvor de todos os redimidos para bendizer a Deus que abre os céus e faz
chover o Salvador.
Introduz o salmo: um versículo do Novo Testamento e uma pequena introdução fazem referência ao contexto do salmo e o atualizam. As antífonas ou refrões conferem matiz particular ao salmo, ajudando a compreender o seu sentido em relação ao mistério que celebramos. Um(a) cantor(a) entoa o salmo e a comunidade participa alternando em dois coros. No fi nal, há um tempo de silêncio; alguém pode repetir um verso que chamou a atenção.
Entre uma repetição e outra, há uma pequena pausa para a escuta e a oração.

Leitura bíblica
Há para cada dia uma pequena leitura bíblica ligada ao sentido da celebração.
Cântico de Maria
O Cântico de Maria dá graças ao Pai por sua manifestação na história.
Seguido da “antífona do Ó”, é um momento alto do ofício, pois não só menciona Jesus Cristo, como também anuncia a sua chegada.

Preces
Alguém faz o convite e propõe a resposta, de preferência cantada. Após as intenções que constam no texto, as pessoas podem apresentar espontaneamente as suas preces. No fi nal, todos recitam ou cantam o Pai-Nosso, acrescentando: Pois vosso é o Reino, poder e a glória para sempre, como faziam as comunidades dos primeiros séculos e como sinal de comunhão com as Igrejas evangélicas que mantêm o costume de rezar assim. Desse modo, cumprimos nossa vocação de interceder pela humanidade, como povo sacerdotal, retomando a insistente súplica da Igreja: “Vem, Senhor, Jesus”.

Bênção
O ofício se conclui com uma bênção. Depois da bênção, o(a) dirigente despede a assembleia convidando-a a prolongar o louvor nos afazeres da vida: “Bendigamos ao Senhor... “Quer dizer:” Continuemos a bendizer ao
Senhor com a nossa vida, em cada situação concreta...”. A comunidade responde afi rmativamente e invoca a ajuda de Deus sobre todos, até mesmo para os irmãos e irmãs ausentes.

Nenhum comentário: