quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

A Missão contagia os Leigos Missionários da Consolata no Brasil - LMC

A convocação para a Missão não é dirigida apenas aos padres, aos bispos, aos religiosos ou às religiosas. Todos os batizados são chamados por Deus, de quem recebem uma missão. Essa visão abre caminhos para os leigos e leigas na história dos missionários e missionárias da Consolata atuando em 26 países de quatro continentes. São homens e mulheres do povo de Deus que se identificam com o carisma da Missão ad gentes, um legado do Bem-aventurado José Allamano, fundador das duas congregações para a evangelização dos povos, presentes há mais de 70 anos no Brasil.
Com o objetivo de favorecer a comunhão entre as várias comunidades de Leigos Missionários da Consolata - LMC, aprofundar o carisma e pensar a missão, realizou-se entre os dias 3 e 5 de dezembro, em São Paulo, o I Encontro Nacional dos LMC do Brasil. O encontro reuniu no Recanto Consolata, casa situada na Zona Norte da capital paulista, cerca de 60 pessoas das comunidades de Jandira, São Miguel Paulista, Votuporanga, São Manuel, Jardim São Bento e São Paulo, no estado de São Paulo, da cidades do Rio de Janeiro e Curitiba no Paraná.

Para o casal Luiz e Fátima Bazeggio que já fizeram uma breve experiência de missão no Sertão da Bahia, o Encontro "foi um tempo de graça, pois o clima era de comunhão fraterna e de alegria contagiante. Cada leigo que chegava trazia na bagagem o entusiasmo e a vontade de conhecer a história e a experiência dos diversos grupos que estão a caminho, vivendo a realidade do carisma missionário do Bem-aventurado José Allamano", avaliaram. Segundo Janice S. Oliveira, "a confraternização motivou a caminhada, mas deveríamos acrescentar mais um dia ao Encontro ou diminuir as discussões para um maior aprofundamento dos temas", sugeriu. "Faltou mais momentos de espiritualidade segundo as lições do Fundador", concluiu.
A programação reservou espaço para a convivência, estudo, partilha e celebrações. Falando sobre o carisma, Irmã Maria Costa, que há mais de quinze anos acompanha a formação dos LMC afirmou que "alguns esperam ter sucesso para se entusiasmar. Mas é preciso entusiasmo para modificar as coisas ao nosso redor. É preciso estar apaixonado por uma causa, um objetivo. De tal forma que em pouco tempo, todos estarão seguindo um mesmo sonho e lutando para concretizá-lo", explicou. "A dica, portanto, para quem quer ter carisma é: apaixonar-se por tudo o que se faz", afirmou a religiosa que trabalha na Animação Vocacional. "O carisma como dom de Deus aos fundadores é uma realidade viva e dinâmica, com a capacidade de tomar novas dimensões. Em contato com as diversas culturas, o carisma se enriquecendo, sem perder seus princípios básicos. Doado à Igreja o carisma não pode fechar-se numa congregação, mas atinge a sua plenitude quando é partilhado com os leigos", explicou. Dessa forma, "o carisma do Allamano, transmitido a seus filhos e filhas, torna-se o carisma dos padres e irmãos missionários, das Irmãs e dos leigos e leigas", arrematou Irmã Maria.
Aprofundando a reflexão, organizados em grupos, os participantes indicaram características que identificam o LMC, dentre as quais, destacaram a missão ad gentes além fronteiras, o espírito de família, a Eucaristia, a veneração por Maria Consolata, a paixão e o entusiasmo pela missão. Destacou-se ainda a perseverança, a humildade, saber reconhecer e respeitar o diferente.
A seguir, padre Jaime Carlos Patias, diretor da revista Missões refletiu sobre a importância da formação, o valor da identidade e o compromisso com a missão. "Sem formação não chegaremos muito longe. Podemos até fazer coisas simples, mas se não tivermos pessoas preparadas, não chegaremos ao objetivo principal do carisma que é a missão ad gentes", afirmou o padre Patias recordando que "ser LMC é uma vocação que leva a um estilo de vida, num processo de formação. Implica num compromisso direto com a obra de evangelização da Igreja", destacou. O religioso que acompanha a formação dos LMC fez um apelo para que os cursos, os documentos da Igreja sobre o tema e as publicações sejam mais aproveitados.

Uma das preocupações dos LMC no Brasil é organizar uma missão planejada e realizada em conjunto. Levantando possíveis lugares para desenvolver esse trabalho missionário foram indicados a Casa de Permanência para a Terceira Idade, em São Miguel Paulista, SP, as Comunidades na periferia do Rio de Janeiro e os povos indígenas em Dourados, no Mato Grosso do Sul. Essas possibilidades serão estudadas por uma comissão em vista de um futuro projeto.
A missa do sábado, dia 4, marcou a celebração do Centenário da Fundação das missionárias da Consolata (1910 - 2010) e contou com a presença de um grupo de Irmãs, dentre elas a superiora regional, Irmã Edite Cobalchini, que manifestou sua alegria em ver "tantos leigos e leigas querendo dar continuidade à obra começada pelo Fundador, somando forças na vivência do carisma". Padres e seminaristas também estiveram no local para dar apoio. Padre Lírio Girardi, superior regional do IMC revelou que sonha ver um "grupo de LMC partindo para a Bolívia, para a Amazônia e quem sabe, para um país da África. O caminho feito com Deus só pode dar futuros", avaliou.
Segundo os LMC os maiores desafios são a formação, a preparação, conciliar o trabalho e a família com a missão, manter as comunidades animadas, as condições financeiras, a saúde, o envolvimento na pastoral e o envio para a missão além fronteiras.
De acordo com a organização, a partir das decisões tomadas na Assembleia Continental que reuniu em São Paulo, no mês de janeiro de 2010, leigos, leigas, padres e irmãs do Continente, começou uma caminhada que reúne todas as comunidades LMC no país. Nesse sentido, foram estabelecidos dois encontros por ano, um no mês de junho dedicado à formação e outro em novembro para avaliar, programar e celebrar a caminhada. Fabricia Paes, uma das coordenadoras dos trabalhos, irá representar os LMC Brasil no Encontro Internacional a ser realizado em Roma, no mês de janeiro 2011. Seguindo uma dinâmica, no final dos trabalhos os LMC reafirmaram seu compromisso de continuar a formação no carisma e receberam o Envio Missionário.
Fonte: Revista Missões

Nenhum comentário: