sábado, 6 de março de 2010

Celam reforça necessidade de articulação da Pastoral da Comunicação


Reunião em BogotáTerminou nesta sexta-feira, 5, a reunião dos responsáveis pelo Setor de Comunicação Social das Conferências Episcopais da América Latina e Caribe. Convocada pelo Departamento de Comunicação do Conselho Episcopal Latinoamericano (Celam), a reunião teve início na quarta-feira, 3, na sede da Conferência dos Bispos da Colômbia, em Bogotá, e contou com a participação de 25 pessoas, de 13 países.
A reunião teve como objetivo “discutir a importância da comunicação para a vida da Igreja e do ministério pastoral”. “Nosso desejo é fortalecer nossas relações, trocar experiências, partilhar com os assessores do departamento de comunicação e conhecer os projetos e programação das diversas organizações católicas de comunicação”, explica o secretário do Departamento de Comunicação e de Imprensa do Celam, padre Carlos Arturo Quintero Gómez.
O tema “pastoral da comunicação” foi debatido pelos comunicadores que expuseram as experiências realizadas em seus países. Segundo o padre Antonio Gutiérrez Montaño, de Guadalaja (México), é preciso ter clara a inter-relação entre pastoral e comunicação.
“A comunicação não é um setor da pastoral, mas uma dimensão que envolve toda a ação pastoral”, disse Montaño. “Que a comunicação esteja na pastoral, porque sem comunicação não há pastoral. A comunicação é o sangue do organismo que chamamos pastoral”, acrescentou.
A conversão pastoral e a missão continental também foram temas discutidos pelos participantes do encontro. Debateram também sobre o Dia Mundial das Comunicações. Segundo Quintero, é necessário intensificar a articulação da pastoral da comunicação entre as Conferências Episcopais da América Latina e Caribe. Para atingir esta meta, ele apresentou uma série de atividades que deverão ser desenvolvidas pelo Departamento de Comunicação do Celam ao longo de 2011 como encontros, produção de vídeos sobre Missão Continental e cursos sobre comunicação.
Representaram a CNBB o bispo de Picos (PI), dom Plínio Luz, responsável pelo Setor de Comunicação do Regional Nordeste 4; a assessora do Setor de Comunicação da CNBB, irmã Élide Fogolari, e o assessor de imprensa, padre Geraldo Martins. 
Fonte: CNBB

4º Ato Publico em Defesa da Vida

Dia 20 de março de 2010, sábado, às 10h.
Saída: Viaduto Jacareí (Centro SP).
Chegada: Praça da Sé.
Clique aqui para enviar uma mensagem
Se preferir, entre em contato através do email: faleconosco@emdefesadavida.com.br

Família constrói casa de garrafas PET na Argentina







 
Não há maneira melhor de se aprender a respeitar a natureza e a reduzir seus impactos no planeta do que utilizando esses princípios na construção de sua própria casa. Foi isso que fez a família Santa Cruz. Eles utilizaram garrafas PET para erguer paredes, janelas, escadas e até camas, além de embalagens Tetra Pak para construir o telhado.
A Casa De Botellas foi construída em Puerto Iguazu, na Argentina, pelos próprios membros da família. No total, foram utilizadas 1.200 garrafas plásticas, 1.300 embalagens Tetra Pak e 140 caixas de CD’s na construção da casa, bem como outras 320 PETs utilizadas na confecção dos móveis.
Apesar de não ser arquiteto nem engenheiro, o patriarca Alfredo Santa Cruz diz que desenhou a casa para ser acessível, simples e criativa nos mínimos detalhes. "Estamos cuidando do planeta de uma maneira diferente, desde a criação de soluções eficazes, até a gestão dos resíduos domésticos", diz.
A estrutura da casa e toda a mobília foram feitas inteiramente de plástico. Além de ambientalmente correta, a escolha da garrafa PET tem fundamentos práticos, diz a família. Elas levam até 300 anos para se decompor, são mais resistentes e duráveis que o cimento, além de possuírem proteção térmica e acústica e serem menos inflamáveis que outros materiais, como a madeira.

Eles contam ainda que captaram todo o material da obra em sua própria coleta seletiva e nos lixos da vizinhança. "Estamos conscientes de que, idealmente, deveriam existir estações de tratamento de resíduos, já que a maioria desses elementos pode ser reciclada. Mas por qualquer motivo, isso não acontece na quantidade necessária para diminuir a quantidade de resíduos gerados todos os dias no mundo", lembram.
Mais que uma simples casa
No site da Casa De Botellas, a família explica como buscaram unir respeito social, ambiental, turístico e cultural em uma única iniciativa. Medidas que ajudam a espalhar a mensagem de conscientização pela comunidade e para os turistas que já fazem visitas constantes à casa são algumas delas. Eles ainda buscam alternativas para tornar a moradia mais sustentável e levam a sua essência para diversos locais da região.

Ao criar soluções práticas capazes de amenizar os problemas ambientais causados pelo homem, a Casa De Botellas tem servido de exemplo em muitos países, especialmente na América Latina. "Ela demonstra como um pouco de ‘engenhosidade criativa’ pode trazer positivas para a maneira como o ser humano interage com o meio ambiente", completa Santa Cruz. 

* Projeto do Instituto Ecodesenvolvimento
 
Fonte: Adital

Assessor Nacional das CEBs defende doutorado em Ciências Sociais, pela PUC-SP


06/03/2010 | Karla Maria *
Dirceu Benincá , é padre, gaúcho e filósofo, teólogo, especialista em Comunicação Social, mestre em Ciências Sociais, membro da equipe nacional e do Cone Sul das CEBs, colaborador da Revista Missões e agora doutor também em Ciências Sociais pela PUC-SP. Sempre esteve envolvido com as CEBs e os Movimentos Sociais, assessorando encontros nos níveis Nacional e Latino-americano.
Foi a partir deste envolvimento, com os movimentos sociais, que Dirceu conheceu o MAB - Movimento dos Atingidos por Barragens, e em 2006 começou seu doutorado na PUC-SP, que foi apresentado com o tema Água e energia para a vida, O Movimento dos Atingidos por Barragens no Brasil. A tese conta com mais de 61 depoimentos de militantes do MAB, traz dados que revelam a realidade energética do país.
A tese foi defendida em 03/03/2010, e aprovada com nota 10. Na "plateia", mais de 60 pessoas, da Academia, dos Movimentos Sociais e das CEBs, acompanharam a apresentação e argüição da banca, que começou às 14h e encerrou-se às 17h30.
Abaixo, você confere uma síntese da tese de doutorado de Dirceu Benincá:
Água e energia para a vida
O Movimento dos Atingidos por Barragens no Brasil
(1991- 2009)
Vivemos um período de crise socioambiental sem precedentes. Ela resulta de uma opção do capitalismo desenvolvimentista baseado na exploração desmedida dos bens naturais, na concentração da riqueza, no consumismo e na manutenção de gritantes desigualdades sociais. Sob a lógica do mercado total, aumentam cada vez mais as demandas por energia, o que exige a construção progressiva de barragens. É indiscutível a importância da energia e inimaginável viver sem ela. Entretanto, no processo de geração, distribuição e comercialização da mesma verifica-se uma série de problemas.
No conjunto dos efeitos negativos provocados pelas hidrelétricas, constam graves impactos de ordem social, ambiental e simbólica. No Brasil, são poucos os rios de médio e grande porte que ainda não foram barrados no mínimo em um ponto para a instalação de usinas hidrelétricas. De acordo com o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), a cifra dos expulsos de suas propriedades e locais de vida por tais projetos já transcende um (1) milhão de brasileiros, sendo que cerca de 70% deles não têm seus direitos garantidos. Dessa maneira, acabam por aumentar o contingente dos sem terra, sem trabalho e sem perspectivas, ampliando a fome, a violência e a miséria.
A presente pesquisa lança um olhar sobre este cenário, tentando entender o modelo energético vigente, vinculado de modo estreito aos impulsos do capitalismo, o qual se move pelo lucro a qualquer custo. Água e energia para a vida - O Movimento dos Atingidos por Barragens no Brasil (1991-2009) tem por objetivo principal analisar alguns aspectos da trajetória do MAB, sobretudo suas formas de organização e resistência aos grandes projetos hidrelétricos. Para tanto, investiga-se a articulação das questões sociopolíticas com a dimensão ambiental em sua história recente. Procura-se também compreender seu projeto e suas estratégias de ação, destacando os principais valores e práticas que emergem de suas lutas.

O assunto é abordado com base em duas categorias analíticas, quais sejam: desenvolvimento sustentável e cidadania ecológica. A noção do desenvolvimento sustentável dá suporte a múltiplas e divergentes visões. Os movimentos populares e outros sujeitos sociais questionam princípios constituintes do referido conceito, bem como determinadas finalidades do seu emprego. Nesse sentido, uma questão fundamental que emerge é: Como garantir um desenvolvimento que seja ao mesmo tempo socialmente justo, economicamente viável, politicamente democrático e ecologicamente sustentável? A indagação se configura crucial e complexa dado que o desenvolvimento "saudável", equitativo e equilibrado é obstaculizado pelos interesses capitalistas que geram concentração e exclusão, poluição e depredação.

Outro ponto que se busca compreender neste trabalho é o processo através do qual os indivíduos se constituem em sujeitos sociais. Em diferentes palavras, como as populações afetadas com a construção de barragens no Brasil podem resgatar sua dignidade, preservar seus direitos ameaçados e conquistar outros que jamais obtiveram. Tem-se como pressuposto que, ao fortalecerem a consciência coletiva de sujeitos de direitos e deveres, esses indivíduos se habilitam ao exercício de uma cidadania ecológica, como aquela que se caracteriza por uma visão mais integradora das diversas dimensões da vida humana.

Os posicionamentos teóricos, as múltiplas formas de resistências e denúncias, a defesa dos direitos dos atingidos por barragens, as conquistas e proposições concretas do Movimento ao longo de sua trajetória dão a estrutura da outra parte da tese. Nela, procura-se demonstrar que os objetivos e a luta do MAB não se restringem à obtenção de medidas paliativas e compensatórias, mas se voltam para a construção de um projeto energético distinto e, em última instância, para a instauração de uma sociedade sustentável, justa, solidária, democrática e protetora do meio ambiente.
A temática é tratada sob o enfoque sociológico, em constante diálogo com questões ecológicas e éticas, por considerar que o assunto requer essa importante interlocução de saberes. Para orientar a investigação, parti da hipótese de que o Movimento é um espaço privilegiado para construir a identidade política dos atingidos e fortalecer a sua cidadania em diversos aspectos, realidade que se mostrou amplamente verdadeira ao longo da pesquisa.
Para a elaboração do trabalho utilizei os seguintes recursos metodológicos: a observação participante, a entrevista com roteiros semi-estruturados e a análise de fontes primárias. Tive acesso à vida interna do Movimento, podendo consultar toda a base documental existente e as respectivas produções. Recorri a notícias, informações e textos diversos disponíveis em sites e jornais de circulação nacional e regional. Também desenvolvi estudo de amplo acervo bibliográfico em conexão com o tema em foco.

Durante o período de pesquisa e elaboração da tese, participei de diversas atividades como: Cursos do MAB realizados em Cajamar/SP e na Universidade Federal do Rio de Janeiro/RJ, com a presença de militantes e membros da coordenação do Movimento provenientes de todas as regiões do Brasil; reuniões em São Paulo com articuladores do Movimento oriundos de várias localidades dos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro; encontros e debates em Eldorado/SP com população ameaçada pelas barragens do Vale do Ribeira/SP; assembleia dos atingidos/as pelas barragens do Rio Madeira, em Porto Velho/RO, entre outras.

Realizei 30h04min de gravações, sendo 23h50min de entrevistas e mais 6h14min de depoimentos, exposições e palestras. Entrevistei 12 pessoas (homens e mulheres), membros da coordenação do MAB e que continuam militando na base. Colhi depoimentos de outros 18 militantes atingidos por barragens, além de mais 31 pessoas: três bispos, um promotor de Justiça, um advogado, um senador boliviano, um cacique indígena, dois representantes de empresas construtoras de barragens, cinco professores e pesquisadores do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra/Portugal - onde desenvolvi estágio doutoral entre fevereiro e julho de 2009 - (entre os quais, Boaventura de Sousa Santos). Também dialoguei com oito professores (UNICAMP, USP, UFRJ, PUC/MG, PUC/Campinas), outros cinco militantes e estudiosos do Movimento ou de questões correlatas, bem como os expoentes Leonardo Boff, a ex-ministra Marina Silva, João Pedro Stédile e Frei Betto.

O primeiro capítulo do trabalho visa demonstrar o significado das barragens, normalmente apresentadas como sinônimo de progresso e desenvolvimento capitalista. Trata-se de pontuar os principais impactos diretos sobre as populações atingidas e sobre o meio ambiente, bem como os conflitos que emergem no processo de construção desses empreendimentos hidrelétricos - espécie de "dilúvios planejados". Em linhas gerais, procura-se descrever a situação das "vítimas", o que revela a legitimidade de sua organização e resistência.
No segundo capítulo, retrata-se de modo conciso o contexto econômico, sociopolítico, eclesial e ecológico no qual se deu a emergência dos submersos, isto é, dos atingidos por barragens, através das primeiras organizações regionais. Após circunscrever o nascedouro dessas iniciativas que posteriormente desembocaram na criação do MAB (em 1991) - como um movimento de alcance nacional -, apresento alguns elementos que considero centrais em sua trajetória, identidade e estrutura organizacional.
Os temas da ecologia, do desenvolvimento sustentável e da cidadania perpassam todo o trabalho. Na verdade, eles se constituem em grandes questões que permanecem como pano de fundo nas lutas empreendidas pelo Movimento dos Atingidos por Barragens. Com a finalidade de estabelecer um referencial teórico mínimo para dialogar com o pensamento e as práticas do MAB, desenvolvo, no terceiro capítulo, uma reflexão em torno dos referidos conceitos.
As concepções e a postura crítica do Movimento, sobretudo de membros de sua coordenação, acerca da questão energética, da perspectiva de desenvolvimento e dos princípios estruturantes do tipo de sociedade que defendem são analisadas no quarto capítulo. A democracia e a cidadania retornam sob a análise dos entrevistados, que apontam de maneira praticamente unânime a necessidade de construir outro sistema social mais justo e igualitário, identificado por eles com o socialismo.

O quinto e último capítulo objetiva explicitar diversas formas de resistência desenvolvidas pelo Movimento no âmbito do discurso e das ações concretas. Objetiva-se, com isso, vincular sua prática com um amplo conjunto de reações ao sistema capitalista em sua versão neoliberal, o que vem sendo caracterizado como globalização contra-hegemônica e/ou altermundismo. Em consonância com o mote da reflexão, também são elencadas algumas conquistas e proposições do MAB diante do atual modelo energético e sociopolítico, o que revela o perfil do seu protagonismo.
Nas considerações finais, retomo algumas questões que considero relevantes no conjunto do trabalho, bem como coloco em evidência alguns desafios que, a meu ver, o Movimento dos Atingidos por Barragens tem à sua frente. Apresento também sugestões que julgo pertinentes no que concerne à atuação do Movimento, visando à mudança de comportamentos da sociedade em relação à utilização da energia e à implementação de outro projeto no qual a água e a energia estejam a serviço da vida!
Dirceu Benincá
São Paulo, 03 de março de 2010.
Fonte: Revista Missões

sexta-feira, 5 de março de 2010

Cartilha “Fraternidade Viva” chega às escolas do Paraná



fraternidade_viva_2010Os estudantes de escolas públicas e particulares de municípios da diocese de Toledo (PR) estão recebendo neste ano letivo a cartilha “Fraternidade Viva”, com sugestões de atividades pedagógicas para crianças, adolescentes e jovens.
Com esta cartilha em mãos, os educadores podem desenvolver o tema da Campanha da Fraternidade Ecumênica 2010 – Economia e Vida - junto aos seus alunos e contribuir para o desenvolvimento de uma consciência em favor da vida.
Subdividido em quatro encontros, o subsídio às escolas segue a metodologia “Ver, Julgar e Agir”. Respeitando cada faixa etária, “Fraternidade Viva” apresenta abordagem específica de conteúdo da CFE 2010 para três fases escolares: educação infantil e ensino fundamental – primeira fase (1ª a 4ª série); ensino fundamental – segunda fase (5ª a 8ª série); e educação de jovens e adultos (EJA).
O material, que está em sua 5ª edição, é oferecido gratuitamente às escolas localizadas na região diocesana como resultado do gesto concreto das Campanhas da Fraternidade de anos anteriores. Seu conteúdo é formado a partir da reflexão de professores voluntários, que se uniram em equipe e dedicaram seus conhecimentos em favor da elaboração.
O coordenador deste trabalho é o padre Lucivaldo Castellani que frisa o principal objetivo do subsídio: “Favorecer a conscientização sobre o valor da vida e o cuidado com o planeta, entre outras questões que muitas vezes são deixadas de lado por outros valores que não colaboram para o bem estar de todas as pessoas”.
“Nós queremos educar, e nesse processo queremos chegar às escolas dos 19 municípios da nossa Diocese e das demais que tenham interesse”, completa o bispo diocesano, dom Francisco Carlos Bach. Ainda de acordo com ele, o material produzido pela diocese de Toledo tem sido bem aceito pelas Secretarias Municipais de Educação e dos Núcleos Regionais de Educação.
A cartilha é produzida para dois públicos distintos, sendo 35 mil exemplares, com conteúdo próprio, à disposição dos estudantes, e outros 10 mil exemplares destinados aos professores. Para os alunos, o caderno de atividades contempla dinâmicas, desenhos, pinturas e quebra-cabeças, entre outros elementos pedagógicos voltados à reflexão sobre a importância da vida humana, mas, sobretudo, convida a realizar ações concretas a partir da realidade em que vivem.
Além da cartilha, o material de difusão dos conteúdos da Campanha da Fraternidade conta ainda com um marca páginas que reúne um calendário e cinco frases que falam do respeito à vida e do cuidado com o bairro onde mora.
“É um material sem fins lucrativos e que não faz proselitismo nas escolas. O nosso objetivo é a promoção da vida. Portanto, um material ecumênico e que pode ser utilizado por professores de diversas áreas do conhecimento”, informa padre Lucivaldo.

Gesto Concreto

A Cartilha “Fraternidade Viva” começou a ser produzida a partir da definição como um gesto concreto de Campanha da Fraternidade, decisão essa extraída de reuniões que envolveram o bispo diocesano, clero, assessores e coordenadores de pastorais e movimentos eclesiais da diocese de Toledo. Seus custos são subsidiados por 50% da parcela da Coleta da Solidariedade que cabe à diocese.
Ao longo desses cinco anos, devido ao conteúdo apropriado para a realidade regional, milhares de exemplares da cartilha chegaram a ser distribuídas também para as dioceses de Foz do Iguaçu, de Paranavaí e de Campo Mourão.
fonte:CNBB

quinta-feira, 4 de março de 2010

CELAM envia carta de solidariedade ao Presidente da Conferência Episcopal do Chile


celam_thumbA presidência do Conselho Episcopal Latino Americano (CELAM), por meio do seu presidente, dom Raymundo Damasceno Assis, arcebispo de Aparecida (SP) e do secretário geral, dom José Leopoldo González González, bispo auxiliar de Guadalajara (MEX), assinaram uma carta, enviada no dia 1º, ao presidente da Conferência Episcopal chilena, monsenhor Alejandro Goic Karmelic, em solidariedade a toda nação chilena vítima do terremoto ocorrido na última semana, naquele país.
Segundo a presidência do CELAM, o Chile, no início do caminho quaresmal, amanheceu de luto devido a um “fortíssimo” terremoto que abalou o país. “No entanto, em meio à dor e ao sofrimento, chegou o suave bálsamo da vontade de solidariedade internacional”, ressalta um trecho da carta.
Leia a íntegra da carta abaixo:
Excelentíssimo e Reverendíssimo
Mons. Alejandro Goic Karmelic
Bispo de Rancagua
Presidente da Conferência Episcopal do Chile

Na vida ou na morte somos do Senhor

Em 27 de fevereiro, no início do caminho quaresmal, o Chile amanheceu de luto devido a um fortíssimo terremoto que abalou boa parte do país, sobretudo a Região Centro-Sul. No entanto, em meio à dor e ao sofrimento, chegou o suave bálsamo da vontade de solidariedade internacional.
É neste contexto de comunhão eclesial que a Presidência do CELAM envia uma palavra de alento e de esperança à Conferência Episcopal do Chile e, através de seus Bispos, ao povo dessa nobre Nação Andina que sofre a perda irreparável de tantas vidas humanas, a angústia de numerosos flagelados e grandes danos materiais.
Queremos assegurar-lhes nossa oração e nossa proximidade nesta hora de pesar e de aflição, especialmente aos familiares das vítimas. E junto aos nossos mais sentidos pêsames, rogamos ao Senhor Ressuscitado, fundamento de nossa fé, que os reconforte e os sustente neste momento de provação.
Confiamos que as Igrejas Particulares da América Latina e Caribe estendam sua mão solidária à população que peregrina no Chile, já que nossos povos estão chamados a “abrir caminhos para a civilização do amor” (DA 537).
Que Nossa Senhora do Carmo seja a fortaleza e a esperança do povo Chileno !
Dom Raymundo Damasceno Assis
Arcebispo de Aparecida, SP
Presidente do CELAM

Dom José Leopoldo González González
Bispo Auxiliar de Guadalajara
Secretario Geral do CELAM

Senado Federal faz Sessão Especial em comemoração ao lançamento da CFE 2010


republicaNa próxima segunda-feira, 8 de março, às 11h, o Senado Federal fará uma Sessão Especial, em comemoração ao lançamento da Campanha da Fraternidade Ecumênica 2010, que tem como tema “Economia e Vida”, e como lema “Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro”.
A comemoração se realizará em virtude da aprovação, pelo Plenário da Casa, de requerimento de iniciativa dos próprios senadores.
fonte:CNBB

Academia Nacional de Medicina faz homenagem póstuma a Dra Zilda Arns


E-mail Imprimir PDF
zilda-arnsAcontece nesta quinta-feira, 4, no Rio de Janeiro, uma Homenagem Póstuma a Dra. Zilda Arns Neumann. O evento acontece na sede da Academia Nacional de Medicina, com abertura feita pelo presidente da Academia, Pietro Novellino.
A médica sanitarista e fundadora das Pastorais da Criança e da Pessoa Idosa, Dra. Zilda Arns, era Acadêmica honorária nacional da Academia de Nacional de Medicina desde o dia 15 de julho de 2009, quando tomou posse. Naquela data, ela recebeu do governador do Paraná, Roberto Requião, o diploma, e o colar acadêmico com a medalha, que foi recebido das mãos do presidente da Academia, Marcos Fernando de Oliveira Moraes.
Ao final da cerimônia, ela dedicou o título aos 270 mil voluntários da Pastoral da Criança e aos 14 mil líderes da Pastoral da Pessoa Idosa e aos médicos, profissionais da saúde, professores, familiares e personalidades que contribuíram para a sua formação pessoal e acadêmica, mas ressaltou que ainda há muito por fazer em benefício da saúde da população.
A homenagem póstuma de hoje será recebida pelo Dr. Nelson Arns Neumann, filho de Dra. Zilda, e contará com a participação de mais de 40 líderes da Pastoral da Criança do município do Rio de Janeiro.
Enrevistado por Cristiane Murray em recente passagem por Roma, o Cardeal arcebispo de São Paulo, dom Odilo Pedro Scherer, ressaltou a figura da Dra. Zilda e enfatizou o trabalho da Pastoral da Criança.
fonte:CNBB

CNBB lança a campanha nacional “Projeto 1 milhão de Bíblias”


E-mail Imprimir PDF
campanhabbliasSerá lançada, no próximo dia 6, em Teresina (PI), a campanha nacional desenvolvida pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) em parceria com a Comissão para a Missão Continental no Brasil: o “Projeto 1 milhão de Bíblias”, que tem como tema “Ide, pois, fazer discípulos entre todas as nações, e batizai-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo” (Mt 28,19) e o lema “Discípulo e servidores da Palavra de Deus”.
O lançamento será feito pelo secretário geral da CNBB, dom Dimas Lara Barbosa, e contará com a presença do bispo de Teresina e presidente do Regional Nordeste 4 da CNBB (Piauí), dom Sérgio da Rocha. Após o lançamento na capital, será lançada também na diocese de Picos (PI), com a presença do bispo dom Plínio José Luz da Silva e em Campo Maior (PI), com a presença de dom Eduardo Zielski.
“É grande a expectativa do Regional Nordeste 4 da CNBB, no estado do Piauí, para o lançamento da Campanha Nacional de 1 Milhão de Bíblia, nos dias 06 e 07, em Teresina, Picos, Oeiras e Campo Maior. Todas as dioceses do Regional já receberam o material da Campanha e os bispos,  juntos,  já discutiram os critérios de distribuição e utilização. Como somos os primeiros a fazer a experiência da Campanha, esperamos, em breve, poder compartilhar o resultado positivo com os demais Regionais”, afirmou o bispo de Picos, dom Plínio José.
Como o nome mesmo diz, o objetivo da campanha é levar a Palavra de Deus a todos no Brasil que não tem condições de comprar a Bíblia e outros materiais educativos de evangelização.
A primeira fase da campanha consiste na apresentação de um projeto de evangelização pelas (arqui)dioceses à CNBB. Após a comissão responsável analisar o projeto, se aprovado, ela [a comissão da CNBB] repassará as Bíblias de forma gratuita, inclusive o transporte, para atender as necessidades apresentadas pelas (arqui)dioceses.
“Inserido no Projeto Brasil na Missão Continental, esta nova campanha é um serviço que a CNBB oferta a todos os Regionais, (arqui) dioceses, pastorais, organismos do povo de Deus, movimentos e outras associações da Igreja em nosso país, bem como a todos os discípulos missionários chamados a anunciar a Boa Nova de Jesus Cristo”, afirmou o secretário geral da CNBB, dom Dimas.
Segundo um dos participantes do “Projeto 1 milhão de Bíblias”, assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária da CNBB e secretário executivo do Conselho Missionário Nacional (Comina), padre Altevir Silva, a Conferência de Aparecida destacou a Palavra de Deus e o novo ardor missionário. “O caminho aberto pela Conferência de Aparecida demonstra que a Palavra de Deus é a carta de amor ao seu povo. Assim sendo, e diante do contexto brasileiro de miséria e pobreza onde muitos não têm condições de se alimentar, o ‘Projeto 1 milhão de Bíblias’ tende a suprir a ânsia pela Palavra dos que não tem condições. A leitura orante da Bíblia é a alma da Missão Continental”.
O padre Altevir lembra que a impressão das Bíblias foi fruto de doações, e que na entrega às dioceses foi montado um “kit” contendo, além da Bíblia Sagrada, uma Bíblia infantil; um Pequeno Catecismo: Eu creio; e um Livreto sobre a iniciação à leitura da Bíblia.
O processo, depois do lançamento da campanha, é fazer um acompanhamento das dioceses atendidas com base no projeto de evangelização apresentado por cada uma delas, levantando dados para possível continuação da campanha.

Prioridade no atendimento

Segundo os organizadores do projeto, alguns Regionais terão prioridade no atendimento para receber os “kits” do Projeto 1 milhão de Bíblias. São eles: o Regional Nordeste 4 (Piauí); Regionais da Amazônia Legal; Regional Nordeste 1 (Ceará); Regional Nordeste 2 (Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte); Regional Nordeste 3 (Bahia e Sergipe); Regional Nordeste 5 (Maranhão); Regional Oeste 1 (Mato Grosso do Sul); Regional Oeste 2 e Regional Centro Oeste (Distrito Federal, Goiás e Tocantins).

Programação

O Roteiro de Lançamento:

Dia 06/03 (Sábado)

  • 09:00H Arquidiocese de Teresina – Solenidade no Auditório Paulo VI
  • 17:30H Diocese de Picos – Missa na Catedral Nossa Senhora dos Remédios
  • 20:00H Diocese de Oieras – Solenidade

Dia 07/03 (Domingo)

  • 11:00H Diocese de Campo Maior – Solenidade no Centro Catequético - Barras

Comitiva:

  • Dom Dimas Lara
    Pe. Altevir (Coordenador Nacional do Projeto “O Brasil na Missão Continental)
    Sonia Minder (Coordenadora Nacional da “Campanha Nacional da Campanha 1 Milhão de Bíblias)
    Pe. Luiz Eduardo, secretário executivo do Regional Nordeste 4
  • fonte:CNBB

quarta-feira, 3 de março de 2010

Está pronta a programação oficial do 16º Congresso Eucarístico Nacional



congressoeucaristico3O evento inicia no dia 13 de maio, às 19hs com a Missa de Abertura e se encerra, no dia 16 de maio, com a Missa de Encerramento, às 09h30 da manhã, ambas realizadas na Esplanada dos Ministérios.
Estão previstos para os quatro dias de evento: adoração ao Santíssimo Sacramento, celebrações eucarísticas, reflexões, exposições, vigília, palestras e evangelização. A organização lembra que todos os eventos são gratuitos.
O ponto central do Congresso será na Esplanada dos Ministérios, mas a programação envolverá outros locais, como o Ginásio Nilson Nelson, Centro de Convenções Ulysses Guimarães, Complexo Cultural do Museu Nacional da República e a paróquia Nossa Senhora do Lago.

 Fonte:CNBB

Diocese de Colatina prepara seu 1º Mutirão de Comunicação



 
 
diocese_colatina_destaqueEm sintonia com a Igreja mundial que busca semear uma cultura de comunicação promotora de vida e paz, a diocese de Colatina realiza o seu 1º Mutirão Diocesano de Comunicação. O evento acontece no próximo dia 10 de abril, em Ibiraçu. São esperadas 150 pessoas, que vão discutir o tema “Comunicação e Igreja: para que todos tenham Vida”.
Trata-se da primeira iniciativa da nascente Pastoral da Comunicação na diocese, que conta com o apoio direto do bispo diocesano de Colatina, dom Décio Sossai Zandonade. “Este Mutirão é aberto a todas as pessoas que têm afinidade com o tema ‘comunicação’ e desejam entender melhor a sua relação com a Igreja”, destacou o bispo.
Dois nomes fortes no cenário da Igreja no Brasil vão coordenar as conferências do Mutirão: o padre Geraldo Martins, jornalista e assessor de imprensa da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), e o padre Leandro Freire, assessor eclesiástico da Pastoral da Comunicação no estado do Rio de Janeiro.
Além das conferências principais, haverá momentos de debates, para que os participantes tirem suas dúvidas e compartilhem suas opiniões sobre a temática em discussão.
Inscrições
Os interessados em participar do Mutirão Diocesano de Comunicação devem fazer a sua inscrição nas secretarias paroquiais até 31 de março. Para mais informações: comunicacao@diocesedecolatina.org.br Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. ou (27) 2102 5030.
Mutirão conta com a experiência do bispo diocesano
Quando era bispo auxiliar da arquidiocese de Belo Horizonte (MG), dom Décio realizou grandes experiências na área de Comunicação, como a implantação da Rede Catedral, composta por emissoras de rádio, TV e jornal. Além disso, foi ele quem realizou o 1º Mutirão Nacional de Comunicação, em 1998. Há sete anos à frente da diocese de Colatina, ele continua um entusiasta, desejoso de realizar ações importantes de comunicação, a fim de colocá-la sempre a serviço do Reino.

terça-feira, 2 de março de 2010

Concentração da Campanha da Fraternidade 2010 da Região Pastoral V - Diocese de São José dos Campos - SP


 Reflexão do cartaz da CF 2010 - Pe. Toninho (1)




 Reflexão do cartaz da CF 2010 - Pe. Toninho (2)

Reflexão do Evangelho - Mt 23, 1-12


Dois elementos são importantes para nós a partir da leitura do Evangelho de hoje. O primeiro é que nenhum ser humano pode ser para nós modelo absoluto para a vivência do Evangelho, uma vez que todas as pessoas são pecadoras. O segundo é que não podemos fazer da religião forma de relação de poder e de promoção pessoal. As distinções que existem na vida religiosa devem ser de cargos e funções, porque existem ministérios diferentes, mas todos na Igreja têm uma dignidade igual: a de filhos e filhas de Deus. Mesmo dentro da Igreja, a hierarquia só pode ser concebida à luz do Evangelho e a partir do conceito de serviço. 
Fonte:CNBB

Diocese de São José dos Campos ensina libras para padres e leigos


librassjcamposEm uma iniciativa pioneira no Brasil, a diocese de São José dos Campos (SP) iniciou, em fevereiro, o Curso de Libras (Língua Brasileira de Sinais), a linguagem dos surdos, na Faculdade de Teologia do Instituto de Teologia e Filosofia Santa Teresinha, em São José dos Campos. A partir deste ano, o Curso de Libras entrou na grade curricular como disciplina obrigatória para os alunos do terceiro ano. O curso é oferecido a 55 alunos entre seminaristas, religiosos e leigos que estudam na Faculdade, ministrado por Rogério Gonçalves dos Santos.
O objetivo é ensinar os alunos a se comunicar por meio de sinais com deficientes auditivos que frequentam as paróquias. Hoje, existem cerca de 300 surdos participando das ações pastorais desenvolvidas na diocese. Com esta iniciativa, São José dos Campos pretende aumentar a participação dos surdos nas paróquias e atividades pastorais em geral, promovendo sua inclusão.
librasPara o diretor do Instituto de Teologia e Filosofia Santa Teresinha, padre José Roberto Fortes Palau,  a Igreja de São José dos Campos  demonstra sua preocupação com a formação de padres e leigos, para promover a inclusão do deficiente auditivo na vida religiosa. Padre José Roberto lembra ainda que a diocese atende também ao pedido do papa Bento XVI, que em novembro de 2009 solicitou que as Igrejas do mundo inteiro se empenhassem mais na inclusão dos surdos. “A preocupação de diocese é que os próximos padres saiam mais preparados para seu trabalho pastoral, inclusive para melhor atender aos surdos nas confissões”, afirma padre José Roberto.

Aulas

Segundo o professor Rogério é importante que os padres aprendam a língua dos surdos para poder conversar e ouvir confissões. Para os leigos a missão é atuar como intérpretes em palestras, grupos de oração e missas. A língua de sinais tem mais de 1.500 verbetes, sendo que o curso terá uma carga horária de 60 horas, com aulas com uma hora e meia de duração, uma vez por semana.
Hoje, a diocese de São José dos Campos tem 30 agentes pastorais não surdos que atuam na inclusão dos deficientes auditivos. A Pastoral dos Surdos teve início há dez anos na paróquia Espírito Santo, no Jardim Satélite, com o apoio do padre Rinaldo Roberto de Rezende.  Os grupos se reúnem todo último domingo do mês na Catedral de São Dimas, em São José dos Campos, para a celebração da missa.

Dicionário

Com apoio da Caritas diocesana, o professor de Libras, Rogério Gonçalves dos Santos, produziu um dicionário digital de sinais cristãos. São cerca de 300 verbetes específicos da religião católica. É possível conferir o dicionário pelo site: www.surdosonline.com.br.

Fonte:CNBB

ASSEMBLEIA DE CRATO: PREPARANDO O VAGÃO PARA O 13º INTERCLESIAL


“Foi uma Assembleia diferente de todas as outras, faz bastante tempo em que não se via tantos animadores de Comunidades reunidas aqui na Diocese de Crato”, esse foi o empolgado comentário feito por José Batista, Membro da Equipe Diocesana de CEB’s de Crato.
Um encontro que teve a participação de mais de 70 animadores de Comunidades de toda Diocese. Na ocasião o Bispo Diocesano D. Fernando Panico, esteve presente, reafirmando o desejo de se ter uma Diocese cada vez mais de Base, coesa com os ensinamentos de “Aparecida”, efetivamente formada por Rede de Comunidades.
Na ocasião o “Se Avexe Não”, conversou com Padre Nelito, assessor da CNBB nas Pastorais Sociais, no Departamento que trata do Mutirão de Superação e Combate a Fome.
“O Ceará está de parabéns, é gostoso ver a animação desta gente que é motivada e que abraça pela segunda vez, com muita fé e vontade um Intereclesial. Em 1983 a cidade de Canidé recebia o 5º Intereclesial, que tinha o tema “Igreja, povo unido, semente de uma nova sociedade”, na quela época já era possível ver a fervorosa catolicidade Cearense. Agora, mais uma vez, os olhares dos teólogos e demais estudiosos se voltarão para o Cerá, em especial para cidade de Crato, terra de grandes nomes, e não pode ser diferente, pois o Ceará é uma Igreja que sempre puxou o carro da Igreja no Brasil, é a reserva católica do Brasil, uma catolicidade viva de piedade”, disse Pe. Nelito, que comparou a Igreja do Ceará a um fogão a lenha “Existem dois modelos de Igreja, o modelo sala de televisão, onde todos são telespectadores, de um lado a TV e do outro lado um povo calado. O segundo modelo é o fogão a lenha, onde todo mundo conversa aquecido, cria sonhos, e tem um diálogo verdadeiro entre irmãos , são irmãos que descobrem novos horizontes, construindo uma nova sociedade”.
Padre Nelito falou ainda sobre os possíveis temas do 12º Intereclesial, e disse que o momento é para sugerir, somente na 2ª reunião da Ampliada Nacional, que acontecerá em Crato, este assunto será abordado com maior definição, por enquanto apenas algumas propostas foram lançadas, dentre elas a seguinte: CEB’s Romeira a Caminho do Reino de Deus. "Outro possível tema deverá enfatizar o Urbanismo com seus desafios gritantes", ponderou Pe. Nelito.
A experiência de Magda Gonçalves, da Paróquia de Nossa Senhora do Amparo da Diocese de Porto Velho, também foi presença incisiva na Assembleia. Na ocasião ela dissertou sobre a estruturação do Intereclesial,elencando a função e os aspectos de formação das Equipes: Central, Secretariado, Equipes de serviços e outras.
O “Se avexe não” extraiu a mensagem de Magda Gonçalves, que também é Coordenadora de um Curso de Teologia para leigos em Porto Velho : “Em um Intereclesial cada um vai fazer o que mais precisa ser feito, todos os membros são importantes , é um processo de formação onde se fortalece e se cria laços de Caminhada, é uma abertura à fé e a vida, onde tudo o que se faz é em função do próximo”
No encerramento da Assembléia, logo após os encaminhamentos , os membros foram informados dos demais encontros Diocesanos de CEB’s, que estavam acontecendo simultaneamente nas Dioceses de Tianguá e Itapipoca.

Confira no lado esquerdo do blog o Relatório da Assembleia, postado na ferramenta de Relatórios, Cartas e Regimento Interno das CEB's - Ceará

Nas fotos: Acima, D. Fernando e Animadores de Comunidades, Padre Nelito e Magda Gonçalves


Mais de 5 mil pessoas participam da ordenação de Dom Edmar Peron na Catedral de Maringá e Dom Jaime se emociona durante Santa Missa



Todas as galerias da Catedral Basílica Menor Nossa Senhora da Glória ficaram lotadas. Na tarde desse domingo, 28, a multidão acompanhou de perto a ordenação episcopal do primeiro padre nascido em Maringá. Dom Edmar Peron tomará posse como bispo auxiliar de São Paulo no dia 14 de março às 11h na Catedral da Sé em São Paulo. A Santa Missa foi presidida pelo primeiro arcebispo de Maringá, Dom Jaime Luiz Coelho, que aos 93 anos se emocionou durante a ordenação. Além de Dom Jaime, do arcebispo de Maringá Dom Anuar Battisti, do Cardeal arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Scherer, dezenas de bispos, padres e milhares de fieis participaram deste momento histórico para a Igreja. Em seu discurso o cardeal arcebispo de São Paulo agradeceu a arquidiocese de Maringá, por ter formado Dom Edmar Peron, que agora será bispo auxiliar numa das maiores arquidioceses do mundo. E pela primeira vez na historia da TV 3º Milênio a emissora transmitiu uma Santa Missa via satélite para todo o país. A 3º Milênio pretende agora transmitir outros eventos da Arquidiocese de Maringá em rede nacional. 
Fonte: Arquidiocese de Maringa

segunda-feira, 1 de março de 2010

Proposta de Liturgia para o Domingo de Ramos


PARÓQUIA SÃO PAULO APOSTÓLO
CELEBRAÇÃO DE DOMINGO DE RAMOS
“HUMILDE E OBEDIENTE ATÉ A MORTE, E MORTE DE CRUZ”



Sugestão de símbolos: Ramos verdes, ervas cheirosas, cruz, pano roxo, os símbolos da celebração da semana anterior, Cartaz da CF, Cartazes ou pirulitos com o nome das Igrejas que assumiram juntas a CF de 2010, frases com o tema dos grupos de rua.

Refrão: Hosana o filho de Davi.... (como mantra)

ACOLHIDA
Anim: Iniciamos hoje, a semana santa, recordando a entrada de Cristo em Jerusalém para celebrar a sua Páscoa. Escutando e participando da liturgia da Paixão do Senhor, deixamos que o mistério pascal da paixão, morte e ressurreição de Jesus se realize em nossa vida.
As leituras de hoje destacam a humildade como fundamento da obediência. Ser humilde é despojar-se do orgulho. É tornar-se uma pessoa integrada, que sabe lidar com todas as coisas e situações de forma harmoniosa. A obediência de Jesus ao Pai significa, antes de tudo, que Jesus levou ao cumprimento pleno o projeto de amor de Deus para com o ser humano.

Canto de entrada da Campanha da Fraternidade.

ACOLHIDA DA TRINDADE

C: O Senhor esteja com vocês.
T: Ele está no meio de nós

C: Irmãos e irmãs, durante as cinco semanas da quaresma, nós nos reunimos em grupos e atuamos na Campanha da Fraternidade, cultivamos a oração pessoal e comunitária, a prática da penitência e da solidariedade. Hoje, aqui nos reunimos e vamos iniciar, em comunhão com as comunidades cristãs do mundo inteiro, a celebração da semana santa. Fazendo a memória da entrada de Jesus em Jerusalém, indo ao seu encontro com ramos nas mãos, sigamos os passos de nosso Salvador para participarmos plenamente da sua Páscoa.

BÊNÇÃO DOS RAMOS
C: Ó Deus, com ramos de oliveira, crianças e pobres aclamaram Jesus ao entrar na cidade santa.Abençoa nossa comunidade aqui reunida, com ramos nas mãos e o teu louvor em nossos lábios.Este sinal da vitória pascal do Cristo nos fortaleça para, num mundo ameaçado pela violência, pela guerra, construirmos concretamente com uma  cultura de paz e de não-violência, como Ele nos ensinou.
Por Cristo Nosso Senhor. Amém

Canto: Benção dos Ramos
Proclamação do Evangelho
Lucas 19,28-40

Anim: Meus irmãos e irmãs, a exemplo do povo que aclamou Jesus, comecemos com alegria a nossa procissão.

(após a procissão, ao chegarem no local da celebração, o celebrante convida a oração)
C: Ó Deus, fonte de vida, que quiseste reunir todos os teus filhos e filhas pela paixão de Jesus Cristo, nosso Senhor, atende as preces do teu povo, que começa por esta celebração, a semana santa da sua paixão, morte e ressurreição.  Abre nossos ouvidos e ilumina nossos espíritos para que, participando das celebrações, sejamos renovados na fé que professamos e encontremos forças para darmos testemunho do amor que vence a morte. Por Cristo Nosso Senhor. Amém.

LITURGIA DA PALAVRA
Anim: A missão do servo é, aqui, apresentada como encorajamento aos fracos e abandonados. Por isso, o servo não resiste ao que Javé lhe pede e não recua diante das dificuldades. Assim foi Jesus, fiel ao Projeto de salvação operado por Deus na História humana. A morte de Jesus não é um fracasso, mas inauguração da paz e salvação plena na presença de Deus.  É a manifestação do Reino de Deus, ou seja, da justiça e fidelidade.

Primeira Leitura:   Isaias  50, 4 –7
Salmo de Meditação
Segunda Leitura: Filipenses 2,6-11
Aclamação ao Evangelho
Evangelho – Lucas 23, 1-49 (ler alternando os leitores)
Homília

CREDO

COMPROMISSO

C: Apesar dos sofrimentos, o Servo está empenhado em obedecer a vontade divina. Ele está qualificado para a obra que Deus o destinou a realizar.

A exemplo do servo queremos nesta manhã renovar os nossos compromissos com o Projeto de Deus.
Comprometemo-nos a ter uma língua hábil para instruir as pessoas cansadas e desanimadas?
TODOS - SIM EU ME COMPROMETO - SIM NOS COMPROMETEMOS

Comprometemo-nos a ter  o ouvido atento ao clamor do povo para sermos discípulos e missionário de Jesus Cristo?
TODOS - SIM EU ME COMPROMETO - SIM NOS COMPROMETEMOS

Comprometemo-nos que diante das dificuldades e sofrimentos que vão se apresentando no nosso caminhar, não desanimaremos e nem desistiremos da nossa missão?
TODOS - SIM EU ME COMPROMETO - SIM NOS COMPROMETEMOS

C: Passar por todo o sofrimento sem voltar atrás só foi possível porque o Senhor era aliado do Servo. Por causa dessa cumplicidade com o Senhor, o Servo não fracassou em sua missão. Que este mesmo Deus fortaleça sempre mais cada um na sua missão. PNSJC.Amém. 

Segue a celebração...                                                             


PARTILHA DO CHÁ

Proposta de Liturgia para o Dia Internacional da Mulher


PARÓQUIA SÃO PAULO APÓSTOLO
 06 e 07 de Março de 2010 - cor roxa - 3º Domingo da Quaresma
“SENHOR, DÊ-ME UM TEMPO...”

MEMÓRIA DA SEMANA
08/03 – Dia Internacional da Mulher  - MULHERES PARTEIRAS DE UMA OUTRA ECONOMIA!

Sugestão: (preparar o cartaz: Mulheres parteiras de uma outra economia! Um cesto com pães ou bolo– se possível solicitar para uma mulher contar rapidamente o que significa celebrar 08/03 – no momento da homília)

ACOLHIDA
Anim: Amigos e amigas, na alegria de celebrarmos este momento quaresmal, à luz da Campanha da fraternidade, trazemos para a nossa celebração o Dia Internacional da Mulher com o Tema: Mulheres parteiras de uma Outra Economia. A liturgia de hoje nos fala que Deus se faz presente na história por meio de quem aceita o encargo de falar à humanidade em nome dele. O Criador do mundo guiou os patriarcas, chamou Moisés para libertar os escravos, fortaleceu a fé de Sefra e Fua parteiras que defenderam a vida dos hebreus. Escolheu Maria para ser a Mãe de Jesus. Chamou e as enviou como suas missionárias: Ir. Doroth Stan, Durcelina, Margarida Maria Alves, Ir. Dirce, Filomena, Gertrudes, Zilda Arns, Miralda, Acensão e tantas outras mulheres que se colocaram a serviço do Projeto de Deus.
Peçamos que nesta liturgia o nosso Deus da vida e da comunhão, fecunde nossa vida, nos dê a ousadia e a coragem! Integre Mulher e homem, parceiros de um mundo novo e mais irmão!

CANTO:
ACOLHIDA DA TRINDADE

ATO PENITENCIAL
1.   Para ser irmão, é preciso comprometer-se com o irmão. Quem se conforma com um sistema econômico que marginaliza e gera desemprego, não está sendo de fato irmão. Pedimos perdão, pois na nossa sociedade, tanto  a vida humana como o meio ambiente, onde se desenvolvem os seres vivos, sofrem ameaças diretas ou indiretas. Senhor tende piedade de nós.

2.   Uma vida sem violência é um direito das mulheres. Pedimos perdão pela constante violência doméstica e familiar onde as mulheres são feridas em sua dignidade humana, na sua integridade física, intelectual, moral e emocional. Cristo tende piedade de nós.

3.   Mulheres parteiras de uma outra economia. No entanto, no novo mundo do trabalho no qual impera a alta tecnologia, a terceirização, as mulheres enfrentam velhos problemas: preconceito, discriminação, baixos salários, duas jornadas de trabalho. Por esta situação, Senhor tende piedade de nós.

ORAÇÃO

LITURGIA DA PALAVRA
Anim: A constante presença divina na história nos questiona sobre a acolhida que o ser humano ofereceu a Deus através dos tempos. O maior desastre que pode sobreviver à criação inteira é a falta de acolhida a Deus por parte da única criatura capaz de reconhecê-lo e amá-lo. Na ação e na palavra de Jesus nos é oferecida a oportunidade de conversão e de decisão.

Primeira Leitura: Êxodo 3,1-8ª.13-15
Salmo de Meditação
Segunda Leitura: 1 Cor. 10,1-6.10.12
Aclamação ao Evangelho
Evangelho: Lucas 13,1-9
Partilha

CREDO

ORAÇÃO DOS FIÉIS (feita por duas mulheres) solicitar para que somente as mulheres fiquem em pé para a oração bíblica)
.
Todos: Javé Libertador, hoje apelamos a ti, Deus gerador da vida.
Leitora 1:        Manifesta teu poder salvador como fizeste com Sara, mulher estéril e inútil, que se tornou mãe do teu povo. Ampara-nos, como amparaste Agar, usada e abandonada. Abençoa-nos Lia e Raquel que criaram a casa de Israel.
Todos: Javé Libertador, hoje apelamos a ti, Deus gerador da vida.
Leitora 2:        Defende nossos direitos como defendeste Tamar. Dá-nos a esperteza e a coragem das     parteiras  que, no Egito, desobedeceram  ao Rei e salvaram o povo. Reconhece nosso esforço e recompensa-nos como premiaste Raab, a prostituta que protegeu o teu povo.
Todos: Javé Libertador, hoje apelamos a ti, Deus gerador da vida.
Leitora 1:        Atende nossas  preces e súplicas, como atendeste o gemido de Ana, mãe de Samuel.
                        Faze que todos reconheçam nosso serviço e nossa generosidade como Elias reconheceu os da viúva de Sarepta.
Todos: Javé Libertador, hoje apelamos a ti, Deus gerador da vida.
Leitora 2:        Faze com que o povo todo e a Igreja nos trate, respeite e ame, como Jesus tratou, amou e respeitou as mulheres.
Todos: Javé Libertador, hoje apelamos a ti, Deus gerador da vida.
Leitora 1: Que nosso coração, sempre encantado por Jesus Cristo e comprometido com a construção de seu Reino de Justiça e fraternidade, prossiga vibrante, na partilha e no abraço universal.
Todos: Javé Libertador, hoje apelamos a ti, Deus gerador da vida.

OFERTÓRIO
(entrada do cartaz e cesto de Pães ou bolo)
Anim: Ofertamos e celebramos a vida que renasce e se recria a cada dia pelas mãos da mulher.  Ofertamos o sonho de mulheres e homens que querem ver cuidada a revitalizada toda criação.

Segue a celebração...

MOMENTO DO ENVIO

Mulher:... Mulher abre teu útero e gera o novo porque tudo está tão velho e machucado....

Leitora: Mulher, toma teu Cântaro e vai...
Anuncia que és mulher, mulher como tantas deste mundo, mas não deixes de dizer que:
Tu és mulher apaixonada, mulher fecundidade gerando o NOVO, mulher que ama porque é LIVRE. Tu és mulher UNGIDA-CONSAGRADA, encarnada na história, sem medo de amar de lutar e sem ódio, de “brigar” pela justiça.
Tu és intercessora para que a “água se torne vinho, o pão seja partilhado, para que o pequeno seja olhado, a mulher seja acolhida, o homem ajudado e o rosto MATERNO de Deus revelado.
Sim toma teu cântaro e vai...

Benção Final

PARTILHA DOS PÃES OU BOLO