sábado, 19 de junho de 2010

Mensagens dos participantes do 2º Encontro de Assessores das CEBs em SJC...

Mensagem de Dom Mauricio Grotto para os participantes do 2º encontro de Assessores das CEBs em São José dos Campos - SP

Botucatu, 17 de juho de 2010
Prezados irmãos  e irmãs Assessores das CEBs,

Paz e Bem!

Graças a Deus estou bem de saúde e de volta à caminhada!
Impedido de marcar presença neste encontro, em virtude de outros compromissos (um deles no assentamento Zumbi dos Palmares em Iaras), não poderia deixar de manifestar toda minha gratidão para com todos e cada um dos assessores e assessoras da caminhada das CEBs no Estado de São Paulo pela dedicação e amor pela causa do Reino.
Na perpectiva dos compromissos assumidos no grande Evento de Aparecida, as CEBs podem e devem contribuir, com sua experiência proféico-transformadora, para que a "Conversão Pastoral"de nossa Igreja se torne realidade.
Desejo que o Pai Nosso Senhor  Jesus Cristo abençoe este encontro e torne muito produtivos todos os trabalhos.
Abraço fraterno em Cristo.

Dom Mauricio Grotto de Camargo








Está acontecendo em São José dos Campos - SP - O Encontro de Assessores das CEBs do Regional Sul


Cerca 32 pessoas vindo de várias cidades do Estado de São Paulo participam do II Encontro de assessores das CEBs do Regional Sul 1, com o tema:"CEBs Profecia e Missão", assessorado por Mauro kano da Diocese de São josé dos Campos.


Assessor Mauro Kano



Missa presidida pelo Pe. Marcelo/ Campinas

Pe. Ronildo Assessor diocesano das CEBs  e Fátima vice coordenadora.
Bernadete Mota e Maria Matusutacke na equipe de comunicação diocesana das CEBs
 Partilha nos grupos




Hamilton coordenador diocesano das CEBs  - Diocese de São josé dos Campos SP e sua esposa Zenilda


 Momentos do Encontro...

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Catequetas estudam novo modelo de catequese adotado pela Igreja Católica no Brasil

catequetas_grescatUm grupo de 25 coordenadores de Escolas Catequéticas e de cursos de pós-graduação em pedagogia catequética, de sete regionais da CNBB, se encontra em Brasília, para estudar o novo modelo de catequese adotado pela Igreja Católica no Brasil, chamado de “Iniciação à Vida Cristã” [Documento 97 da CNBB]. O encontro do Grupo de Escolas Catequéticas (Grescat) teve início hoje, 18, e termina no domingo, 20.
Os participantes, vindos de várias as regiões do país, se reúnem para refletir conteúdo, metodologia e projetos pedagógicos para as Escolas Catequéticas solicitados pelo documento da CNBB. “É um espaço de reflexão importante para os coordenadores levarem de maneira dinâmica às suas dioceses, paróquias e comunidades, o que está sendo aprendido durante esses três dias sobre esse novo modelo de catequese”, afirmou a assessora da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética da CNBB, irmã Zélia Maria Batista.
Segundo o doutor em teologia pastoral catequética e assessor da CNBB e do Conselho Episcopal Latino Americano (Celam) para a catequese, padre Luiz Alves de Lima, o objetivo do encontro é estudar um processo mais amplo de catequese, denominado iniciação cristã, tendo em vista a organização das escolas de catequese nesse novo foco catequético.
“Estamos estudando a iniciação cristã que as escolas de catequese devem aprofundar dentro da caminhada da Igreja, tradicionalmente chamada de catequese, que evoluiu hoje para essa forma da iniciação cristã, mais ampla do que o processo tradicional de catequese”.
Padre Luiz explica o significado desse novo modelo de catequese. “A novidade é o uso da Palavra de Deus, a presença da dimensão bíblica, das celebrações da liturgia, de uma catequese mais orante e experiencial. O nosso grupo está mais preocupado em como organizar as escolas tendo esta visão da iniciação cristã, que recebe também o nome de catecumenato”.
Provocar a fé
O presidente da Sociedade de Catequetas Latino Americanos (Scala), irmão Israel José Nery, acredita que o grande diferencial do novo modelo de catequese solicitado pelo documento 97 da CNBB, bem como pelo Documento de Aparecida (DAp), considera o estudo da iniciação cristã como uma preparação para a formação do discípulo e missionário, desconsiderando assim, o antigo de modelo de “cursinhos vestibulares de preparação aos sacramentos”.
“O estudo da iniciação à vida cristã prepara a pessoa para ser discípula e missionária porque esse novo modelo de catequese tem por objetivo transformar a pessoa com o propósito de introduzir a pastoral da conversão na sua vida”, disse irmão Nery. Ele destaca a responsabilidade individual, como outra característica da nova catequese. “Já não basta que meus familiares assumam a vida cristã por mim [pais e padrinhos], mas eu tenho que assumir minhas próprias responsabilidades cristãs, sobretudo quando jovem e adulto, para que eu chegue à maravilha interior de encontrar Jesus e viver a sua intimidade”.
Ainda segundo irmão Nery, a iniciação à vida cristã é a nova direção da catequese na Igreja Católica no Brasil, com o objetivo de provocar a fé nas pessoas. “A preocupação central desse encontro é orientar as escolas de catequese paroquiais, diocesanas, regionais e até mesmo a pós-graduação em pedagogia catequética, para que a nova catequese tenha um estilo, não somente acadêmico de curso de filosofia e teologia, mas celebrativo, comunitário, orante, de modo que a disciplina que você ministra numa escola dessas provoque a fé”, completou.
Fonte:CNBB

Nossa Senhora Consolata

O nome "Consolata" leva-nos a retroceder de alguns séculos na história. Suas origens se voltam para a imagem de uma gentil "Senhora", estilo bizantino com o Menino Jesus nos braços.
O quadro de N. S. Consolata - que alguém diz ser uma pintura do evangelista S. Lucas, foi um presente do Bispo Eusébio a São Mássimo, primeiro bispo da cidade de Turim-Itália, no fim do século IV, por volta do ano 390. São Mássimo incentivou os fiéis a honrarem Nossa Senhora sob este título: Consolata - palavra do dialeto piemontês - que é o mesmo que" Consoladora". Maria, consolada por Deus, ao trazer-nos Jesus, a grande Consolação, torna-se Consoladora da humanidade. Esta devoção cresceu e se espalhou rapidamente por toda a Região do Piemonte.
O quadro de N. S. Consolata - que alguém diz ser uma pintura do evangelista S. Lucas, foi um presente do Bispo Eusébio a São Mássimo, primeiro bispo da cidade de Turim-Itália, no fim do século IV, por volta do ano 390. São Mássimo incentivou os fiéis a honrarem Nossa Senhora sob este título: Consolata - palavra do dialeto piemontês - que é o mesmo que" Consoladora". Maria, consolada por Deus, ao trazer-nos Jesus, a grande Consolação, torna-se Consoladora da humanidade. Esta devoção cresceu e se espalhou rapidamente por toda a Região do Piemonte.
O período da Idade Média, foi um tempo muito atribulado, com inúmeras guerras e invasões, em vários países da Europa trazendo a todos grande destruição e ruína. A Itália não foi exceção. A cidade de Turim foi bombardeada e a capela, onde o quadro de N. S. Consolata era venerado, ficou totalmente destruída e o quadro ficou enterrado sob os escombros. A história conta que, um senhor francês muito rico, mas cego: Jean Ravais, teve um sonho: Ele viu uma lindíssima senhora com um menino no colo, que lhe dizia: "Vai, à cidade de Turim (na Itália) e re-descobre o meu quadro" e você recuperará a visão.
Vencidas muitas dificuldades - pois ninguém acreditava no que ele dizia -Jean Ravais foi até o local da antiga capela. Narrou o que lhe acontecera ao bispo da cidade, que ante sua insistência, deu ordem para que se iniciassem as escavações; e o quadro foi encontrado. O bispo ergueu o quadro diante do povo que exclamou: Santissima Virgem Consolata, rogai por nós; e o cego imediatamente recuperou a visão - era o dia 20 de junho do ano 1104. A capela foi reconstruída e desde então, a devoção a Nossa Senhora Consolata nunca mais deixou de crescer.
O Fundador, Bem-aventurado José Allamano, confiou a família missionária à CONSOLATA e contemplando-a, ele idealizou os traços dos seus filhos e filhas.
Conheça a Novena da Consolata
Fonte: www.consolata.org.br

Fonte:revista Missões

Julgamento do Massacre de Carajás ainda pode ser anulado

O Supremo Tribunal Federal (STF) está longe de tomar uma decisão sobre a anulação do julgamento que condenou o coronel da Polícia Militar do estado do Pará, Mário Colares Pantoja, pelo massacre ocorrido em Eldorado dos Carajás.
O julgamento do habeas corpus foi interrompido no último dia 14 de junho, após um pedido de vista do ministro Celso de Mello, que pretende estudar com mais tempo o pedido, já negado pelos ministros Ellen Gracie e Gilmar Mendes.
Até que seja adotada a decisão final, o oficial cumpre em liberdade provisória a pena de 228 anos de reclusão por ter comandado a ação que resultou na morte de 19 trabalhadores rurais no dia 17 de abril de 1996.
A defesa do coronel considera que a condenação foi ilegítima por ter sido conduzida por um juiz especial. No entanto, a Procuradoria-Geral da República afirma que a nomeação foi feita devido à falta de um titular na Comarca responsável pelo caso, que ficou parado durante dez meses.
Na primeira denúncia do Ministério Público do Pará, o coronel foi indiciado por abuso de autoridade. Mais tarde, passou a responder por homicídio qualificado. Absolvido no primeiro julgamento, foi considerado culpado por todas as instâncias superiores.
Fonte: www.radioagencianp.com.br
Fonte:revista Missões

Ficha Limpa vale para condenados antes da lei, decide TSE

fichalimpatse














Por 6 votos a 1, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu ontem, 17, que a lei conhecida como Ficha Limpa vale para quem foi condenado antes da lei entrar em vigor, no dia 4 de junho. O ministro Marco Aurélio foi o único que votou contra. O relator, ministro Arnaldo Versiani, ressaltou que a inelegibilidade não é uma pena, mas uma condição que deve ser verificada no momento de registro da candidatura.
O TSE respondeu a consulta feita pelo deputado federal Ilderlei Cordeiro (PPS-AC), que questionou sobre a aplicabilidade da lei já neste ano e sobre a abrangência da lei. O TSE já havia respondido positivamente à primeira na semana passada.
A dúvida sobre a abrangência da lei, em relação aos já condenados antes de sua sanção, surgiu por causa da mudança do tempo verbal introduzida pelo senador Demóstenes Torres, passando de “tenham sido condenados” para “os que forem condenados”.  “O momento de aferição das causas de inelegibilidade é o registro, pouco importa o tempo verbal. Não há direito adquirido à elegibilidade, as causas devem ser aferidas a cada eleição”,  disse Versiani.
“A decisão de ontem, do STE, ao entender que a Lei da Ficha Limpa se aplica também aos condenados antes do dia 7 de junho, foi mais uma vitória da democracia e do povo brasileiro, que se mobilizou para manifestar sua vontade”, disse o secretário da CNBB, dom Dimas Lara Barbosa. “Convém ressaltar a importância da Magistratura em todo esse processo, já que a idéia de um Projeto de Lei de Iniciativa Popular nasceu do protagonismo do TER-RJ, então sob a presidência do Desembargador Marcus Faver, que, por primeiro, procurou vetar a candidatura de pessoas com débitos graves com a Justiça”, acrescentou.
fonte:CNBB

Nota do Nordeste 2 sobre a criação da diocese de Salgueiro

Em nome do Conselho Episcopal Regional Nordeste 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), expressamos nosso agradecimento ao Santo Padre, o Papa Bento XVI, pela Criação da Diocese de Salgueiro – Pernambuco e nosso júbilo pela Nomeação de Dom Magnus Henrique Lopes, OFMCap, como seu primeiro Bispo Diocesano. Nossa palavra de gratidão se entende ao Sr. Núncio Apostólico, Dom Lorenzo Baldisseri, por sua participação na conclusão do processo de Criação da nova Diocese que passa a ser a mais nova Circunscrição Eclesiástica que integra a CNBB.
Unimo-nos, particularmente, ao clero, aos religiosos e religiosas, aos seminaristas, aos vocacionados e aos fiéis da Diocese de Salgueiro, manifestando-lhes nossa alegria por esse momento que se inscreve em sua vida, como membros dessa nova “porção do povo de Deus”. Além de fato histórico importante, a Criação da Diocese, que tem perfil próprio, eclesial e socialmente, estimulará os agentes e animadores a empreender uma auspiciosa caminhada pastoral, a serviço de seus irmãos diocesanos, em comunhão com a Província Eclesiástica de Olinda e Recife e com o Regional Nordeste 2, tendo à sua frente o Pastor que o Senhor lhes envia, como primeiro dom.
Com imensa felicidade, acolhemos Dom Magnus Henrique Lopes como o mais novo membro de nosso Conselho Episcopal Regional Nordeste 2, assegurando-lhe nossa comunhão fraterna, a fim de que, inspirado no seu Lema “Tudo posso naquele que me conforta”, possa cumprir sua missão como Pastor da Diocese de Salgueiro.
Nossa palavra de estímulo às Dioceses de Petrolina e Floresta, co-irmãs mais próximas da nova Diocese, para que continuem mantendo estreitos os vínculos de afinidade pastoral, especialmente no prosseguimento do trabalho comum das Santas Missões Populares.
Ao nosso caro irmão, Dom Paulo Cardoso da Silva, Bispo de Petrolina, nosso reconhecimento por seu incansável empenho para a Criação da Diocese de Salgueiro, acontecimento que dá um significado especial a este seu ano duplamente jubilar de 2010, quando comemora 50 anos de Ordenação Sacerdotal e 25 de Ordenação Episcopal.
Recife, 17 de Junho de 2010
Dom Antônio Muniz Fernandes
Presidente do Regional Nordeste 2
Dom Jaime Vieira Rocha
Vice-Presidente
Dom Genival Saraiva de França
Secretário

Visita ad Limina: bispos do Regional Leste 2 lembram dom Helder Câmara

Ad_Limina_1Na tarde de ontem, 17, dando continuidade a visita ad Limina Apostolorum, os bispos do Regional Leste 2 da CNBB (Espírito Santo e Minas Gerais) foram às catacumbas de Domitila, para celebrar uma missa, presidida pelo vice-presidente do Regional Leste 2 e arcebispo metropolitano de Vitória (ES),  dom Luís Mancilha. As catacumbas de Domtilia tem especial importância para os bispos brasileiros, em razão do assim chamado “Pacto das catacumbas”. Trata-se de um acordo fraterno realizado entre vários bispos conciliares, liderados por dom Helder Câmara, de tornarem o ministério episcopal mais despojado e simples.
Antes, pela manhã, após a celebração das laudes, presididas pelo presidente do Regional Leste 2 (Espírito Santo e Minas Gerais) e arcebispo metropolitano de Belo Horizonte (MG),  dom Walmor Oliveira de Azevedo, os bispos saíram em direção à Praça São Calixto, para as visitas agendadas.
Ad_Limina_2O primeiro dicastério visitado foi o Pontifício Conselho para os Leigos, que teve como bispo relator o presidente da Comissão Laicato do Regional Leste 2 e  bispo diocesano de Araçuaí (MG), dom Severino Clasen, apresentando um relatório completo da atual situação do laicato no regional, considerando as quatro frentes de trabalho da Comissão: Juventude, Conselho de Leigos, Pastoral Familiar e CEB´s. Dom Severino destacou ainda alguns desafios para esta frente de trabalho, sobretudo em se tratando da real valorização dos leigos e leigas.
Em seguida, os bispos visitaram o Pontifício Conselho para a Justiça e Paz, onde o bispo diocesano de Sete Lagoas, dom Guilherme Porto, apresentou o relatório sobre a ação social da Igreja, através das muitas pastorais, no Regional Leste 2. O arcebispo secretário do dicastério, Monsenhor Mario Toso,  alertou para a necessidade de se trabalhar a questão da doutrina social da Igreja, principalmente promovendo um aprofundamento da encíclica Caritas in Veritate, aprofundamento não apenas teórico, mas principalmente prático.
Ad_Limina_3O último dicastério visitado foi o Pontifício Conselho para a Família, quando o bispo diocesano de Divinópolis (MG), dom Tarcísio Nascentes, expôs, com clareza, a questão da família, tanto em nível nacional quanto regional, apontando principalmente os muitos desafios que se tem nesse campo de atuação da Igreja. O presidente do referido conselho, cardeal Ennio Antonelli, acolheu  os bispos e apontou as questões principais, insistindo que cada paróquia tenha, ao menos, um núcleo de famílias bem estruturadas, para servir de ânimo e testemunho para todos. Os bispos contribuíram, apresentando questões pastorais em torno da educação dos filhos para a fé, dos casais em segunda união, dos casais unidos sem vínculo do matrimônio.
fonte:CNBB

Procissão de Entrada/ Festa do Jubileu de Prata - Paróquia Coração de Jesus - Diocese de SJC

SS

quinta-feira, 17 de junho de 2010

25 Anos Evangelizando e Construindo Comunidades....Paróquia Coração de J...

A Semana do Migrante e o Dia Mundial do Refugiado no Brasil

Neste domingo, 20, é comemorado o Dia Mundial do Refugiado, com o tema “Tiraram minha casa, mas não podem tirar meu futuro”. A data foi criada conforme resolução da Assembleia Geral da ONU, com o objetivo de expressar solidariedade à África, continente que abriga o maior número de refugiados e que, tradicionalmente, já celebrava o Dia Africano do Refugiado nesta mesma ocasião.
Também no domingo, termina a Semana do Migrante, que teve início no dia 13. O evento é celebrado há 25 anos pelo Serviço Pastoral dos Migrantes (SPM), organismo vinculado à CNBB. Durante a Semana são publicados diversos materiais como cartazes, texto-base, círculos bíblicos, camisetas. Partindo das sugestões das equipes de base da Pastoral, definem-se, todos os anos, um tema e um lema. Estes sempre procuram aprofundar o tema da Campanha da Fraternidade em curso.
diamundialdorefugiado2Este ano, para celebrar o Dia Mundial do Refugiado e a Semana do Migrante, a assessora da Pastoral dos Brasileiros no Exterior da CNBB e diretora do Instituto Migrações e Direitos Humanos (IMDH), irmã Rosita Milesi; e o pesquisador do IMDH, William Cesar de Andrade escreveram um artigo que serve como subsídio para conhecimento e análise, com alguns dados importantes sobre “Migrações Internacionais no Brasil – Realidade e Desafios contemporâneos”.
De acordo com o texto, com base no relatório “Ultrapassar barreiras: mobilidade humana e desenvolvimento humano”, existem hoje, em todo o mundo, cerca de 200 milhões de migrantes internacionais. Número que cresceu 9 milhões desde o último relatório. Ainda sobre as causas presentes nas migrações internacionais da atualidade, são causas conhecidas e aceitas para o “atual processo de mobilidade humana, transformações ocasionadas pela economia globalizada, a mudança demográfica em curso nos países de primeira industrialização, o terrorismo, entre outros”, relata o texto.
Os dados sobre a imigração no Brasil também estão presentes no artigo. Uma tabela com as imigrações que ocorreram entre os anos de 1836 a 1968 revelam que o país abriga cerca de 1.76 milhão de portugueses. Logo depois, em números também bastante elevados vêm os italianos, cerca de 1.62 milhão e em seguida os espanhóis: 719 mil.
Com tantos imigrantes, o Brasil foi obrigado a adotar o sistema de regularizações migratórias, pleiteadas reiteradamente por vários seguimentos da sociedade. A última anistia para documentar os imigrantes ilegais realizada no país aconteceu no ano passado, quando entre 43 e 45 mil imigrantes requereram sua regularização. Do total de solicitados, cerca de 40% são bolivianos (16.881). Parte deles era explorada como mão de obra semi-escrava e alvo de traficantes. O segundo lugar ficou com os chineses (5.492), seguidos pelos peruanos (4.642), paraguaios (4.135), coreanos (1.129), outros (10.720).
Comemorações
A Universidade Católica de Santos (UniSantos) promove nesta quinta e sexta-feira, 17 e 18, o I Seminário Nacional Cátedra Sérgio Vieira de Mello. O evento celebra o Dia Mundial do Refugiado 2010. A Cátedra é uma homenagem ao brasileiro Sérgio Vieira de Mello, morto no Iraque em 2003, e foi lançada para difundir o direito internacional humanitário, os direitos humanos e o direito dos refugiados. Promove, também, a formação acadêmica e a capacitação de professores e estudantes nesses temas. O tema deste ano é “O Papel das Universidades na Assistência aos Refugiados”.
A Agência da ONU para os Refugiados (ACNUR), este ano, promove eventos em todo o mundo para destacar a situação dos refugiados que estão sob seus cuidados e advogar em favor dos seus interesses e necessidades. No Brasil estão sendo realizados os seguintes eventos: hoje, 17, atividade cultural “Novos caminhos, novas culturas”, no SESC Carmo, em São Paulo. O 1º Seminário Nacional Cátedra Sérgio Vieira de Mello, que ocorre no campus da UniSantos é também promovido pela ACNUR. No dia 11 aconteceu a cerimônia de abertura da Copa do Mundo 2010 – sessão especial para refugiados, na Cáritas-RJ. E, nos dias 7 a 9, houve a Feira Acadêmica com refugiados e estudantes da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), no campus da UERJ.
Mensagem do bispo
cartazmigrante2010O bispo de Jales (SP) e presidente da Cáritas Brasileira, dom Luíz Demétrio Valentin, escreveu uma mensagem por ocasião do Jubileu de Prata do Serviço Pastoral dos Migrantes (SPM). O texto foi publicado na véspera da 25ª Semana do Migrante.
“A trajetória do SPM nestes 25 anos sempre se pautou pela postura evangélica em favor dos migrantes, lembrando das palavras de Cristo: ‘Fui peregrino e me acolhestes”, e a afirmação do Deuteronômio: “Meu pai era um arameu errante’” (Dt 26, 5)'", diz dom Demétrio na mensagem. Ele ainda relata que a presença do SPM "foi muito eficaz para a defesa e conquista dos direitos dos migrantes, na luta corajosa em favor de condições dignas de trabalho, remuneração justa, moradia e alimentação adequada, saúde preservada [...] - para uma inserção eclesial e social dos migrantes".
Para mais informações sobre as atividades do Dia Mundial do Refugiado no Brasil, entre em contato com a Unidade de Informação Pública do ACNUR, no telefone (61) 3044-5744 ou pelo e-mail informacao@unhcr.org
Fonte:CNBB

Comissão de Revisão das DGAE se reúne para discutir modificações no texto atual

DGAE_1_reuniaoA Comissão de Revisão das Diretrizes Gerais da Evangelização da Igreja no Brasil (DGAE) da CNBB esteve reunida na sede da Conferência, em Brasília, nos dias 15 e 16. A reunião foi a primeira de quatro que se realizarão até abril de 2011.
De acordo com o membro da Comissão e arcebispo de São Luís (MA), dom José Belisário da Silva, será feito um primeiro texto de uso interno até novembro, quando acontece o segundo encontro da Comissão. A partir de novembro até fevereiro de 2011, quando acontece a segunda reunião, a Comissão pretende concluir a primeira versão do texto, que será encaminhada a todos os bispos e Comissões. Dom Belisário destaca que a priori se trata de um texto de consulta.
O texto ainda em sua primeira versão será levado para discussão na 49ª Assembleia Geral da CNBB.reuniao_dgae2
Importante
Na 48ª AG foi aprovado que as atuais DGAE continuem com algumas modificações. “Nosso trabalho agora é apenas modificar aquilo que cabe ser alterado para que assim possamos levar à discussão na próxima AG de 2011”, afirmou o arcebispo.
Dom Belisário ressalta ainda a importância das DGAE para a Igreja Católica no Brasil. “É bom destacar que esse texto é importantíssimo, porque é ele o direcionador do trabalho da Igreja nos quatro próximos anos e é ele também que dá a unidade da pastoral e da presença da Igreja durante o quadriênio”. As DGAE são publicadas em formato de livro e fazem parte da coleção azul - documentos da CNBB.
A Comissão de Revisão é composta por cinco bispos: o arcebispo de Belém (PA), dom Alberto Taveira Corrêa; o bispo prelado de São Félix (MT), dom Leonardo Ulrich Steiner, OFM; o bispo de Caraguatatuba (SP), dom Antonio Carlos Altieri; o bispo de Araçuaí (MG), dom Severino Clasen, OFM; e o arcebispo de São Luís (MA), dom José Belisário da Silva, OFM.
A Comissão tem ainda a assessoria do assessor da Comissão Episcopal para a Doutrina da Fé, padre Wilson Angoti; do teólogo padre Joel Portela, e do doutor em teologia, padre Agenor Brighenti

Fonte:CNBB

Convite da ordenação Diaconal dos Seminaristas Fabiano Cleber e Luciano

 

Seminaristas Fabiano e Luciano serão ordenados Diáconos 17/06/2010 No dia 25 junho, às 19h30, os seminaristas Fabiano Kleber Cavalcanti e Luciano Barbosa serão ordenados diáconos na Paróquia São José Operário, em São José dos Campos. Confira entrevista com o seminarista Fabiano. Como foi sua caminhada Pastoral antes do seminário? Minha caminhada pastoral na igreja, como membro efetivo mesmo, foi iniciada entre 1989-1990, no grupo de jovens São Francisco de Assis, na capela São João Bosco, hoje Paróquia Maria Auxiliadora dos Cristãos, no Parque Meia Lua - Jacareí. Fui me envolvendo aos poucos e ao mesmo tempo assumindo compromissos: Coordenação de grupo; monitor de crisma, grupo de teatro, Pastoral litúrgica e Coordenação de CPP. E o Ano Pastoral? Atualmente estou na Paróquia São José Operário, na Vila Paiva, em São José dos Campos, vivendo está experiência do Ano Pastoral. Este é um tempo forte em nossa vida e nossa vocação, um tempo de refletir próximo ao rebanho sobre os desafios e as expectativas da missão almejada. Conte um pouco de sua história vocacional? Como foi a descoberta da sua vocação? Bem, minha vocação foi e está sendo moldada no decorrer da minha história existencial. Pois, antes, nunca me passou pela cabeça a idéia de ser Padre, nunca fui coroinha, mas freqüentava as missas aos domingos e dias Santos. E quando comecei a participar do grupo de jovens São Francisco do Assis, no Parque Meia Lua – Jacareí, e ao assumir outras responsabilidades na igreja, comecei a fazer os encontros vocacionais – DISPERTAR, na Diocese de São José dos Campos, e me questionava que poderia servir melhor e com mais empenho à igreja na qual abraça a fé com afinco e dedicação. Depois de fazer todos os retiros vocacionais entrei no Seminário em 1997, no Propedêutico, depois fui para a Filosofia, onde conclui o curso em 2000. Então, em dezembro deste ano – 2000, depois de uma reflexão e partilha com alguns padres, resolvi deixar o seminário e refletir melhor sobre minha vocação e missão na igreja e no mundo. Fiquei de 2001 até 2005 com a minha família, trabalhei, estudei, namorei e depois de uma experiência profunda com Deus resolvi deixar meus projetos de lado e retornar ao seminário para assumir o projeto de Deus na minha vida. E em 2006 fui para a Teologia, conclui o curso em 2009, e agora me sinto feliz e realizado naquilo que optei para minha vida e vocação. O que o motivou para ter escolhido o seu lema diaconal? O Lema escolhido é: “Se o preço dos nossos sonhos bons for a imolação de toda uma existência no altar da renúncia e da disponibilidade, conta conosco, Senhor!”. Este lema é fruto de uma reflexão que está no livro do Pe. Roque Schneider, Sj – “O Evangelho em nossa Vida”. Pois a partir do serviço prestado por tantos homens e mulheres que colocaram suas vidas na construção do Reino de Deus, querendo e desejando um mundo mais humano e mais divino, nós também desejamos entregar nossas vidas neste altar onde foram imoladas todas estas santas vidas. Como é estar na reta final, rumo ao sacerdócio? Como está sendo este momento, em preparação ao sacerdócio? Quais suas expectativas? Estou vivendo num tempo de expectativas e ao mesmo tempo de certezas. Expectativas para que tudo se realize da melhor maneira possível. E certezas, a partir da experiência vivida com o povo, que na concretude da vida nos ensinam e nos estimulam a vencer os desafios afirmando cada vez mais nossa fé em Deus. Cada dia tenho a certeza da minha missão, e cada dia que vivo com o povo fica mais claro e próximo o sonho de Deus para o mundo. Estas expectativas alimentam e fortalecem minha vocação e missão. Que mensagem você passaria para os jovens que se sentem chamados à vida sacerdotal? Trago para todos os jovens a mensagem de um homem pequenino em estatura, mas grande diante da humanidade e de Deus, Dom Helder Câmara, que viveu com intensidade e amor sua missão e seu Ministério Sacerdotal: “Jovem, aceita as surpresas que... transformam teus planos, dão rumo diverso ao teu dia e, quem sabe, à tua vida...”. Estas surpresas estiveram e estão presentes todos os dias da minha vida. O que mudou na sua vida após sua entrada no seminário? Depois que entrei no Seminário a primeira mudança aconteceu comigo mesmo. Comecei a ver as situações, atitudes e pensamentos a partir de um prisma diferente, pois estava me formando para ser um Padre, para pastorear um rebanho, então tinha que ter atitudes diferentes, pensamentos diferentes. E então, é natural que até o ciclo de amizades e de conhecimento se estenda para além da diocese. Foram construídas novas amizades, fortalecidas as já existentes, e até esquecidas algumas, mas é natural que isso aconteça. Comecei a escrever uma nova história, agora com mais pessoas, com novas situações, com mais expectativas, outras motivações e todas alimentadas pela Eucaristia e pela Palavra de Deus. Percebi que meus sonhos, também são o sonho de Deus, e que Ele sempre está nos ajudando a concretizar está este sonho, que também é o sonho da humanidade. fonte: site da diocese SJC

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Clip da Missa do Pe Rinaldo - Jubileu de Prata - Paróquia Coração de Jesus

Eu vim de lá do interior... Show Pe. Zezinho - Paróquia coração de Jesus

Benção de Dom Moacir - Show do Pe. Zezinho - Paróquia coração de Jesus

Partilhando a Vida - Show do pe. Zezinho - Paróquia coração de Jesus

Nacional de Educação Católica

Dom Giovani Joaquim Mol abre oficialmente o Congresso 


O bispo auxiliar da arquidiocese de Belo Horizonte (MG) e reitor da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), dom Joaquim Giovani Mol Guimarães, ministrará a palestra “Educação Católica, Identidade e Inovações para uma Sociedade Plural”, na abertura do Congresso Nacional de Educação Católica,  dia 21, em Brasília.
Dom  Joaquim Mol é presidente do Conselho Superior da Associação Nacional de Educação Católica (Anec), instituição que promove o congresso de 21 a 23, com o tema Educação, Inovação e Empreendedorismo Global.
Considerado o maior evento realizado no Brasil com a proposta de debater o ensino religioso, é  voltado para gestores, mantenedores, coordenadores, educadores, docentes, religiosos, profissionais técnicos do ensino básico e superior, profissionais da imprensa e demais interessados no tema.
O objetivo é propiciar momentos de reflexão, visando melhorias na realidade educacional dos participantes que representam instituições de ensino católicas de todo o país.
Fonte:CNBB

Papa nomeia bispo coadjutor para Caxias do Sul, cria a diocese Salgueiro e nomeia seu primeiro bispo

papa2O papa Bento XVI erigiu, nesta quarta-feira, 16, uma nova diocese no Brasil e nomeou seu primeiro bispo. Trata-se da diocese de Salgueiro, no Pernambuco, desmembrada das dioceses pernambucanas de Petrolina e Floresta.
O primeiro bispo da nova diocese será o frei Magnus Henrique Lopes, da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, nomeado hoje pelo papa, que comunicou também a nomeação de dom Alessandro Ruffinoni como bispo coadjutor da diocese de Caxias do Sul (RS), transferindo-o da arquidiocese de Porto Alegre (RS).

Frei Magnus
Natural de Assu, no Rio Grande do Norte, frei Magnus nasceu no dia 31 de julho de 1965. Entrou para o Ordem dos Capuchinhos em 1988, cursando Filosofia na Faculdade de Filosofia do Recife e Teologia no Instituto Franciscano de Olinda. Foi ordenado padre no dia 21 de dezembro de 1996.
Com bacharelado em Psicologia pelo Centro de Estudos Superiores de Maceió e mestrado em Teologia Moral pela Academia Alfonsiana, em Roma, frei Magnus foi animador vocacional dos Capuchinhos do Nordeste, mestre de postulantes em Maceió, ecônomo em várias fraternidades da Província, vigário paróquia de diversas paróquias e vigário da Fraternidade Capuchinha de Maceió.

Atual guardião e ecônomo da Fraternidade do Convento Santo Antônio em Natal, frei Magnus foi também Definidor Provincial, ministro dos Capuchinhos do Brasil e diretor espiritual de diversos grupos, movimentos e pastorais.

Dom Alessandro
Ordenado bispo auxiliar de Porto Alegre em 17 de março de 2006, dom Alessandro nasceu em San Martino de'Calvi, na Itália, no dia 26 de agosto de 1943. Tem como lema episcopal: “Na Igreja ninguém é estrangeiro”.
Antes de ser ordenado bispo, dom Alessandro foi animador vocacional no Brasil e reitor em Guaporé (RS); diretor CIBAI em Porto Alegre; reitor na Ciudad Del Este, no Paraguai; pároco no Paraguai; diretor do Centro Missioneiro na Ciudad del Este; Vigário Geral na diocese de Ciudad del Este; Superior Provincial em Porto Alegre (RS) e coordenador da Pastoral dos Migrantes em Assunção, no Paraguai.
Fonte:CNBB

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Pastorais Sociais analisam documentos da CNBB na abertura do seu encontro nacional

geral_encontro_nacion_past_sociais










A partir de uma análise de conjuntura e uma análise das estruturas em vista de um novo paradigma civilizacional e de desenvolvimento, com base nos documentos da CNBB: “Em Busca dos Sinais dos Tempos” e “Igreja e Questões Agrárias no Início do Século XXI” – teve início, na tarde desta segunda-feira, 14, em Brasília, o Encontro Nacional das Pastorais, Organismos e Regionais da CNBB, que conta com a participação de 80 coordenadores nacionais das Pastorais Sociais. Propriedade da terra, eleições 2010 e Reforma do Estado foram os primeiros assuntos discutidos hoje.
professor234O Encontro segue até a próxima quinta-feira, 17. Até lá, a programação vai sugerir discussões pertinentes sobre as esferas políticas, econômicas, sociais e ambientais. Logo na primeira análise, o professor titular de geografia agrária, da Universidade de São Paulo (USP), Ariovaldo Umbelino de Oliveira, destacou a importância do documento “Igreja e Questão Agrária no Início do Século XXI”.
“O documento é importante porque vem suscitar a discussão em torno da terra. Nesse âmbito, temos dois focos: a terra como negócio, latifúndio que não produz para o brasileiro; e a terra apropriada pelas famílias, que tem por objetivo produzir para as famílias e que não explora o trabalho alheio. É diante desses aspectos que esse documento se faz importante, não só junto aos movimentos sociais, como também para a discussão no campo acadêmico”, afirmou.
pesquisador455Sobre o documento “Em Busca dos Sinais dos Tempos”, o pesquisador Centro de Pesquisa e Apoio ao Trabalho (Cepat), César Sanson, destacou que é uma contribuição às pastorais sociais e movimentos para interpretar as grandes mudanças que estão acontecendo na sociedade hoje. “O documento nos faz pensar sobre a crise civilizacional que se manifesta através de uma série de crises: a ecológica, enérgica, alimentar, econômica, do trabalho, que permeia um caráter ético e cultural”, disse. “Vivemos uma profunda crise sistêmica e entender o caráter dessa crise é importante para a definição de uma ação social consequente”, completou o pesquisador. César compôs a primeira mesa de abertura do Encontro.
Além da mesa que colocou em evidência os documentos da CNBB, também houve, na tarde de hoje, a participação do secretário executivo do Mutirão pela Superação da Miséria e da Fome, padre Nelito Dornelas, que falou sobre o conteúdo das mensagens divulgadas durante a 48ª AG da CNBB. O segundo horário contou também com a presença do secretário executivo da Comissão Brasileira de Justiça e Paz (CBJP), Daniel Seidel, que apresentou o conteúdo do documento 91, da CNBB, “Por uma Reforma do Estado com Participação Democrática”.
Padre Nelito ressalta que o conteúdo das mensagens é indispensável ser destacado no Encontro Nacional das Pastorais, Organismos e Regionais da CNBB, porque o evento significa uma grande reunião dos formadores de opinião das Pastorais Sociais. “É importante falar das mensagens e notas divulgadas durante a última Assembleia dos Bispos, porque estão presentes aqui, 80 coordenadores das Pastorais Sociais, ou seja, a direção, os formadores de opinião dessas pastorais, e eles precisam ficar a par do que foi publicado pela CNBB sobre a conjuntura, que vale tanto para a Igreja como para a sociedade, porque com isso, nos qualificamos para fazer nossos trabalhos nas bases”.
Amanhã
Nesta terça-feira, 15, pela manhã, os trabalhos começam às 8h30, logo após a celebração eucarística, com um balanço sobre a 2ª Assembleia Nacional Popular, que aconteceu em Luziânia (GO), entre os dias 25 e 28 de maio. Além da Assembleia, o balanço também será focado na preparação do plebiscito do limite da propriedade, no Grito dos Excluídos, na Ficha Limpa, e na CPI da Dívida.

Fonte: CNBB

Romaria - Show do Pe. Zezinho - Paróquia Coração de Jesus

Chalana - Show do Pe. Zezinho - Paróquia Coração de Jesus

Semana do Migrante

Demétrio Valentini *
Em pleno mês da copa, com os olhos voltados para a África, temos pela frente a Semana do Migrante. Aberta neste domingo dia 13, vai se concluir no próximo dia 20, quando no Brasil se celebra o Dia Nacional do Migrante.
A promoção e a organização da Semana do Migrante está a cargo do SPM - Serviço Pastoral dos Migrantes, o organismo da CNBB incumbido de incentivar a acolhida e a valorização dos migrantes nas comunidades da Igreja.
Desta vez o SPM está completando 25 anos. Um motivo a mais para conferirmos a realidade migratória em nosso país, com as interpelações que ela nos apresenta. Ao longo destes 25 anos o SPM foi se firmando como uma importante referência para a problemática dos migrantes, seja pelos locais de acolhida, espalhados pelo Brasil afora, seja pela atuação sistemática, constante, atenta, de presença e acompanhamento aos migrantes em nosso país.
Para avaliar a importância da atuação da Igreja junto aos migrantes, nada melhor do que conferir os benefícios trazidos pela recente lei da anistia aos indocumentados, oferecendo a possibilidade de regularizarem sua permanência no país, aprovada recentemente. Sem o apoio do Setor de Mobilidade Humana da CNBB, dentro do qual se insere o Serviço Pastoral dos Migrantes, com certeza não se teria chegado a esta lei, com a abertura que ela apresenta, e com as possibilidades que ela proporciona. Uma lei com conteúdo muito humano, que honra o Brasil, e que serviria de exemplo para tantas situações que os migrantes vivem hoje no mundo.
É tradição firmada nestes 25 anos de atuação do SPM, assumir para a Semana do Migrante o mesmo tema da Campanha da Fraternidade. Além de boa, esta opção é estratégica, pois revela a importância de inserir as atividades pastorais num contexto mais amplo da ação da Igreja, para que encontrem respaldo e possam se integrar num processo permanente. Assim, em cada ano, o tema da Campanha da Fraternidade pode ser aprofundado, vendo suas incidências na realidade migratória, de acordo com a proposta de "uma economia a serviço da vida".
No que se refere à ação cotidiana do SPM, ela tem três focos distintos, que servem de referência para a atuação pastoral junto aos migrantes.
O primeiro deles é constituído pelas migrações sazonais. A cada ano, milhares de pessoas saem em busca de trabalho, sobretudo nos canaviais que se espalham pelo país. Os outros dois focos são os migrantes urbanos, e os imigrantes estrangeiros.
No mundo há situações muito mais tensas. Em cada época, os fluxos migratórios assumem feições que retratam a problemática que os suscita. Hoje a tensão migratória é resultado das grandes diferenças econômicas existentes no mundo, que não são fruto do acaso, mas têm causas bem identificadas.
O continente africano, que nestes dias está na mira de nossas atenções, serve de referência também para entendermos como se apresenta hoje o fenômeno migratório. A situação em alguns países africanos é tão dramática, que se fosse possível a população migraria toda para a Europa. Se as riquezas descobertas nos tempos da colonização européia tivessem sido aplicadas na própria África, com certeza não haveria hoje tantos africanos sonhando com a Europa e forçando a barra para atravessar o mediterrâneo.
As migrações têm o seu lado positivo, de intercâmbio de culturas e de nova composição étnica das nações. Mas revelam também o lado escuro dos processos de exploração que continuam produzindo impasses e provocando migrações forçadas.
Em tempos de copa do mundo na África, quando de novo o esporte serve de utopia da confraternização mundial, é salutar uma Semana do Migrante, para sonharmos com os caminhos que podem tornar este mundo uma casa habitável para todos, sem preconceitos, sem injustiças e sem discriminações.
* Bispo de Jales (SP) e Presidente da Cáritas Brasileira

Fonte: SPM - Serviço Pastoral dos Migrantes

Governo dos EUA homenageia frei Xavier Plassat, da CPT

xavierplstO coordenador da Campanha da Comissão Pastoral da Terra (CPT)  de Combate ao Trabalho Escravo, o dominicano francês, frei Xavier Plassat, foi um dos nove selecionados pelo governo dos Estados Unidos, como ‘herói’ no combate ao trabalho escravo e ao tráfico de pessoas no mundo. Nesta segunda-feira, 14, foi lançado o relatório anual ‘Tráfico Internacional de Pessoas’, em Washington. Participou da solenidade a secretária de Estado norte-americano, Hilary Clinton.
A homenagem acontece anualmente e é organizada pelo Departamento de Estado dos EUA, que escolhe indivíduos ao redor do mundo que têm dedicado suas vidas à luta contra o tráfico de seres humanos.
Os escolhidos geralmente são militantes de ONGs e movimentos sociais, legisladores, policiais e cidadãos interessados, que estão empenhados em acabar com a escravidão moderna. Eles são reconhecidos por seus esforços incansáveis - apesar da resistência da oposição, e ameaças às suas vidas - em proteger as vítimas, punir os criminosos, e sensibilizar a população contra práticas criminosas em seus países e no exterior.
Além do frei Xavier Plassat, foram escolhidos, também, Aminetou Mint Moctar, da Mauritânia; Natalia Abdullayeva, do Uzbequistão; Linda Al-Kalash, da Jordânia; Ganbayasgakh Geleg, da Mongólia; Christine Sabiyumva, de Burundi; Sattaru Umapathi, da Índia; Irén Adamné Dunai, da Hungria; e Laura Germino, dos Estados Unidos.
O grupo permanece nos Estados Unidos até o dia 19 de junho, participando de atividades com a sociedade, governo e imprensa, a fim de sensibilizar o país, e também o mundo, sobre a questão da escravidão contemporânea e o tráfico de pessoas. Segundo frei Xavier, está sendo uma oportunidade de trocar experiências com os lutadores de outros países, conhecendo a sua realidade, dificuldades e êxitos no combate ao trabalho escravo e ao tráfico humano.
Homenagem da França
Em dezembro de 2009, frei Xavier, juntamente com mais dois dominicanos, freis Henri Burin dês Roziers e Jean Raguenes foram homenageados pela sua atuação social no Brasil, na luta contra o trabalho escravo e as violências agrárias. A homenagem foi idealizada pela embaixada francesa em Brasília e fez parte das comemorações do Ano da França o Brasil. O evento aconteceu na embaixada francesa, em Brasília.
fonte:CNBB

WAlmir Alencar - Show do Pe. Zezinho - Paróquia Coração de Jesus

Animadores (as) na Solenidade do Coração de Jesus - Paróquia Coração de ...

Show do Pe. Zezinho (3) Jubileu de Prata da Paróquia Coração de Jesus

Show Pe. Zezinho (2) - Jubileu de Prata da Paróquia Coração de Jesus - Diocese de São José dos Campos - SP

Jubileu de Prata da Paróquia Coração de Jesus - Diocese de São José dos Campos - SP


Show do Pe. Zezinho _ Paróquia Coração de Jesus - Diocese de SJCampos - SP (1)