sábado, 4 de setembro de 2010

AS COMUNIDADES ECLESIAIS DE BASE E OS SEUS CANTOS: EXPRESSÕES DA REALIDADE E VISÕES DE MUNDO.






 Entra na roda com a gente

Deus chama a gente pra um momento novo,
De caminhar junto com seu povo,
É hora de transformar, o que não dá mais.
Sozinho, isolado, ninguém é capaz!

Por isso vem! Entra na roda com a gente
Também você é muito importante! Vem!

Não é possível crer que tudo é fácil,
Há muito força que produz a morte,
Gerando dor, tristeza e desolação,
É necessário unir o cordão!

A força que hoje faz brotar a vida,
Atua em nós pela sua graça.
É Deus que nos convida pra trabalhar
O amor repartir e a força juntar!”

O canto utiliza a roda como símbolo de integração da comunidade que atende ao apelo de Deus, cuja participação de todos é importante e necessária para construir o cordão contra as forças que produzem o mal. Nas celebrações, nos cultos, nos encontros das CEBs, geralmente se começa com todos os participantes entoando o canto, e quando chega no refrão: por isso vem...,é feita uma grande roda pelos participantes (de mãos dadas) e de forma descontraída e alegre todos repetem o refrão, e assim continua sucessivamente o canto. A utilização da roda como elemento de interação do canto e das atividades desenvolvidas (celebrações...) constitui-se como um elemento de afirmação essencial do senso de comunidade, são gestos que podem parecer banais, mas que dispõem de uma eficácia simbólica surpreendente.
Fonte: REVISTA DE ESTUDOS SOBRE AS COMUNIDADES ECLESIAIS DE BASE
Universidade Católica de Brasília



sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Congresso Vocacional começa hoje em Itaici e deve reunir 400 pessoas

3congvocacionalcartaz2Uma celebração às 20h, desta sexta-feira, 3, presidida pelo bispo da prelazia de São Felix (MT), dom Leonardo Ulrich Steiner, marca a abertura do 3º Congresso Vocacional do Brasil, em Itaici, município de Indaiatuba (SP). Promovido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o Congresso é organizado pela Comissão Episcopal para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada, da CNBB, e deve reunir 400 pessoas até o feriado de 7 de setembro.
O presidente da CNBB, dom Geraldo Lyrio Rocha, e o secretário geral, dom Dimas Lara Barbosa, confirmaram presença no evento. Além deles, são esperados também os bispos responsáveis pelo Serviço de Animação Vocacional (SAV) nos 17 Regionais da CNBB e convidados internacionais.
O Congresso tem a finalidade de celebrar a caminhada vocacional da Igreja no Brasil. Ele se inspira no Sínodo sobre a Palavra de Deus, realizado em Roma, em 2008, e também no documento da Conferência dos Bispos da América Latina e Caribe, que aconteceu em Aparecida (SP), em 2007. Traz como tema: “Discípulos missionários a serviço das vocações” e como lema “Ide, pois, fazer discípulos entre todas as nações”.
A primeira conferência do Congresso será proferida na manhã de sábado, 4, pelo teólogo padre Agenor Brighenti, e tem como tema: “Vocações no atual contexto socio-cultural e eclesial. Durante todo o dia, os participantes discutirão este tema em grupos.
Já o teólogo, padre João Batista Libânio, apresenta, na manhã de domingo, 5, a conferência “Teologia do discipulado e da missão”. Este tema também será aprofundado ao longo do dia nos grupos. Na segunda-feira, 6, padre Gilson Maia, que é membro equipe executiva do Congresso, encerra o ciclo das conferências falando sobre “Questões práticas”.
As atividades do Congresso, a partir de amanhã, começam sempre com a missa às 7h, na capela da Casa de Retiro Vila Kostka, em Itaici. O Congresso deve aprovar, na terça-feira, 7, um documento final a ser construído ao longo da reunião.

Histórico

O 1º Congresso Vocacional do Brasil foi realizado em 1999, também em Itaici. Teve como tema: “Vocações e Ministérios para o Novo Milênio” e contou com a participação de 400 pessoas. Já o segundo Congresso se realizou em 2005, no mesmo local do primeiro. Desta vez, os participantes discutiram o tema “Igreja, povo de Deus a serviço da vida”.

Fonte:CNBB

“A luta principal do Grito dos Excluídos é pela vida”, destacou Ari Alberti


GritodosExcluC3ADdos_2010_cartazNa próxima terça-feira, 7, o Brasil celebra o Dia da Independência. No mesmo dia é também realizado o Grito dos Excluídos 2010. Neste ano, 16ª edição do evento, o tema escolhido foi “Vida em primeiro lugar”, e o lema “Onde estão nossos direitos? Vamos às ruas para construir um projeto popular”.
O evento foi promovido pela primeira vez em 1995, ano da Campanha da Fraternidade sobre os Excluídos. Foi precedido de outras iniciativas como o “Grito da Amazônia” e “Grito da Terra”. Foi proposto então pelo “Setor de Pastoral Social”  da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).
Segundo o jornal do Grito dos Excluídos, um dos objetivos do evento deste ano é “denunciar as formas de injustiças promovidas pelo sistema capitalista implantado em nosso país, que causa a destruição e a precarização da vida do povo e do planeta”.
Segundo o coordenador nacional do Grito dos Excluídos 2010, Ari Alberti, o tema deste ano visa os direitos essenciais: “A luta principal do Grito é pela vida. E dentro disso, trazemos o lema deste ano que busca os direitos básicos assegurados pela Constituição Federal como saúde, segurança, educação, lazer e outros.”
Este ano, o Grito dos Excluídos acontece em conjunto com o Plebiscito pelo Limite de Propriedade da Terra. “A constituição assegura que em fatos de relevância nacional, a sociedade deva ser consultada. O povo tem respondido bem a isso. Um exemplo claro foi o projeto de lei “Ficha Limpa”, que foi uma ação direta do coletivo, e acredito que assim será com experiência do plebiscito”, afirmou Ari Alberti.
O Grito dos Excluídos acontece em todo o Brasil, e em Brasília ocorre na Esplanada dos Ministérios, durante as comemorações da Independência do Brasil.
Saiba mais no site do movimento em www.gritodosexcluidos.org/
Fonte:CNBB

Homilia - Dom Moacir- Comunidade madre Tereza de Calcutá - Pinheirinho

Nasce mais uma Comunidade na Diocese de São José dos Campos: Comunidade Madre Tereza de Calcutá - Pinheirinho

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Formação para animadores (as), coordenadores (as) das CEBs/ Paróquia Coração de Jesus


No dia 29 de agosto,  aconteceu na Paróquia Coração de Jesus, a formação Paroquial para animadores (as) e coordenadores (as) das CEBs. Participaram no encontro 53 pessoas, foi um momento de reflexão e partilha. Pe. Rogério Felix e Pe. Alexsandro passaram pelo encontro e deixaram suas mensagens:
Pe. Alexsandro: "Se é pra ir a luta, eu vou Se é pra tá presente, eu tô. Pois na vida da gente o que vale é o amor."
Pe. Rogério esclareceu para os participantes que as CEBs são prioridade na Paróquia Coração de Jesus.

 

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

A Igreja no Brasil promove a Semana Brasileira da Missão Continental


A Igreja no Brasil promove a Semana Brasileira da Missão Continental Postado por missões às 14:13 31 de agosto de 2010 Está se aproximando um grande evento nacional da Missão Continental da Igreja no Brasil. É a semana brasileira da missão continental, que acontecerá de cinco a onze de setembro de 2010, no Centro Cultural Missionário – CCM, em Brasília. É muito importante lembrar que assumimos o compromisso de uma grande missão em todo o Continente, que de nós exigirá aprofundar e enriquecer todas as razões e motivações que permitam converter cada cristão em discípulo missionário. Para isto, necessitamos desenvolver a dimensão missionária da vida de Cristo. Para a V Conferência, os bispos chegaram em Aparecida com a ideia de uma grande missão. E saíram com a Missão Continental. Por isso mesmo devemos centrar força nesta causa missionária, de modo que toda a Igreja, e todos na Igreja possamos ver e nos encantar com a natureza missionária da Igreja. É para isto que veio a Missão Continental, ajudar a refletir sobre o que podemos fazer para que todos na Igreja se tornem realmente missionários. O Documento de Aparecida nos indica a saída: 
A Igreja necessita de forte comoção que impeça de se instalar na comodidade, no estancamento e na indiferença, à margem do sofrimento dos pobres do Continente. Necessitamos que cada comunidade se transforme num poderoso centro de irradiação da vida em Cristo. 
Por isso é imperioso assegurar calorosos espaços de oração comunitária que alimente o fogo de um ardor incontido e tornem possível um atraente testemunho de unidade ‘para que o mundo creia’ (Jo 17,21). A falta de recepção do “estado de missão” da Igreja e da “natureza missionária” dos batizados nas paróquias e, muitas vezes, também nas dioceses é a causa estrutural para a frágil articulação missionária nas regiões (Conselho Missionário Regional - COMIREs). Com quem os coordenadores dos COMIREs estão realmente articulados? Não são mais do que 50% das paróquias e dioceses. Existem muitas razões para isso: distâncias, dinheiro, interesse, empenho, desconhecimento da proposta. Ao falar da “articulação” nos interessa mais a ovelha perdida do que as 99 que estão no aprisco. 
Como passar a nossa pastoral paroquial de manutenção para uma pastoral missionária? Para isso precisamos encantar os agentes de pastoral com os conteúdos da missionariedade. A articulação só faz sentido se temos clareza sobre certos conteúdos básicos que dão sentido à missionariedade e se a missionariedade está enraizada nas bases. 
As Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadoras da Igreja no Brasil, dedicam uma parte significativa à formação dos discípulos missionários (DG 88-99); assume uma “clara e decidida opção pela formação dos discípulos missionários – os membros de nossas comunidades” (DAp 276; DG 89). Como está essa formação nas nossas bases paroquiais? Como está a força da atração missionária? Somos caçadores de borboletas ou cultivadores do jardim? 

Durante a Semana Nacional da Missão Continental, iremos nos debruçar muitas vezes com estas questões e que na força do Espírito Santo, com ajuda da liderança, representantes da base da Igreja, juntamente com os bispos que compõem a comissão da missão continental, partiremos em busca não apenas de respostas elaboradas, mas de verdadeiras atitudes que nos coloquem no itinerário do seguimento de Jesus Cristo como discípulos missionários. Participarão desta semana, representantes dos dezessete Regionais da CNBB, mais o grupo de trabalho da missão continental, formado por treze pessoas, entre elas muitos missiólogos, e desta vez aberto à todos interessados pela missão continental. Por questão logística limitou-se as inscrições. Iremos trabalhar com cinqüenta e seis participantes, porém, desde já é bom salientar que próximo ano irá acontecer outro (s) afinal, a missão continental quer colocar a Igreja e todos na Igreja em estado permanente de missão, logo, a formação também será permanente. 

Pe. Altevir, CSSp assessor da dimensão missionária - CNBB secretário executivo do COMINA 
Fonte: Blog da Missão Continental

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Conselho Missionário de São Paulo realiza seu 30º Encontro Estadual


“Chamados e Enviados em Missão Ad gentes

de Cecília de Paiva e Jaime C. Patias

O Conselho Missionário do Regional Sul 1 da CNBB, que abrange o Estado de São Paulo, realizou, entre os dias 27 e 29 de agosto, na Casa São Francisco, em Presidente Prudente, a 600 quilômetros de São Paulo, seu 30º Encontro Estadual. Durante a solenidade de abertura, realizada na noite do dia 27, os participantes receberam a imagem de Nossa Senhora Aparecida e os símbolos das dioceses que compõem a Província Eclesiástica de Botucatu responsável por acolher o evento (Presidente Prudente, Assis, Ourinhos, Bauru, Botucatu, Lins, Araçatuba e Marília). Na ocasião, dom José Maria Libório, bispo emérito de Presidente Prudente, ressaltou a maternidade universal de Maria, a mãe do Salvador que participa do nascimento da Igreja missionária. Destacou também a importância da fidelidade e do compromisso com a Missão, à exemplo de Maria.





Para o coordenador do COMIRE Sul 1, Robson Luiz Ferreira, “a realização do 30º Encontro significa um marco na história do Conselho Missionário de São Paulo, e evidencia o comprometimento das dioceses e forças missionárias presentes no Estado. Não há como trabalhar a Missão sem a comunhão, e não dá pra fazer comunhão sem se encontrar” disse Robson ao dar as boas vindas aos participantes.





Impossibilitado de participar, dom Vicente Costa, bispo de Jundiaí e novo Referencial para o COMIRE Sul 1, enviou mensagem e bênçãos desejando um frutuoso trabalho. “Realmente as dioceses do nosso Regional precisam cada vez mais se tornar missionárias, dispostas a irem à outra margem”, escreveu dom Vicente. Enviaram mensagem ainda, dom Sérgio Castriani, responsável pela Ação Missionária da CNBB, e dom Benedito Gonçalves dos Santos, bispo de Presidente Prudente em visita na Amazônia.





Padre Everton Aparecido, coordenador missionário da Sub-Região Pastoral de Botucatu, destacou a importância da programação que além do estudo do tema “Chamados e Enviados em Missão Ad gentes” abriu espaço para testemunhos de missionárias e missionários em missão além fronteiras, partilha da Infância e Adolescência Missionária – IAM, da Juventude Missionária – JM, apresentações culturais e cinco oficinas de trabalho sobre a Missão no mundo digital, a Campanha Missionária 2010, diálogo Inter-religioso, Paróquia e Missão Ad Gentes e Missionários Leigos.





Na missa que recordou os 30 anos do COMIRE Sul 1, padre Alcides Costa, superior provincial dos padres Combonianos, lembrou que a Igreja é missionária na sua essência. “O sangue que corre nas suas veias é a Missão. Ela está no seu DNA” enfatizou padre Alcides sublinhando que foi a partir dessa preocupação que o COMIRE tem contribuído para despertar a consciência missionária. As experiências missionárias nas igrejas locais e além fronteiras acontecem há bem mais de 30 anos, mas o COMIRE “contribuiu para o surgimento do Conselho Missionário Nacional - COMINA. Hoje precisamos seguir enfrentando os desafios missionários tendo olho clínico para ir ao encontro do outro, onde a missão acontece de fato,” concluiu padre Alcides. A missa contou com a presença de dom Emílio Pignoli, bispo emérito da Diocese de Campo Limpo.





Debatendo o tema “Chamados e Enviados em Missão Ad gentes, padre Sávio Corinaldesi, secretário nacional da Pontifícia Obra de São Pedro Apóstolo, sublinhou aspectos essenciais do ser missionário. “Quem me fez nascer na fé?” perguntou para em seguida frisar que precisamos redescobrir as origens da nossa fé em Jesus Cristo que nos foi repassada por alguém. “A partir dessa riqueza temos o compromisso de continuar a caminhada na história. Nós não temos o direito de parar o que conquistamos com tanto sacrifício. Nossa preocupação é com o mundo inteiro”, disse padre Sávio. O assessor das POM insistiu na necessidade de organizar, nas paróquias, grupos de animação missionária para articular ação evangelizadora da Igreja local orientada para o mundo.





O 30º Encontro do COMIRE Sul 1encerrou no domingo, 29, com uma missa de envio presidida por dom José Maria Libório seguida de almoço e despedida. Participaram do Encontro 135 pessoas, representando 24 dioceses das 41 presentes no Estado de São Paulo. Criada em 1960, este ano, a diocese de Presidente Prudente, que sediou o evento celebra seu Jubileu de Ouro. O próximo Encontro, em 2011 será na cidade de Santos.

Fonte: Comunicação Comire Sul 1
 Fotos: Pe. Jaime C. Patias