quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Grito dos Excluídos - Missa Presidida por Dom Moacir

GRITO DOS EXCLUÍDOS -Diocese de SJCampos- Pe. Toninho - AESI

Semana Brasileira da Missão Continental aprofunda espiritualidade missionária

07/09/2010 | Mário de Carli, em Brasília

A Semana Brasileira da Missão Continental iniciou ontem, dia 6, no Centro Cultural Missionário - CCM, em Brasília - DF, com a participação de 45 pessoas vindas dos 17 regionais da CNBB, entre bispos, padres, religiosas e leigos.
No primeiro dia de trabalhos padre Sérgio Bradanini, missionário do PIME, apresentou os Elementos Bíblicos da Espiritualidade Missionária. "A missão tem uma direção: de dentro para fora, isto é, a Missão é ad omnes gentes", explicou padre Sérgio.
  Mário de Carli Padre Sérgio Bradanini no CCM. Por isso, segundo o teólogo é fundamental ter presente o modelo da relação de Jesus para com os seus discípulos, que envolve a totalidade da vida, feita nas relações humanas. "É uma espiritualidade que exige a concentração de todas as forças com Deus onde ‘tudo canta e explode de alegria' (Salmo 65). Esta experiência espiritual realiza-se na comunidade onde a pessoa deve estar inserida e envolvida numa longa caminhada que se traduz no engajamento crescente com Jesus e o Seu Reino", disse.
Na sua exposição padre Sérgio

sublinhou vários aspectos da espiritualidade dentre os quais destacaram-se:
"A espiritualidade missionária cresce na relação do Mestre com o Discípulo, não fundamentada nos ensinamentos, mas na experiência do relacionamento humano, contínuo e crescente que geram a fraternidade, a vida comunitária num "sentar-se comum à mesa do Reino". Eis o compromisso da missão: viver deste espírito, relatar a experiência da fraternidade, abastecida pela palavra de Deus a fim de alcançar até as extremidades da terra, um mundo sem fronteiras".
"A fraternidade é uma dimensão extremamente exigente: colocar a vida ao serviço dos outros para sermos livres. Fraternidade é o mais alto grau de liberdade, através do ágape (amor), servir uns aos outros".
"Os Elementos básicos da espiritualidade missionária passam pela relação transparente e serena com Deus. Deus é Deus da relação apresentada nos primeiros livros da Bíblia. O tema da Aliança é vista como pacto renovado constantemente na comunhão de vida. O símbolo é o anel que tem forma circular. Deus toma a iniciativa, chama o povo a "viver dentro deste circulo" feito na comunhão de vida. Em segundo lugar, os Profetas atuam quando a experiência espiritual se torna vazia, eles levantam a voz para manter viva a chama da fraternidade e da justiça".
"Jesus, na centralidade da espiritualidade missionária, é a Luz que se abre ao futuro. Faz o anúncio da chegada do Reino de Deus. Esta é a Boa Notícia. Convida à "Conversão" mudando de visão e de mentalidade. Faz o chamado e escolhe os seus discípulos, para conviver com ele; para serem enviados a pregar, comer o pão juntos; deu-lhes autoridade para expulsar os demônios que geram o mal. Onde se constitui uma comunidade que vive a fraternidade, o mal não tem vez. Enviou-os em Missão para cuidar dos doentes (Mc 10,8); ressuscitar os mortos, isto é, lá onde se constitui relações humanas fraternas, o mal não tem vez. Em fim, Jesus é homem de fé e de oração e mostra que a missão se realiza no "hoje", pois sua vida doada a todos a partir dos mais necessitados antecipa o Reino e forma a fraternidade".
Para finalizar padre Sérgio apresentou o apóstolo Paulo que vive segundo o espírito de Jesus Cristo. Ele tem consciência de ser colaborador de Deus e não veio para dividir ou fazer a missão ao seu modo. Tem em sua mente o mundo dos gentios e carrega a consciência clara de sua pequenez: "Quando sou fraco é que sou forte!". Para isto trabalhava com suas mãos, tecedor de tendas, depois anuncia. João, o Evangelista, destacou sua missão muito polêmica contra o ambiente judaico, anunciando que Jesus salva. Mostra o divino no humano. É o verbo que salva na fragilidade. Ele se fez gente como nós, menos no pecado, para que nós nos tornemos mais divinos.
Fonte: Revista Missões

1º Grito dos Excluídos na diocese de São José dos Campos - Promovidopelas CEBs e pastorais Sociais

GRITO DOS EXCLUÍDOS - DIOCESE DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS -SP


     Em nossa diocese aconteceu o 1º  Grito dos Excluídos, promovido pelas CEBs e Pastorais Sociais. Foi um grande momento e oportunidade de caminhar juntos, para  mostrar os nossos  gritos à sociedade, sobre os  problemas que atingem  grande número de brasileiros e brasileiras que ainda não alcançaram a cidadania plena.
     Início com concentração na Praça Pe. João, Igreja Matriz São José, centro, onde acontecia votação do Plebiscito Popular pelo Limite da Propriedade da Terra; em seguida caminhada pelas principais ruas do centro em direção à Catedral São Dimas. Participaram cerca de seiscentas pessoas, com presença marcante da juventude. Na catedral foram promovidos três momentos de reflexões, por Pe.Antonio Ap. Alves- AESI, Silvia Macedo-CEBs e  Daniel Arrebola-PJ . A seguir apresentação teatral pelo Grupo Teatral da Paróquia São João Batista, interpretando e encenando a música Disparada, de Geraldo Vandré. Encerramento com missa presidida pelo bispo diocesano, Dom Moacir Silva.
Pe. Ronildo Ap. da Rosa, assessor diocesano das CEBs, agradeceu o empenhos das CEBs , das Pastorais Sociais e de todos que se articularam para tornar possível  a realização do 1º Grito dos Excluídos na  diocese, colocando que seja o primeiro de muitos,  que é muito mais que uma atividade,  que possamos de fato  assumir profundamente  nossos compromissos, que saibamos ouvir o clamor do povo que sofre, que tem muitos deveres e direitos que desconhecem.


Maria Matsutacke
Equipe de Comunicação  Diocesana das CEBs 
Fotos: Bernadete Mota


segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Abertura da Semana Brasileira da Missão Continenal

Vocês são testemunhas destas coisas (Lc 24, 48)
Aconteceu na noite do dia cinco de setembro, às 20h, no Centro Cultural Missionário, em Brasília, a abertura da semana brasileira da missão continental.
Meio aos cinqüenta e seis missionários oriundos das mais diversas regiões do Brasil, Dom Adriano Ciocca Vasino, bispo de Floresta-PE, membro da Comissão Episcopal da Missão Continental, acolheu todos os participantes e os motivou com as seguintes palavras: “ na missão continental não podemos deixar de nos solidarizar com a retomada da identidade dos povos indígenas e afrodescendentes e tão pouco, deixar de procurar, com todos os de boa vontade, um novo paradigma socioeconômico e cultural, baseado no diálogo, na economia e no respeito, em lugar do paradigma atual, que é falido e imoral.

Como para os discípulos de Emaús, o tempo de hoje pode nos deixar desanimados. Mas Cristo Ressuscitado caminha conosco Ele nos permite “ler” a realidade atual com outros olhos e nos reanima para a missão. Como Igreja nós temos que nos colocar ao lado dos povos do nosso continente e acompanhá-los na sua caminhada a partir da nossa fé em Cristo ressuscitado e com Ele trilhar novos caminhos”.

A oração inicial foi realizada de maneira dinâmica e participativa, de modo que os dezessete Regionais da CNBB, na pessoa de seu representante, apresentaram uma experiência missionária significativa, fruto da missão continental, que vem animando e aquecendo os corações das pessoas nas comunidades, paróquias e dioceses, vida religiosa, pastorais e movimentos em todo o Brasil.

Ao iniciar este evento nacional da missão continental, foi destacado que começar algo em nossa vida evoca, em primeiro lugar, para o entusiasmo. Toda pessoa entusiasta sabe o que quer e aonde quer chegar. A causa maior é sempre o Reino de Deus e a pessoa de Jesus Cristo e seu Projeto. Neste espírito de nitidez pela urgência da missão, aconteceu a memória e partilha dos regionais, que por sua vez, os representantes não conseguiam conter a alegria e vibração ao partilhar as inúmeras atitudes missionárias realizadas em suas localidades.
Ao concluir este primeiro momento da semana brasileira da missão continental, ficou claro que a missão evangelizadora abraça a todos com o amor de Deus e especialmente aos pobres e aos que sofrem.

E o convite foi lançado: “levemos nossos navios mar adentro, na força do Espírito, sem medo das tormentas, seguros de que a providência de Deus nos proporcionará grandes surpresas” (cf DAp 551).

Pe. José Altevir da Silva, CSSp
Assessor da dimensão missionária da CNBB
Secretário executivo do COMINA
Fonte: Blog da Missão Coninental

Aberta a Semana Brasileira da Missão Continental

Missao_Continental1
Foi aberta neste domingo, 5, no Centro Cultural Missionário (CCM), em Brasília (DF), a Semana Brasileira da Missão Continental. Promovida pela Comissão Episcopal para a Missão Continental da CNBB e o CCM, a Semana reúne 56 pessoas dos 17 Regionais da CNBB.
O bispo da diocese de Floresta (PE) e membro da Comissão para a Missão Continental, dom Adriano Ciocca, disse que na missão continental é preciso ter atenção para com todas as realidades.

“Não podemos deixar de nos solidarizar com a retomada da identidade dos povos indígenas e afro-descendentes. Também não podemos deixar de procurar, com todas as pessoas de boa vontade, um novo paradigma socioeconômico e cultural, baseado no diálogo, na economia e no respeito, em lugar do paradigma atual, que é falido e imoral”, ressaltou dom Adriano.

Dom_AdrianoSegundo o bispo, há uma tendência para o desânimo nos tempos atuais, que é vencida pela fé em Jesus Ressuscitado. “O tempo de hoje pode nos deixar desanimados, mas Cristo ressuscitado caminha conosco. Ele nos permite ler a realidade atual com outros olhos e nos reanima para a missão. Como Igreja temos que nos colocar ao lado dos povos do nosso continente e acompanhá-los na sua caminhada a partir da nossa fé em Cristo ressuscitado e com Ele trilhar novos caminhos”, afirmou.

A Semana Brasileira da Missão Continental, que termina no sábado, 11, tem como tema “Vocês são testemunhas destas coisas”, tirado do capítulo 24 do evangelho de São Lucas. De acordo com seus organizadores, a Semana se propõe a aprofundar a reflexão sobre a espiritualidade missionária, a paróquia missionária e os projetos para uma nova evangelização.

Leia mais sobre a Semana Brasileira da Missão Continental
Fotos: Pe. Altevir

Fonte:CNBB