domingo, 2 de janeiro de 2011

Centro Cultural Missionário divulga Relatório de Atividades

relatorio2010X3O Centro Cultural Missionário (CCM), organismo da CNBB, divulgou na sexta-feira, 31, Relatório de Atividades 2010. Durante o ano que terminou, o Centro recebeu mais de 200 missionários e missionárias para os vários cursos que organizou ao longo de 2010.
“[Os missionários] Vieram do exterior para o Curso de iniciação à missão no Brasil (CENFI) ou eram brasileiros e brasileiras que se preparavam para a missão na Amazônia ou além-fronteiras”, explica o diretor do CCM, padre Estêvão Raschietti. “Ou ainda eram presbíteros, religiosos, seminaristas e animadores missionários desejosos de se aprimorar nas temáticas da missão”, completa.

Foram oito cursos oferecidos pelo CCM: dois cursos para os missionários estrangeiros, de 90 dias cada um; dois cursos de formação missionárias para brasileiras e brasileiros enviados a outros países ou regiões missionárias; um curso para animadores missionários; um curso para os presbíteros; uma Semana Brasileira sobre Missão Continental e um Congresso Missionários que reuniu 160 seminaristas.

“As avaliações dos participantes às várias iniciativas do CCM foram geralmente muito positivas, até entusiastas. Os cursos do CCM são vividos como momentos fortes de renovação interior, de novas motivações, de aprendizagem, de convivência, de descoberta e redescoberta da própria vocação diante das exigências da missão”, ressalta padre Raschietti.

Segundo o diretor, em 2010, o CCM ampliou sua atuação na animação e formação missionária com uma assessoria qualificada em dezenas de eventos e atividades pelo Brasil afora. “O tema da Missão está realmente animando e incentivando as Igrejas locais de todo Brasil a encontrar novos caminhos de presença e atuação aqui e além-fronteiras”, disse o diretor.

Outra atividade desenvolvida pelo CCM foi a assistência jurídica do Serviço de Colaboração Apostólica (SCAI) aos missionários. Segundo a coordenadora do SCAI, Irmã Rosita Milesi, a concessão de vistos está se tornando cada vez mais rigorosa. “Ocorre que, freqüentemente, os missionários e missionárias não possuem documentação formal correspondente aos estudos religiosos”, esclarece.

O CCM ofereceu, ainda, serviço de hospedagem a religiosos e religiosas, agentes de pastoral e assessores de passagem por Brasília, assim como o acolhimento de iniciativas de outras entidades. O CCM encerrou suas atividades, em dezembro, com a celebração dos 50 anos do CENFI.

Fonte:CNBB

Nenhum comentário: