terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Formação Campanha da Fraternidade 2011 (4)


4º ENCONTRO:
TER O CUIDADO DE DEUS

Texto bíblico: Gênesis 2,4-25
Chave bíblica:
1. Como Deus trabalha a argila?
2. Como se manifesta o cuidado de Deus na criação do  paraíso?
3. Qual é a baliza do ser humano no cuidado com o paraíso?
Nesta segunda narrativa da criação vemos a atitude cuidadosa de Deus no seu trabalho. Ele pega o barro da terra e vai modelando o homem. Modelar supõe cuidado, gosto, alegria, capricho e carinho.
Deus colocou o homem no meio da sua obra, para que houvesse profunda comunhão entre ele e toda a criação. Esta harmonia é completada com a criação da mulher. Faz parte do projeto de Deus a harmonização entre todas as suas criaturas. No seu projeto a natureza não é uma coisa máquina a ser dominada pelo homem como se ele fosse o “rei” da criação. O homem faz parte da criação e com ela  ele deve manter uma relação de comunhão,. Ele deve aprender com Deus a ter uma relação cuidadosa com a natureza.
Este cuidado de Deus nos leva a um envolvimento com a questão do meio ambiente não só por causa da importância do tema, mas por uma questão de fé. Para o cristão, o cuidado com o meio ambiente não é apenas uma questão ecológica, é uma exigência de fé comprometida com o projeto do Deus Criador. Ter fé é também ter o cuidado de Deus. A fé é vivida no dia a dia, em sintonia com o cuidado de Deus. A fé transformadora constitui a identidade do cristão.
A harmonia entre a humanidade e o planeta terra está em função da vida. A terra não está em nossa frente como algo distinto de nós. Temos terra e água dentro de nós. O envolvimento com a terra nos compromete e nos responsabiliza com ela. Acorda mais em nós a consciência de que somos criaturas. Na hora que cedemos à tentação de querer ser criador, “dono do mundo”, transformamos o planeta Terra num almoxarifado de nossos interesses. O foco deixa de ser a vida para ser o lucro. O Documento de Aparecida nos relembra: “Desatender as mútuas relações e o equilíbrio que o próprio Deus estabeleceu entre as realidades criadas, é um ofensa ao Criador, um atentado contra a biodiversidade e, definitivamente, contra a vida” (DAp 125).
A CF 2011 insiste conosco para termos o cuidado de Deus com o nosso planeta. Isto vai acontecendo na medida em que buscamos ter maior sensibilidade diante dele. Deixando-nos tocar pelas suas belezas e maravilhas. Sentindo seus desafios, comovendo-nos com eles e nos mobilizando para promover ações concretas para a sua reabilitação. É preciso ter mais admiração do que simples interesse pelo nosso mundo. Precisamos nos encantar com ele e alimentar a nossa espiritualidade com as mensagens e o canto que brotam da criação de Deus. Aprender com os três jovens da fornalha ardente (Dn 3,57-87) a entoar louvores a Deus, a partir das obras da criação. Com São Francisco, fazer da criação a casa do encontro com Deus e através dela encontrar a face do “bom Senhor”. Nesta CF 2011 precisamos reaprender o “Cântico das Criaturas”. “Nossa irmã a mãe terra” é a nossa casa comum e o lugar da aliança de Deus com os seres humanos e com toda a criação... “O discípulo missionário, a quem Deus confiou à criação, deve contemplá-la, cuidar dela e utilizá-la, respeitando sempre a ordem dada pelo Criador.” (DAp 125).
Ter o cuidado de Deus é ter atitudes permanentes de preocupação, de responsabilização e envolvimento com ações concretas de cuidado ambiental em nossas casas, quintais, tratamento do lixo, hortas orgânicas, ambiente de trabalho etc. É ter a cultura do cuidado. Quando não cultivamos hábitos de cuidado com o planeta Terra vivemos uma vida sem sonhos, sem esperança, e acabamos sendo dominados pelos mais fortes.

Pergunta para aprofundamento: Quais têm sido nossas ações concretas de cuidado para com a natureza? Qual tem sido a nossa motivação?

Fonte: movimento Boa Nova

Nenhum comentário: