quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Formação Campanha da Fraternidade 2011 (7)


7º ENCONTRO:
CAMPANHA DA FRATERNIDADE  PASCAL

Texto bíblico: Romanos 8,19-25
     Chave de leitura:
1. Qual é a situação da criação?
2. O que a criação abriga dentro de si?
3. Qual é a nossa esperança?
O texto que refletimos fala de uma esperança, de um desejo expresso nos clamores da natureza e da humanidade. É a esperança da vitória final contra o egoísmo que ameaça  todos os seres criados. A natureza espera ser libertada do uso egoísta que a espécie humana faz dela, para que  possa enfim cumprir o projeto de Deus: ser a Terra onde vivam todas as espécies em harmonia,  e não mais  usada apenas como fonte de enriquecimento. Ao libertar a natureza da exploração, a humanidade também espera ser libertadado egoísmo que a divide entre ricos e pobres..
O Documento de Aparecida constata que “no coração e na vida de nossos povos pulsa um forte sentido de esperança, não obstante as condições de vida que parecem ofuscar toda a esperança. Esta se experimenta e se alimenta no presente, graças aos dons e sinais de vida nova que se compartilha; compromete-se na construção de um futuro de maior dignidade e justiça e aspira “os novos céus e a nova terra”     que Deus nos prometeu em sua morada eterna” (DAp 536). 
O mistério da salvação, realizado por Jesus, reconciliou não só o ser humano, mas todo o universo. Toda a criação foi libertada em Cristo e santificada pelo Espírito Santo para uma vida nova, para que possamos santificar todas as coisas levando à plenitude a sua obra. Jesus veio reunir em si todas as coisas, as da terra e as do céu (Ef 1,10). Ele é a plenitude de toda a criação (Cf DAp 176). A reconciliação de Jesus não é um ato mágico. Na verdade o sangue de Jesus tem poder. Mas é preciso que nossas vidas sejam banhadas, encharcadas nele, para que aconteça uma conversão no nosso relacionamento humano e com a natureza. Sem esta conversão não chegaremos a uma solidariedade verdadeiramente ecológica.
A quaresma, com a Campanha da Fraternidade, é um momento importante para completarmos o que falta à paixão de Cristo. Ainda nos falta muito envolvimento concreto e bem situado nesta reconciliação universal de Jesus, porque muitas são as situações de morte que dificultam uma vida plena.  O lema da CF deste ano lembra os gemidos da natureza, que  sente  sua resistência e  sua vida  se encurtando. Mas proclama que esse gemido anuncia uma nova vida: “a criação geme em dores de parto” (Rm 8,22). O 12º intereclesial das CEBs, realizado em Porto Velho de 21 a 25 de julho de 2009, lembrou os gemidos da realidade amazônica: o grito das populações indígenas, a contaminação dos rios pelo mercúrio das mineradoras, o agronegócio que  devasta as florestas, a urbanização desregulada. Esses gemidos protestam contra a ação egoísta e pecaminosa de seres humanos, pois o pecado nos faz  usar  a ciência e a tecnologia não para compreender e desenvolver a natureza, mas para matar nossa sede de lucro.
Diante destes gemidos doídos da natureza que afetam a todos nós, a CF 2011 reafirma sua convicção de que ela deve ser bem mais do que uma informação sobre a situação de nosso planeta. Ela deve ser uma Campanha Pascal. Isto significa que, a exemplo do Deus libertador (Ex 3,7-9), devemos ouvir com atenção e compaixão os clamores provenientes das mudanças climáticas e descer para libertar nosso planeta e seus viventes da sua força destruidora. Trata-se de tomar uma posição clara e propor uma ação concreta para acudir o gemido mais doído da natureza em nosso município, em nossa comunidade. A CF 2011 repete para nós a voz de Deus a Moisés: “vá eu envio você” (Ex 3,10) para salvar o Planeta Terra do aquecimento global, a partir do lugar onde você mora. Fazer CF 2011 é fazer uma páscoa, uma passagem da ameaça de morte para a vida plena.
Uma CF 2011 Pascal nos responsabilizará muito mais na celebração do tríduo pascal. Vamos celebrar na quinta feira santa não só uma eucaristia onde o pão e o vinho se transformaram no corpo de Jesus, mas também a transformação de quem os recebe em agente de salvação do nosso planeta. A celebração da sexta feira santa vai ser para nós um sério exame de consciência para verificarmos onde estamos crucificando a Terra. Qual vai ser o sentido de nosso beijo na cruz: compromisso de mudança ou apenas um rito? A vigília pascal vai celebrar qual gesto pascal de libertação de nosso planeta? Esta CF vai realizar a Páscoa da nova criação profetizada por Isaías 65,17-25. Vai transformar os gemidos da humanidade e da natureza em gritos de esperança de que a ação do mal não é definitiva.

Pergunta para aprofundamento: Qual será a ligação de nossa semana santa com a nossa responsabilidade com o meio ambiente?

Fonte: Movimento Boa Nova

Nenhum comentário: