domingo, 10 de abril de 2011

DOMINGO DE RAMOS



(17/04/11) Is 50-4-7 Sl 21,8-18a.19-24; Fl 2,6-11; Mt 26,14?27,66
A missão do Servo sofredor
O Domingo de Ramos marca o início da Semana Santa. O conteúdo das leituras bíblicas deste domingo diz respeito à missão do Servo sofredor. Contra todo triunfalismo, Deus age na história, revelando seu plano de amor por meio das vítimas do poder. O movimento profético do Segundo Isaías, em pleno exílio da Babilônia, caracteriza os exilados como o "Servo Sofredor", amado por Deus. Especialmente nos quatro cânticos do Servo, o povo sofredor é tratado como "veículo" da bondade salvadora de Deus. No terceiro cântico, texto deste domingo, o povo quebrantado já não opõe resistência à voz de Deus; torna-se seu discípulo, assume o caminho da não violência e confia no socorro do Senhor (I Leitura). A comunidade cristã contempla a Jesus como o Servo sofredor, que, assumindo a perseguição, a condenação, a paixão e a morte que lhe impõem os seus inimigos, revela a plenitude do seu amor pela humanidade em total confiança no socorro de Deus Pai (Evangelho). Jesus se "despojou de sua condição divina, tomando a forma de escravo... Abaixou-se e foi obediente até a morte sobre uma cruz" (II Leitura). A celebração do Domingo de Ramos constitui momento propício para manifestar gratidão a Deus pelo seu amor sem limites e para refletir sobre a nossa responsabilidade no mundo de hoje de nos empenhar, a exemplo de Jesus, pela causa da vida de todos, conforme refletimos ao longo desta Quaresma.
Sugestões:
·         A cor litúrgica deste domingo é o vermelho.
·         Na procissão de Ramos, levar um cartaz com a frase: "Viva Jesus, nosso Rei!" (ou outra frase).
·         Valorizar o símbolo de hoje, o ramo, a palma da vitória, à qual Cristo chegou pela Cruz: nossa cruz de cada dia, levada com fé em Jesus, também nos fará vencedores.
·         Após as Preces, rezar também (ou substituí-las) a Oração da Campanha da Fraternidade/2011.
·         Hoje é o dia da Coleta para a Campanha da Solidariedade. O momento apropriado para cada um entregar seu envelope é o ofertório, que deve ser bem solenizado. Na procissão, podem ser levados os materiais e subsídios que serviram para a reflexão dos grupos de reflexão sobre a Campanha da Fraternidade.
·         No fim da celebração, fazer um agradecimento carinhoso a todos que colaboraram para que a Campanha da Fraternidade acontecesse e pelos gestos solidários realizados pelos Grupos de Reflexão.

Nenhum comentário: