quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Semanas Sociais Brasileiras

14ª edição do Grito dos Excluídos Chegada ao Ipiranga

14° Grito dos Excluídos Abertura

Grito dos Excluídos foi sucesso em Jundiaí




A primeira edição do “Grito dos Excluídos” em Jundiaí superou as expectativas, com grande presença de público e manifestações de apoio para o próximo ano. O tema da 17ª edição do “Grito dos Excluídos” nacional foi “Pela Vida grita a Terra... por direitos, todos nós”, assumido por todos os presentes.

O evento teve início com Missa na Catedral Nossa Senhora do Desterro, as 16h, presidida por Dom Vicente Costa, Bispo Diocesano, e concelebrada pelo padre Joaquim Wladimir Lopes Dias, Vigário Geral; Padre Geraldo da Cruz Bicudo de Almeida, Coordenador Diocesano da Ação Evangelizadora; Padre Norberto Savietto, da Paróquia Nossa Senhora Aparecida do Varjão e assessor dos Diáconos Permanentes; Padre Paulo André L. Labrosse, da Paróquia Nova Jerusalém e assessor da Pastoral Fé e Política; Padre José Edegar Ferrari, da Paróquia São Pedro Apóstolo; Padre Júlio César Macedo de Souza, da Paróquia São Pedro de Santana do Parnaíba e Padre Emídio Girotto, da Paróquia Sagrado Coração de Jesus da Colonia. Participaram também os diáconos: Vitório Ângelo Durigati (Difú); Boanerges R. Camargo, Francisco Arantes e José Carlos Pascoal e um representante do Conselho de Pastores de Jundiaí.

Representantes de Pastorais Sociais, organismos e Movimentos Sociais marcaram presença em grande número, em especial a Pastoral da Pessoa com Deficiência, além de representantes do Executivo e Legislativo de Jundiaí, Várzea Paulista e Itupeva. Destaque também para a grande presença de seminaristas diocesanos e das congregações do Divino Salvador (salvatorianos) e São Carlos Borromeu (Carlistas)

“A conquista deve vir passo a passo, assim como nos recorda o Livro do Êxodus, quando apresenta a caminhada do povo saindo do Egito rumo à Terra Prometida. O ‘Grito dos Excluídos’ não serve apenas para denúncias, mas para que concretizemos ações em favor do povo excluído, lutando por melhores dias. Parabenizo a todos que estão aqui lutando por essa causa de amor, justiça e paz”, disse Dom Vicente na homilia. Após a procissão de entrada foram apresentados os movimentos sociais, organismos e pastorais presentes.

Após a Missa todos se dirigiram à Praça do Coreto atrás da Catedral, onde houve a manifestação do “Grito dos Excluídos”. Com apresentação de Claudinho Nascimento, coordenador da Pastoral Fé e Política, ocuparam o microfone representantes das Pastorais, organismos e Movimentos Sociais, reivindicando melhoras nas áreas da saúde, trabalho, educação, terra e moradia, além do fim da discriminação racial, social e homofóbica. O clamor contra a corrupção e crimes contra o meio ambiente também ecoaram fortemente. Dom Vicente Costa encerrou o ato público as 18h45, com a bênção.

Por Diácono José Carlos Pascoal – Pastoral da Comunicação
Fonte:CNBB SUL1

Grito dos Excluídos 2011, “Vida em Primeiro Lugar!”


Grito dos Excluídos 2011, “Vida em Primeiro Lugar!”

“Pela vida grita a terra... Por direitos todos nós!” Com este lema a Diocese de São José dos Campos realizou, no dia 7 de setembro de 2011, o seu segundo Grito dos Excluídos. Em todo o Brasil, há 17 anos, o Grito dos Excluídos é promovido pelo Setor de Pastoral Social da CNBB, Comissão Pastoral da Terra, e outras entidades e movimentos populares. Aqui em São José dos Campos, unindo a este movimento nacional, o Grito dos Excluídos foi organizado pelas Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), juntamente com a Comissão da Caridade, da Justiça e da Paz (que engloba as Pastorais Sociais) e outros movimentos e entidades, como a Associação para o Ensino Social da Igreja (AESI).
 A reflexão proposta neste ano buscou afirmar ser prioritário que nossa sociedade construa uma verdadeira harmonia planetária, com preservação ambiental e garantia dos direitos do povo brasileiro.  O assessor diocesano das CEBs, Pe. Ronildo Aparecido da Rosa, no seu chamado para esta participação, afirmou que é urgente que os excluídos, bem como as causas da exclusão social, sejam assumidos por todos, para que a vida e o ser humano sejam bem cuidados. E durante a caminhada Pe. Ronildo reafirmou: “precisamos ouvir o grito dos excluídos e não criar outro grito no lugar deles”. Estima-se que em torno de 500 pessoas participaram da caminhada, que saiu da praça da Matriz São José, próximo à Rodoviária Velha, em São José dos Campos, em direção à Catedral de São Dimas. Houve uma presença expressiva de membros da CEBs, muitos jovens da PJ, membros de diversas pastorais e de outros movimentos. Participaram também da caminhada: Pe.  Antonio Aparecido Alves (assessor da Escola de Fé e Política), Pe. Edinei Evaldo Batista (coordenador diocesano de pastoral), Pe. Alexsandro de Brito Ramos ( assessor diocesano do PLC) e Pe. José Bento Vichi (assessor diocesano da Pastoral da Pessoa Idosa), além de vários diáconos permanentes.
Animada sempre por músicas de mensagens libertadoras, durante todo o seu percurso, a caminhada foi momento de reflexão sobre os problemas geradores de exclusão, no Brasil e no Mundo. Com um grito de motivação “Independência urgente, para a nossa gente”, Pe. Ronildo conclamou a todos para a compreensão de que o “Brasil ainda não aprendeu a ser fraterno, solidário e nem justo”, pois ainda são milhares de pessoas em situação de miséria. E tudo isto causado pelo “sistema econômico, o capitalismo neoliberal, que precariza o trabalho e não distribui a renda nacional”.
Com uma duração de duas horas, a caminhada percorreu ruas do centro de São José dos Campos até chegar a Catedral de São Dimas, onde o Bispo Diocesano, Dom Moacir Silva, presidiu, com a presença de vários padres, diáconos e seminaristas, a Missa de encerramento.  A Celebração da Eucaristia foi precedida por várias atividades: apresentação teatral com os jovens da Paróquia São Benedito, do bairro Galo Branco.  Resgatando a Campanha da Fraternidade, com o lema “A criação geme em dores de parto”, (Rm 8,22), a Comissão Diocesana das CEBs – SJC apresentou vídeo, onde mostrou as principais bacias hidrográficas na Diocese de São José dos Campos, como um grito da terra pela vida, os nossos rios e toda a natureza poluídos, e o nosso povo lutando pela sobrevivência, junto com o Planeta Terra. Também houve reflexão feita pelos membros do Conselho Nacional de Leigos, Luiz Henrique e do presidente da AESI, Leandro (irmão Luterano), falando sobre ecologia humana e cidadania. Dom Moacir, em sua homilia, refletindo sobre o evangelho das “Bem aventuranças” (Lc 6, 20-26), afirmou profeticamente que “onde há excluídos, não há bem aventuranças”, e que no “Reino de Deus não pode haver excluídos nem excludentes”. E conclamou a todos para outros gritos necessários e urgentes hoje: “Grito contra a corrupção, grito contra as drogas e um grito pela fé”. Contra a corrupção que deve ser combatida “sem complacência”; contra as drogas que dizimam vidas inocentes. E pela fé, pois ela não pode ser desvinculada da luta por um mundo melhor.
Por fim, encerrando este segundo “Grito dos Excluídos” da diocese de São José dos Campos, Dom Moacir Silva saudou a todos e agradeceu especialmente ao Pe. Ronildo pelo tempo que esteve assessorando as Comunidades Eclesiais de Base, anunciando também o Pe. Fabiano Kleber Cavalcante, como novo Assessor Diocesano das CEBs. 
Equipe Diocesana de Comunicação das CEBs
Diocese de São José dos Campos – SP
8 de setembro 2011

Agradecimentos - Grito dos Excluídos 2011 - Diocese de São José dos Camp...

Anúncio do novo assessor diocesano das CEBs por Dom Moacir Silva

Anuncio do novo assessor diocesano das CEBs - Diocese de São José dos Ca...

Clip da Santa Missa - Grito dos Excluídos 2011 da Diocese de São José do...

Santa Missa - Grito dos Excluídos da Diocese de São José dos Campos - SP

Caminhada - Grito dos Excluídos da Diocese de São José dos Campos - SP

Concentração - Grito dos Excluídos 2011, na Diocese de São José dos Camp...

Grito dos Excluídos 2011, na Diocese de São José dos Campos - SP (parte 1)

Grito dos Excluídos 2011, na Diocese de São José dos Campos - SP (parte2)