terça-feira, 14 de agosto de 2012


Semana Nacional da Família - 12 a 18 de agosto 2012


CEBs povo de Deus a caminho!


O Trem das CEBs continua nos trilhos...



Depois de um longo período de crise, as CEBs voltaram à pauta da CNBB e do episcopado. Sua presença no documento de Aparecida, na Missão Continental e, finalmente, na mensagem aprovada na Assembleia da CNBB, de 2010, são aspectos significativos, ganhando força no último Intereclesial, em Porto Velho, que contou com a presença de 50 bispos. Isto confirma que as CEBs não morreram, e que, mesmo num período de extrema fragilidade, elas não deixaram de existir. São esses mesmos documentos da Igreja que “apontam as CEBs como sinal de vitalidade para a Igreja, escolas de formação para os cristãos comprometidos com sua fé, discípulos e missionários do Senhor, como testemunhas da experiência das primeiras comunidades cristãs (At 2,42-47); comunidades que permitem chegar ao povo o conhecimento da Palavra de Deus e de seu compromisso social em nome do Evangelho; lugar do surgimento de novos serviços e ministérios na educação da fé em favor da vida na sociedade e na Igreja” (cf. DAp 178).
As CEBs seguem cheias de desafios: por uma espiritualidade nova, capaz de reconstruir o universo simbólico da nossa expressão religiosa; pela renovação das lideranças nas CEBs e a incorporação dos jovens; por uma relação ecumênica e de diálogo inter-religioso; por uma relação de parcerias com os movimentos sociais; por experiências ecológicas; pela aproximação com as novas redes virtuais de comunicação social; pela equidade nas relações de gênero, dentro da Igreja; pela formação e renovação do seu próprio quadro de assessoria e acompanhamento.
A caminhada das CEBs está presente na história da nossa Igreja, desde os anos 60, como sinal de esperança na diversidade de culturas e lutas de resistência. Delas emerge um povo teimoso na esperança, corajoso na profecia, destemido no testemunho, cuidadoso com a vida, e fiel ao Deus que caminha com os pobres e alimenta a esperança de um outro mundo possível. O maior desafio que se nos impõe é o de manter viva a memória desta caminhada, para confirmar as CEBs como voz profética do Reino de Deus em nossa história.

“Na vida das CEBs acolhemos com alegria o sorriso das crianças a coragem da juventude, a ousadia das lideranças, e as bandeiras erguidas; acolhemos o gosto à vida no sangue dos velhos e no pão da partilha dos pobres libertos”
(Pe. Reneu Zortea).

Fonte:texto base do 11º Estadual das CEBs  da Arquidiocese de Florianópolis




segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Roteiro de Celebração para o Grito dos Excluídos - 2012 - diocese de Chapecó


CELEBRAR A VIDA
Dia 02 de Setembro de 2012
Celebração da Palavra/ Ano B/ Cor: Verde
22º DOMINGO DO TEMPO COMUM

“É do coração das pessoas que saem as atitudes”.

Sugestão: Lema do Grito dos Excluídos/as: Queremos um Estado a serviço da nação, que garanta direitos a toda população! Bandeira do Brasil ou do Estado. Preparar acolhida da Bíblia.


RITOS INICIAIS
Anim.: Queridos amigos e amigas! Estamos iniciando o mês de setembro, considerado pela Igreja o mês da Bíblia. Nesta semana o povo Brasileiro comemora o dia da Pátria. Como povo de Deus queremos estar em sintonia com o Grito dos Excluídos/as, todos os anos realizado no dia sete de setembro. Com objetivo de chamar atenção às diferentes formas de exclusão social, o grito é um conjunto de manifestações em prol do povo Brasileiro. Neste ano o lema é: Queremos um estado a serviço da Nação, que garanta direito a toda a população!  Animados e animadas, com nossa fé ligada à vida, com esperança, cantemos nº___

Saudação inicial
Pres.: Sinal da Cruz
Pres.: O amor de Deus, nosso Pai e Mãe, a graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Filho amado, e a luz do Espírito Santo esteja sempre convosco.
Ass.: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

Ato Penitencial
Pres.: Queridos irmãos e irmãs, reconhecendo nossa fraqueza e pecados, diante de Deus misericordioso, peçamos perdão.

Pres.: Pai misericordioso, perdão, quando contribuímos com estado civil corrupto e a serviço de alguns grupos econômicos, não preocupado com as crianças, adolescentes, juventudes e mulheres marginalizadas.

Refrão: Piedade, piedade, piedade de nós.

Pres.: Pai misericordioso, perdão quando somos individualistas e queremos um estado voltado apenas a nossos interesses, não em favor dos irmãos e irmãs menos favorecidos.

Pres.: Pai misericordioso, perdão pelas vezes que te honramos com palavras, não com gestos de fraternidade e de vida comunitária, desprezando teus mandamentos.

Pres.: Que o Deus, justo e bondoso, tenha compaixão de nós, perdoe nossos pecados, e nos conduza à vida eterna.
Ass.: Amém.

Glória
Anim.: Com alegria, demos graças a Deus pela comunidade reunida, pelas famílias presente em nossa Igreja e pelas diferentes organizações que sonham um mundo novo. Glorificamos, cantando nº____

Oremos
Pres.: Senhor Deus, vós enviastes Jesus Cristo para a salvação de todos. Dai-nos um coração aberto e livre de apegos e preconceitos, para fazer do Evangelho uma boa nova em favor de todos os povos, raças e classes. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
Ass.: Amém.


LITURGIA DA PALAVRA
Anim.: Iniciando este mês dedicado à Bíblia, abramos nosso coração, acolhamos a Palavra de Deus cantando nº____

Primeira Leitura
Deuteronômio 4,1-2.6-8

Salmo 14
Refrão: Senhor, quem morará em vossa casa e no vosso monte santo, habitará?

1 - É aquele que caminha sem pecado * e pratica a justiça fielmente; que pensa a verdade no seu íntimo * e não solta em calúnias sua língua.

2 - Que em nada prejudica o seu irmão, * nem cobre de insultos seu vizinho; que não dá valor algum ao homem ímpio, * mas honra os que respeitam o Senhor.

3 - Não empresta o seu dinheiro com usura, + nem se deixa subornar contra o inocente. * Jamais vacilará quem vive assim!

Segunda Leitura
Tiago 1,17-18. 21b-22.27

Aclamação ao Evangelho

Aleluia, aleluia, aleluia.
Deus, nosso Pai, nesse seu imenso amor, foi quem gerou-nos com a palavra da verdade, nós, as primícias  do seu gesto criador!

Marcos 7,1-8.14-15.21-23

Pistas para reflexão
            A liturgia de hoje faz um apelo especial para nos mantermos fiéis à Palavra de Deus, colocando-a em prática para nos libertar das situações de escravidão presente em um mundo que abandona o mandamento de Deus. Próximos do dia sete de setembro, comemoração da independência do Brasil, iniciando o mês da Bíblia, à luz da Palavra de Deus podemos refletir à necessidade de mudança de vida, e tomada de consciência para fazer de nosso mundo um lugar bom de viver.
            No Evangelho de Marcos, Jesus realiza um diálogo crítico com Fariseus e Escribas. Eles eram lideranças, porém, conservavam uma tradição autoritária, legalista e incapaz de libertar as famílias e as comunidades. Fariseus e Escribas não contribuíam para que a lei de Deus fosse vivida. Com coração duro, preferiam abandonar os mandamentos de Deus (o evangelho cita um: Honrar pai e mãe) para manterem sua tradição. Jesus os questiona, pois como lideranças deveriam estar abertas à Palavra de Deus, em vez de ficar presos a uma cultura dominadora de interesse meramente humano. Jesus se preocupa com a vida das pessoas. Para ele a vida está em primeiro lugar. Jesus, portanto, não admitia que a cultura judaica se preocupasse em discutir coisas pequenas, como lavar as mãos ou não antes das refeições, enquanto o povo sofria explorado, abandonado, injustiçado.
Na primeira leitura do livro de Deuteronômio notamos a preocupação de Moisés em orientar o povo de Israel antes da conquista da Terra Prometida. A orientação principal de Moisés foi para as pessoas observarem fielmente os mandamentos de Deus. O livro de Deuteronômio deixa clara a capacidade libertadora da lei de Deus. A lei de Deus orienta, anima e organiza a comunidade ensinando-a a conquistar seus direitos e sua dignidade. Para Moisés, o povo de Israel, abandonando a idolatria, seguindo o Deus verdadeiro, conquistaria a salvação. Também construiria uma nação justa, sem mortes, sem sofrimentos, sem escravidões e exclusões. Moisés, como liderança deseja que seu povo faça a vontade de Deus para viver bem. Segundo ele, o povo, a nação, o país que guarda os valores de Deus se torna grande, sábio e inteligente.
Na segunda leitura, Tiago escreve para o povo uma catequese, faz um pedido especial para a comunidade receber a Palavra de Deus e colocá-la em prática. A Palavra de Deus tem a marca da verdade. A verdade que vêm de Deus tem um poder revelador, não só é capaz de gerar a vida, mas de conceder liberdade à vida. Desta forma, a pessoa que ouve a Palavra a Deus e a prática se liberta dos pecados do mundo, renuncia aos males e adere ao que é justo, torna-se uma pessoa perseverante na fé. No caso da religião, a pessoa fiel à Palavra de Deus, faz a Igreja ser luz ao mundo que ainda vive na escuridão.
Neste sentido, rezemos para que o grito do povo Brasileiro seja forte neste mês da Bíblia, e que ao comemorarmos a independência do Brasil, à luz da Palavra de Deus, possamos sonhar um país que garanta direitos a toda a população. Os textos bíblicos de hoje mostram o caminho. Gritemos com esperança e colaboremos na construção de uma nação justa e solidária.

Creio

Preces
Pres.: Com fé façamos as preces ao Deus que nos gerou com uma palavra de verdade para ficarmos longe da corrupção do mundo, rezando após cada pedido:
Ouça nosso grito, Senhor!

1.  Senhor Deus, abençoa as organizações sociais capazes de lutar pelos direitos da população brasileira. Rezemos.
2. Senhor Deus, abençoa as pessoas sofridas e excluídas, e não permitais que se acomodem diante dos modelos que exploram a vida. Rezemos.
3. Senhor, coragem dos fracos, anime os desanimados e os esperançosos unindo-os na construção do vosso Reino. Rezemos.
4.  Senhor, força e luz dos profetas, daí o dom da fé aos homens e mulheres para que acreditem no poder libertador de tua Palavra contida na Bíblia, livrando-os da corrupção do pecado. Rezemos.

Pres.: Ó Deus, te pedimos isto em nome de teu Filho, Cristo, nosso Senhor.
Ass.: Amém.

RITO DE LOUVOR
(O/a Presidente traz o Pão Consagrado do sacrário até o altar, canta-se o refrão eucarístico).
Coleta

Pres.: O Senhor esteja convosco.
Ass.: Ele está no meio de nós.
Pres.: Corações ao alto.
Ass.: O nosso coração está em Deus.
Pres.: Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
Ass.: É nosso dever e salvação.

Pres.: Nós te bendizemos, Senhor nosso Deus, por teu amado Filho, Jesus Cristo, que veio a nós. Revestido de nossa fragilidade, revelou-nos o teu amor de Pai. E, colocando-se ao lado dos pequenos e pobres, convocou os poderosos à conversão.

Ass.: Louvamos a Deus hoje e sempre!

Pres.: Deus, nosso Pai, nós te louvamos porque teu amado Filho Jesus nos mantêm firmes na fé e na caridade. Ele sempre nos fortalece e sustenta na caminhada, oferecendo-se por nós, como o pão que veio do céu e como água viva que mata nossa sede.

Ass.: Louvamos a Deus hoje e sempre!

Pres.: Nós te louvamos pelo Sacramento da Eucaristia, sinal sagrado, que nos convoca para uma vida diferente, de superação da fome e da miséria, sinal de fé e esperança na solidariedade humana e na fraternidade universal.

Ass.: Louvamos a Deus hoje e sempre!

Pres.: Nós te louvamos ó Deus porque edificas a tua Igreja, animando-nos pelos ensinamentos de nossos pastores: nosso Papa..., nosso Bispo..., Padres, que a exemplo de Jesus Cristo evangelizam o teu povo.

Ass.: Louvamos a Deus hoje e sempre!

Pres.: Nós te louvamos ó Deus pela cruz da ressurreição, que garante a continuidade da vida das pessoas que já faleceram (lembrar os falecidos), e contigo vivem por toda a eternidade.

Ass.: Louvamos a Deus hoje e sempre!

RITO DA COMUNHÃO
Pres.: Nós te louvamos pelas experiências de partilha que atualizam o milagre de Jesus. Por isso, cheios de gratidão oramos com as palavras que ele mesmo nos ensinou: Pai Nosso...

Oração da paz
Abraço da paz

Comunhão

Pres.: “Vós abandonais o mandamento de Deus para seguir a tradição dos homens”. Felizes os convidados para a ceia do Senhor. Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!
Ass.: Senhor eu não sou digno...  

Canto de comunhão

Oração pós comunhão
Pres.: Ó Deus, vossa Palavra de vida, que o povo vem buscar, alimenta e fortifica a vida em comunidade. Este alimento de amor uma nossos corações e nos leve a vos servir em cada irmão e irmã. Por Cristo, nosso Senhor.
Ass.: Amém.

RITOS FINAIS
Comunicados da comunidade

Bênção final
Pres.: O Senhor volva para ti o seu olhar e te dê a paz!
Ass.: Amém.

Pres.: Deus da vida te proteja e abençoe: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo
Ass.: Amém.

Pres.: Ide em paz, que o Senhor vos acompanhe.
Ass.: Graças a Deus.

Canto final

Celebração em comunhão ao Encontro Estadual do CEBs - 2012 - Diocese de Chapecó




Celebrar a Vida
Dia 09 de Setembro de 2012
Celebração da Palavra – Ano B – Cor: verde
23º Domingo do tempo comum

“Jesus faz bem todas as coisas”.

RITOS INICIAIS
Anim.: Que alegria nos encontramos em comunidade para celebrar a nossa vida, escutar a Palavra de Deus e alimentar-nos da Eucaristia. Queremos também entrar em sintonia com todos os participantes do 11º Encontro Estadual das Comunidades Eclesiais de Base, que esta acontecendo em Florianópolis com o tema: “Justiça e Profecia a Serviço da vida”. Que o Espirito das CEBs inunda o nosso coração.  Iniciamos a celebração cantando nº____

Saudação inicial
Pres.: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
Ass.: Amém.
Pres.: A graça de nosso Senhor Jesus Cristo que nos convida a viver em comunidade, o amor de nosso Deus que nos recria, em comunhão com o Espírito Santo estejam convosco.
Ass.: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

Ato penitencial
Pres.: Mergulhemos no coração misericordioso de nosso Deus que nos recria sempre quando buscamos seu perdão. Após cada pedido cantemos:
Senhor piedade, Senhor piedade, Senhor piedade, piedade de nós.

Pres.: Pelas vezes que somos cegos frente às injustiças cometidas, cantemos:

Pres.: Pelas vezes que nossa língua não anuncia a Boa notícia do reino, cantemos:

Pres.: Pelas vezes que nossa comunidade não se empenha no serviço da vida, cantemos:

Pres.: Deus que nos ama e nos quer bem, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza a vida eterna.
Ass.: Amém.

Gloria
Anim.: Glorifiquemos a Deus pelos sinais bonitos que nossa comunidade pratica e que nos identificam com a comunidade dos discípulos de Jesus. Glorificamos pela Palavra de Deus que fortalece o Espírito das CEBs. Entusiasmados cantemos nº____

Oremos
Pres.: Deus da vida e do amor, Pai de Jesus e Pai nosso, Santíssima Trindade, a melhor comunidade abençoai as nossas CEBs. Ajudai-nos a reacender sempre mais a nossa paixão pelo Reino, no seguimento de Jesus, na opção pelos pobres, na luta pela justiça e no serviço da vida. Por nosso Senhor, Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
Ass.: Amem.

LITURGIA DA PALAVRA
 Anim.: A Palavra de Deus é luz para nossa Igreja. Ela é lâmpada para nosso caminhar, para nossa prática pastoral. Ela abre nossos ouvidos, nossos olhos, nosso coração para o Serviço. Ouçamos com atenção o que ela nos diz:

1ª Leitura
Isaías 35,4-7a

Salmo 145
Refrão: Bendize, ó minha alma ao Senhor. Bendirei ao Senhor toda a vida!

1 - O Senhor é fiel para sempre, * faz justiça aos que são oprimidos; ele dá alimento aos famintos, * é o Senhor quem liberta os cativos.

2 - O Senhor abre os olhos aos cegos * o Senhor faz erguer-se o caído; o Senhor ama aquele que é justo * É o Senhor quem protege o estrangeiro.

3 - Ele ampara a viúva e o órfão * mas confunde os caminhos dos maus. O Senhor reinará para sempre! + Ó Sião, o teu Deus reinará * para sempre e por todos os séculos!

2ª Leitura
Tiago 2,1-5

Aclamação ao Evangelho

Aleluia, aleluia, aleluia.
Jesus Cristo pregava o Evangelho, a boa notícia do Reino e curava seu povo doente de todos os males, sua gente!

Marcos 7,31-37

Pistas para reflexão
A Palavra de Deus orienta sempre nossa vivencia comunitária. Ela nunca deve ser esquecida, deixada em segundo plano. Foi assim que o Espírito da CEBs nasceu e continua soprando naqueles que seguem o sonho de Jesus de fazer acontecer o Reino de Deus. Esta Palavra sempre deve recriar, trazer esperança e vida com o nosso Serviço.
No Evangelho de hoje Jesus continua sua missão junto com os mais pobres, doentes, escravizados da sociedade. Trazem para ele um homem surdo e que falava com dificuldade. Isso demonstra que o homem nasceu bom e foi se tornando surdo e mudo. Jesus se retira da presença da multidão com a pessoa enferma para que ninguém enxergasse o milagre, pois o povo andava somente atrás dos milagres e não da Palavra de Jesus e de seus ensinamentos.
Jesus faz a imposição das mãos. Isso era pedir o poder Divino. Ele se aproxima, toca e olha para o céu e pede: “Abra-te”. A palavra de Jesus recria uma nova pessoa. Podemos lembrar da criação de Deus em Gêneses 1,31 (a Palavra de Deus que cria o ser humano).
O que Jesus quer nos ensinar é que as pessoas devem ser livre para anunciá-lo, escuta-lo. Não podemos estar surdos à palavra de Jesus, da Igreja. A Palavra de Jesus é algo novo que veio não somente para os judeus, mas para os pagãos também, para os pecadores, para todos.
A segunda leitura de Tiago adverte a comunidade para não fazer diferença entre pessoas e nem julgar a ninguém. A comunidade deve ser o lugar do pobre, lugar do encontro com Deus, com Jesus. A comunidade é o lugar da partilha e não do privilégio de alguns, do favoritismo pessoal. Nossa fé tem que ser em Jesus Cristo. Isso é importante, a nossa comunidade existe porque primeiro existiu o espírito de Jesus que impulsionou sua organização.
Na primeira leitura do profeta Isaías vê a comunidade sendo explorada pelo império, pelos poderosos. O profeta anuncia o julgamento de Deus para aqueles que exploram o povo e anuncia a esperança.  Dentro desta opressão a comunidade encontra a força e esperança em Deus. “Digam aos corações desanimados: Sejam forte! Não tenham medo... Deus vem salvar vocês...” Esta esperança em Deus nunca deve desaparecer de nosso horizonte, de nossos sonhos. Deus quer que a justiça seja completa para todos.

Creio

Preces
Pres.: Confiemos em nosso Deus, no qual apresentamos nossas preces para que Ele nos escute e ajude-nos em nossas fraquezas. Rezamos após cada pedido.
Deus da justiça atenda-nos.
1.                  Deus envie seu espírito para que possamos sempre nos livrar de nossas cegueiras diante das injustiças, rezemos.
2.                  Aumentai Senhor em nós a humildade e o espírito do serviço comunitário, rezemos.
3.                  Para que não haja diferenças entre pessoas em nossa comunidade, rezemos.
4.                  Deus ilumine todos os participantes do encontro das CEBs e nos fortaleça neste mesmo espírito, rezemos.
5.                  Outras preces.
Pres.: Atendei Senhor o clamor de tua comunidade que na unidade buscam construir o Reino de amor, paz e justiça. Por Cristo, nosso Senhor.
Ass.: Amém.

RITO DE LOUVOR
(O/a Presidente traz o Pão Consagrado do sacrário até o altar, canta-se o refrão eucarístico).
Coleta

Pres.: O Senhor esteja convosco.
Ass.: Ele está no meio de nós.
Pres.: Corações ao alto.
Ass.: O nosso coração está em Deus.
Pres.: Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
Ass.: É nosso dever e salvação.

Pres.: Nós vos louvamos Senhor Deus, nosso Pai e Mãe, por tua infinita bondade e pelas maravilhas realizadas em favor de todos nós, teus filhos.

Ass.: Cheios de alegria, louvemos ao Senhor!

Pres.: Nós te damos graças ó Senhor porque sempre demonstraste tua opção em favor da vida, especialmente da vida mais ameaçada. Nós te damos graças porque, ao nos criares à tua imagem e semelhança, colocaste em nosso coração o senso de justiça e a preocupação pela defesa na vida desde a sua concepção até o seu final.

Ass.: Cheios de alegria, louvemos ao Senhor!

Pres.: Nós te louvamos ó Deus por este pão consagrado que nos alimenta e nos fortalece na caminhada de construção do teu reino que é o reino da verdade e da vida, da santidade, da graça, da justiça, do amor e da paz.

Ass.: Cheios de alegria, louvemos ao Senhor!

Pres.: Nós te louvamos Deus eterno e todo poderoso por todos os cristãos batizados que a exemplo de nossos pastores: o nosso papa..., o nosso Bispo..., os nossos padres e todas as nossas lideranças leigas evangelizam o teu povo orientando-o na busca de um mundo melhor.

Ass.: Cheios de alegria, louvemos ao Senhor!

Pres.: Nós te louvamos por teu Filho crucificado, que derramou seu sangue para nos purificar do pecado e nos santificou para participarmos de sua eterna glória junto a nossos irmãos/ãs falecidos (lembrar os nomes) que te louvam eternamente.

Ass.: Cheios de alegria, louvemos ao Senhor!

RITO DA COMUNHÃO
Pres.: Com Jesus juntemos nossas mãos e rezemos à oração da unidade dos filhos e filhas de Deus: Pai Nosso...

Oração da paz
Abraço da paz

Comunhão
Pres.: “Ele tem feito bem todas as coisas: aos surdos faz ouvir e aos mudos falar”. Felizes os convidados para a ceia do Senhor. Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.
Ass.: Senhor eu não sou digno...  

Anim.: Jesus faz os surdos ouvir e os mudos falar. Vamos ao seu encontro na Eucaristia cantando nº____

Oração pós comunhão
Pres.: Ó Deus, nesta celebração, vosso povo de alimenta na mesa da vossa Palavra. Que este alimento nos faça ter forças para viver unidos a Jesus Cristo na terra e também no céu. Por Cristo, nosso Senhor.
Ass.: Amém.

RITOS FINAIS
Comunicados da comunidade

Bênção final

Pres.: Deus dos pobres e oprimidos, venha ao nosso socorro, derrame sua bênção sobre todos teus filhos queridos que clamam por justiça: em nome do Pai, do Filho e Espírito Santo.
Ass.: Amém.

Pres.: Ide em paz e que o Senhor, nosso Deus sempre vos acompanhe.
Ass.: Graças a Deus.

Abertura da Semana da família - Procissão de entrada